Niña

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Santa Clara
Imagem da caravela Niña à esquerda.
Carreira Banner of arms crown of Castille Habsbourg style.svg
Características gerais
Tipo de navio Caravela
Tonelagem 50–60 toneladas
Propulsão Velas
Réplica da caravela Niña em Palos de la Frontera, Espanha.
Réplicas da nau Santa Maria, e das caravelas Niña e Pinta estacionadas no North River, Nova Iorque, após a travessia do Atlântico para a Feira Mundial em Chicago.
Museu de Marinha de Lisboa: âncoras resgatadas em 1960 na baía do Cura (ilha de Santa Maria, Açores), atribuídas presumivelmente à caravela "Niña".

A Niña foi uma das caravelas que integrou a expedição do Almirante Cristóvão Colombo na viagem em que, navegando para Oeste pelo Oceano Atlântico, veio a descobrir o continente americano (1492).

História[editar | editar código-fonte]

Armada pela família Pínzon, era capitaneada por Vicente Yáñez Pinzón, irmão de Martín Alonso Pinzón, comandante da Pinta.

Com o naufrágio da nau Santa Maria, em dezembro de 1492 em águas do Haiti, recebeu a bordo a tripulação e a carga daquela, inclusive o Almirante, conduzindo-os de volta à Espanha.

Características[editar | editar código-fonte]

A Niña tinha as dimensões de onze metros de comprimento por seis metros de altura e tinha três mastros.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • COLOMBO, Cristóvão. Diários da Descoberta da América: as quatro viagens e o testamento. Porto Alegre: L&PM, 1998. 200p. il. mapas. ISBN 8525409383
  • MONTEIRO, Jacinto. "Acerca das âncoras de Colombo encontradas nos Açores". in RIHIT, XLVII, 1989, p. 251-264.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.