Neuroquímica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Neuroquímica é um campo da Neurociência que estuda neurotransmissores, neuropeptídeos, neuromoduladores e compostos psicoativos. A Neuroquímica é uma interseção entre a Bioquímica e a Neurociência e busca compreender como tais moléculas influenciam a atividade dos neurônios e, consequentemente, o Sistema Nervoso.

História[editar | editar código-fonte]

A Neuroquímica, em um contexto internacional, foi fundada como disciplina na década de 50 no'Simpósio Internacional de Neuroquímica''.[1] Tais encontros na Comunidade científica levaram à formação da Sociedade Internacional de Neuroquímica (ISN, sigla em inglês para International Society for Neurochemistry). Os encontros da Sociedade focavam na discussão sobre neurotransmissores como Acetilcolina, Histamina, Serotonina e Substância P.

Neuroquímica no Brasil[editar | editar código-fonte]

A Neuroquímica no Brasil iniciou na Universidade Federal do Rio de Janeiro por meio do neuroquímico Fernando Garcia de Mello.

Referências

  1. Agranoff, Bernard W (2001). «History of Neurochemistry». John Wiley & Sons, Ltd (em inglês). ISBN 9780470015902. doi:10.1038/npg.els.0003465