Nick Carter, le roi des détectives

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nick Carter, le roi des détectives
Nick Carter, o Rei dos Agentes de Polícia[1] (BR)
 França
1908 •  P&B •  6 episódios min 
Direção Victorin-Hippolyte Jasset
Roteiro Victorin-Hippolyte Jasset
Georges Hatot (adaptação)
Baseado em John R. Coryell
Elenco Pierre Bressol
Gênero Policial
Cinematografia Raymond Agnel
Companhia(s) produtora(s) Société Française des Films Éclair
Lançamento França 8 de setembro de 1908
Brasil 3 de novembro de 1908[1]
Idioma filme mudo
intertítulos em francês
Cronologia
Último
Riffle Bill, le roi de la prairie (1908)
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Nick Carter, le roi des détectives é um seriado cinematográfico francês de 1908, baseado nas populares novelas estadunidenses que apresentavam o personagem Nick Carter, mestre-detetive. Foi dirigido por Victorin-Hippolyte Jasset para a Eclair Company, e apresentava o ator Pierre Bressol no papel-título. Foi a primeira experiência serial do cinema.[2]

Foi produzido em seis episódios, cada um com uma história completa, mas seu lançamento foi cronometrado em intervalos quinzenais para criar um sentido de continuidade com o público. As histórias foram sediadas em Paris. Em 1909, foi realizada uma sequência, Les nouveaux exploits de Nick Carter, também pela Eclair Company e sob a mesma direção.

Pode ser considerada essa a primeira vez que foi feito um seriado, e o sucesso do filme levou a empresa a fazer adaptações com mais histórias de Nick Carter nos anos seguintes, além das imitações feitas por outras empresas. O êxito do seriado abriu caminho, também, para um novo tipo de abordagem de roteiro, o romance-folhetim filmado.[2]

Personagem[editar | editar código-fonte]

Nick Carter é um um detetive particular da literatura pulp, que serviu de inspiração para diversos filmes. O personagem apareceu pela primeira vez na revista New York Weekly Vol. 41 No. 46 (18 de setembro de 1886). Foi criado por Ormond G. Smith, o filho de um dos fundadores da Street & Smith.[3]

Foi a primeira vez que o personagem apareceu nas telas. No final dos anos 30, a MGM anunciaria ter comprado os direitos das histórias de Nick Carter para usá-las em filmes.[4]

Episódios[editar | editar código-fonte]

Fonte: [5]

  • Part 1. Le Guet-Apens. 8 de setembro de 1908.
  • Part 2. L'Affaire des bijoux. 22 de setembro de 1908.
  • Part 3. Les Faux Monnayeurs. 6 de outubro de 1908.
  • Part 4. Les Dévaliseurs de banque. 20 de outubro de 1908.
  • Part 5. Les Empreintes. 27 de outubro de 1908.
  • Part 6. Les Bandits en noir. 15 de novembro de 1908.

Crítica[editar | editar código-fonte]

Ciné Journal escreveu em 1908, sobre Nick Carter: "Narration simple, poursuites, crimes, arrestations, guet-apens : tout cela convient à merveille au cinéma" ("Narração simples, processos penais, crimes, prisões, emboscada: tudo isso se encaixa perfeitamente no cinema").[6]

Seriado no Brasil[editar | editar código-fonte]

O seriado foi exibido no Brasil a partir de 3 de novembro de 1908, no Cinema Parisiense, no Rio de Janeiro, uma exibição de J. R. Staffa, sob o título Nick Carter, o Rei dos Agentes de Polícia.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Mnemocine
  2. a b SADOUL, Georges. História do Cinema Mundial São Paulo: Livraria Martins Editora [S.l.] p. 80. 
  3. Elliott-Upton, Deborah (16-09-2013). «In the Nick of Time». Nick Carter. Criminal Brief. 
  4. MATTOS. A. C. Gomes de.As Séries Policiais Americanas dos Anos 30-40
  5. Jacques Deslandes. "Victorin-Hippolyte Jasset 1862-1913", in Anthologie du cinéma: supplement no.85 (Paris: Avant-Scène Cinéma, 1975) pp.252-255.
  6. Victorin Jasset
Bilbiografia
  • Richard Abel. The Ciné Goes to Town: French Cinema 1896-1914. (Berkeley CA: University of California Press, 1998) pp.195-198.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]