Nicolas Fatio de Duillier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nicolas Fatio de Duillier
Conhecido(a) por Luz zodiacal, Gravidade (teoria da gravidade com Georges-Louis Le Sage)
Nascimento 26 de fevereiro de 1664
Basileia, Suíça
Morte 12 de maio de 1753 (89 anos)
Worcester, Inglaterra
Nacionalidade Suíça Suíço
Progenitores Mãe: Cathérine Fatio
Pai: Jean-Baptiste
Campo(s) Astronomia, Matemática

Nicolas Fatio de Duillier (Basileia, Suíça, 26 de fevereiro de 1664Worcester, Inglaterra, 12 de maio de 1753) foi um matemático e astrônomo suíço conhecido por suas pesquisas sobre a luz zodiacal e por ter concebido a chamada Teoria gravitacional de Le Sage.

Vida[editar | editar código-fonte]

Fatio nasceu em 1664 como o sétimo dos 14 filhos de Jean-Baptiste e Cathérine Fatio, em Basileia, Suíça. Em 1672 sua família se mudou para Duillier. Em 1682, aos 18 anos de idade, Fatio viajou para Paris para realizar estudos astronômicos sob a responsabilidade do astrônomo Giovanni Domenico Cassini no Observatório de Paris.[1] Em 1686, Fatio, por acaso, se tornou uma testemunha de uma conspiração contra Guilherme III de Inglaterra, da qual ele ajudou a evitar. No mesmo ano tomou conhecimento de Jakob Bernoulli e Christiaan Huygens, com os quais estabeleceu colaboração especialmente estreita. Em 1687, viajou para Londres e tornou-se amigo de John Wallis e Edward Bernard (1638-1697) e trabalhou em uma solução do problema da tangente inversa.[1] Ele também tornou-se amigo de Gilbert Burnet, John Locke, Richard Hampden e seu filho John Hampden. Graças a recomendação de John Hoskyns Fatio se tornou um membro da Royal Society em 1688.

Ele tinha uma relação estreita com Isaac Newton, e desde o início, ficou impressionado com a teoria da gravitação de Newton. Em 1691, ele planejou preparar uma nova versão de Philosophiae Naturalis Principia Mathematica de Newton, mas nunca terminou. Em 1694, a sua relação com Newton diminuiu. Nessa época, Fatio trocou várias cartas com Gottfried Leibniz.

Em 1707, Fatio ficou sob a influência de uma seita de fanáticos religiosos, os Camisards, que arruinou a reputação de Fatio. Ele deixou a Inglaterra e participou de viagens de peregrinação por toda a Europa. Após o seu retorno, apenas alguns documentos científicos escritos por ele foram publicados. Ele morreu em 1753 perto de Worcester, na Inglaterra. Após sua morte, seu compatriota de Genebra, Georges-Louis Le Sage, tentou adquirir os trabalhos científicos de Fatio. Estes documentos, juntamente com os de Le Sage estão agora na Biblioteca da Universidade de Genebra.

Obras[editar | editar código-fonte]

O maior sucesso científico de Fatio foi a explicação da natureza da luz zodiacal em 1684, na qual ele atribuiu às partículas que refletem a luz do sol. Em 1688 ele fez um relato sobre a explicação mecânica da gravitação de Huygens perante a Royal Society, em que ele tentou ligar a teoria de Huygens com a de Newton. Em 1690, ele escreveu uma carta a Huygens, na qual descreveu sua teoria gravitacional, que mais tarde ficou conhecida como teoria gravitacional de Le Sage. Esta teoria, na qual ele trabalhou até sua morte, explica a gravidade como o efeito de partículas diminutas que impulsionam massas de maior magnitude umas contra as outras.

Fatio é conhecido por seu importante papel na disputa entre Newton e Leibniz sobre qual deles foi o responsável pelo desenvolvimento do cálculo moderno. Ele repreendeu indiretamente Leibniz numa carta de 1699, afirmando que Leibniz havia se apoderado de uma propriedade intelectual que não pertencia a ele, e deu início a discussão.[1]

Para otimizar a captação de energia solar e, consequentemente, a produtividade da planta, Fatio, em 1699, sugeriu o uso de um mecanismo de controle que podia girar para seguir a trajetória da luz do sol. Por volta de 1700 ele e Pierre de Baufre tentaram usar gemas como rolamentos de roda em relógios mecânicos.[2] Em 1705, ambos receberam uma patente por essa descoberta que hoje é bastante utilizada.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Wolf, R, ed. (1862). Nicolas Fatio de Duillier. 4. Biographien zur Kulturgeschichte der Schweiz: [s.n.] p. 67–86 
  • Zehe, H (1980). Die Gravitationstheorie des Nicolas Fatio de Duillier. Hildesheim: Gerstenberg Verlag. ISBN 3806708622 
  • Domson, C (1972). Nicolas Fatio de Duillier and the Prophets of London. Hildesheim: Ayer Publishing. ISBN 0405138520 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Fatio de Duillier, N.: De la cause de la Pesanteur, 1690-1701, Edição de Bopp. Na pp. 19–22 está uma introdução de Bopp (em alemão). Artigo de Fatio começa no fim da p. 22 (em francês).
  • Fatio de Duillier, N.: De la Cause de la Pesanteur, 1690-1743, Edição de Gagnebin. Para uma introdução de Gagnebin, ver Introdução
  • Fatio de Duillier, N.: "Letters no. 2570, pp. 384–389 e 2582, pp. 407–412, 1690, Huygens Oeuvres, Vol. IX. Essas cartas contêm a primeira exposição escrita de sua teoria. Huygens respondeu em carta em. 2572)