Niall Ferguson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Niall Ferguson em 2012.

Niall Campbell Ferguson (Glasgow, Escócia, 18 de abril de 1964)[1] é um historiador escocês. Ele leciona história na Universidade de Harvard, é um pesquisador em Oxford (sua alma mater), associado sênior no Instituto Hoover e na Universidade de Stanford e professor emérito da New College of the Humanities. Ele também é comentarista político, escrevendo e dissertando sobre história global, economia e finanças, além de questões a respeito de imperialismo britânico e americano.[2] Niall, um neoconservador, é conhecido por suas opiniões controversas e diferentes.[3] Ele escreveu livros como Empire: How Britain Made the Modern World, The Ascent of Money: A Financial History of the World e Civilization: The West and the Rest, todos que viraram séries de televisão do canal Channel 4.

Em 2004, ele foi escolhido como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time. Ele também é um colaborador do canal Bloomberg Television[4] e é um colunista para a revista Newsweek. Ferguson foi conselheiro do candidato presidencial americano John McCain, em 2008, apoiou Mitt Romney em 2012 e foi crítico da presidência de Barack Obama.[5][6] Na Europa, ele defendeu o movimento em favor do Brexit, em 2016, apoiou Marine Le Pen, a candidata de extrema-direita a presidência da França, e ainda apoiou uma maior aproximação dos Estados Unidos, da Rússia e da China, aconselhando o presidente americano Donald Trump a cultivar bons laços com o presidente russo Vladimir Putin e o chinês Xi Jinping.[7] Em 2013, recebeu o prêmio Ludwig Erhard de jornalismo econômico.

Ferguson foi casado com a jornalista inglesa Susan Douglas de 1987 a 2011. Eles tem três filhos, Felix, Freya e Lachlan.[8] Ainda em 2011, ele começou a namorar a ativista holandesa, de origem somali, Ayaan Hirsi Ali.[9] Os dois se casaram no mesmo ano e tiveram um filho, Thomas.[10]

Referências

  1. Biography Niall Ferguson
  2. «Harvard University History Department — Faculty: Niall Ferguson». History.fas.harvard.edu. Consultado em 15 de setembro de 2013. Arquivado do original em 11 de outubro de 2014 
  3. Ferguson, Niall (30 de novembro de 2012). «Turning Points». The New York Times. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  4. "Conservative Historian Niall Ferguson Blasts Trump's Foreign Policy". Fortune, por Chris Matthews, 3 de maio de 2016.
  5. "Niall Ferguson, Newsweek, and Obama: Fact checking the fact checkers (Part I)", Newsweek, 21 de agosto de 2012.
  6. "Newsweek's anti-Obama cover story: Has the magazine lost all credibility?" The Week, 21 de agosto de 2012.
  7. Ferguson, Niall (22 de novembro de 2016). «Donald Trump's new world order». The Boston Globe. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  8. Lynn, Matthew (23 de agosto de 2009). «Professor Paul Krugman at war with Niall Ferguson over inflation». Times Online. Consultado em 25 de outubro de 2009 
  9. Hale, Beth (8 de fevereiro de 2010). «The historian, his wife and a mistress living under a fatwa». Mail Online. Associated Newspapers 
  10. Numann, Jessica (30 de dezembro de 2011). «Ayaan Hirsi Ali (42) bevalt van een zoon». Elsevier. Consultado em 18 de dezembro de 2017