Nicolau Sevcenko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nicolau Sevcenko
Nascimento 1952
São Vicente
Morte 13 de agosto de 2014 (62 anos)
São Paulo
Nacionalidade Brasileira
Alma mater Universidade de São Paulo

Nicolau Sevcenko (São Vicente, 1952São Paulo, 13 de agosto de 2014 [1]) foi um historiador, professor universitário e tradutor brasileiro.

Sevcenko dedicou-se ao estudo da história, com ênfase na cultura brasileira e desenvolvimento social das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Formou-se na Universidade de São Paulo, onde manteve o cargo de professor de história da cultura, além de membro do Center for Latin American Cultural Studies do King's College da Universidade de Londres.[2] Foi professor visitante também na Universidade de Georgetown (Washington DC), na Universidade de Illinois (Urbana-Champaign) e na Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

Durante vários anos, foi também colunista do jornal "Folha de S.Paulo".[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1952, em uma família de ucranianos fugidos da Guerra Civil Russa, Nicolau Sevcenko nasceu em São Vicente, no litoral do estado de São Paulo. Cresceu na cidade de São Paulo, no bairro operário da Vila Prudente, de concentração eslava,[4] conciliando trabalho - desde os sete anos de idade, coletando sucata -, esporte e estudos.[5] Graduado em História (1975) e doutor em História Social (1981), pela Universidade de São Paulo (USP), em 1990, fez pós-doutorado na Universidade de Londres. Lecionou na PUC de São Paulo, Unicamp e na USP, desde 1985 até sua aposentadoria, em 2012.[6] Desde 2010 era professor de Línguas e Literaturas Românicas da Universidade Harvard.[7][8]

Nicolau Sevcenko morreu em sua casa, na noite de 13 de agosto de 2014, em consequência de um infarto. Era casado com Cristina Carletti. O casal não tinha filhos.[9]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • A Corrida Para o Século XXI - No loop da montanha-russa. Companhia das Letras, 2001
  • Pindorama Revisitada - Cultura e Sociedade em Tempos de Virada. Fundação Peirópolis, 2000 [10][11]
  • História da Vida Privada no Brasil, vol. 3 - República: da Belle Époque à Era do Rádio (organizador) . Companhia das Letras, 1998
  • Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na I República. São Paulo, Brasiliense, 4ª ed., 1995. Companhia das Letras, 2003[12]
  • O Renascimento. São Paulo/Campinas, Atual/ Ed.da UNICAMP, 21ª ed., 1995.
  • Primeira Página, Folha de S.Paulo, 1925-1985, São Paulo, Gráfica da Folha de S.Paulo, 1995.
  • Arte Moderna: os desencontros de dois continentes. São Paulo, Fundação Memorial da América Latina, Coleção Memo, Secretaria de Estado da Cultura, 1995.
  • Orfeu Extático na Metrópole - São Paulo nos Frementes Anos 20. Companhia das Letras, 1992
  • Lewis Carrol - Alice no país das maravilhas (tradução). São Paulo, Scipione, 1986.
  • A Revolta da Vacina, mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo, Brasiliense, 1983; Scipione, 1993.
  • Robert Mandrou - Magistrados e feiticeiros na França do século XVII (tradução). São Paulo, Perspectiva, 1979.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em 1999, foi um dos ganhadores do prêmio Jabuti, na categoria Ciências Humanas, pelo livro História da Vida Privada no Brasil (volumes 3 e 4), publicado pela Companhia das Letras.

Referências

  1. «Historiador Nicolau Sevcenko morre aos 61 anos em São Paulo». G1. 13 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  2. Página de Nicolau Sevcenko no site da Companhia das Letras.
  3. Nicolau Sevcenko, full professor at Harvard and former member of the IEA-USP, dies at 61. Por Richard Meckien. IEA-USP, 14 de agosto de 2014.
  4. Entrevista com professor Nicolau Sevcenko, por Alvaro Katsuaki Kanasiro e Luis Felipe Kojima Hirano. Ponto Urbe , nº 10 , 2012. Disponível online desde 26 julho 2014.
  5. Homenagem a Nicolau Sevcenko. Revista Angelus Novus. USP. Ano VI, nº 9, pp. 189-210, 2015.
  6. Nicolau Sevcenko - A história como missão. Entrevista originalmente publicada na Revista de Historia da Biblioteca Nacional
  7. Brazil's public intellectual. Now a Harvard professor, Nicolau Sevcenko finds time to reflect. Por Alexandra Perloff-Giles. Harvard Gazette, 21 de outubro de 2010.
  8. Historiador Nicolau Sevcenko morre em São Paulo aos 61 anos. Agência Fapesp, 15 de agosto de 2014.
  9. Morre em São Paulo o historiador Nicolau Sevcenko, aos 61 anos. Folha de S.Paulo, 13 de agosto de 2014.
  10. Sevcenko lança "Pindorama Revisitada". Folha de S.Paulo, 13 de novembro de 2000
  11. Globalização transforma cidade em centro lúdico, diz Sevcenko. Folha Online Brasil 500, 27 de março de 2000.
  12. Daniel Balderston; Mike Gonzalez; Ana M. Lopez (2014). Encyclopedia of Contemporary Latin American and Caribbean Cultures. Routledge. p. 1372. ISBN 978-1-134-78852-1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.