Ney Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ney de Albuquerque Maranhão)
Ney Maranhão
Ney Maranhão
Senador por Pernambuco
Período 1º de fevereiro de 1987
a 1º de fevereiro de 1995
Deputado federal por Pernambuco
Período julho de 1955
a 1963
(2 mandatos consecutivos)
Prefeito de Moreno
Período 1951 a 1954
Dados pessoais
Nome completo Ney de Albuquerque Maranhão
Nascimento 10 de dezembro de 1927
Moreno, PE
Morte 11 de abril de 2016 (88 anos)
Recife, PE
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Maria Maranhão
Pai: Constantino Maranhão
Prêmio(s) Ordem do Mérito Militar[1]
Partido PTC (2000–2016)
Profissão político

Ney de Albuquerque Maranhão ComMM (Moreno, 10 de dezembro de 1927Recife, 11 de abril de 2016) foi um político brasileiro filiado ao Partido Trabalhista Cristão (PTC).[2] Por Pernambuco, foi senador e deputado federal por dois mandatos, além de prefeito de Moreno.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi prefeito do município de Moreno (PE), deputado federal por quatro legislaturas (PTB/PE), e cassado pela ditadura militar.

Foi senador da República (1988-1995), primeiramente pelo Partido Municipalista Brasileiro (PMB), passando depois para o Partido da Reconstrução Nacional (PRN), ocupando a vaga deixada pelo falecimento do senador Antônio Farias.

Destacou-se como membro da "tropa de choque" do ex-presidente Fernando Collor de Mello, sendo um dos três senadores que votaram contra a perda dos direitos políticos do ex-presidente. Era conhecido também por utilizar ternos de linho branco e suas inseparáveis "alpercatas" (sandálias) de couro, mesmo nas ocasiões formais no Senado Federal.

Ficou conhecido como "Senador Boiadeiro" e como um dos pioneiros na defesa do estreitamento das relações diplomáticas entre o Brasil e a China. Nos últimos anos de sua vida foi assessor do atual senador Fernando Collor de Mello.[3]

Em 1993, como senador, Ney foi admitido pelo presidente Itamar Franco à Ordem do Mérito Militar no grau de Comendador especial.[1]

Referências