Nili

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2008). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelas fossas marcianas, veja Nili Fossae.

Nili é o nome de uma rede de espionagem na Palestina criada durante a Primeira Guerra Mundial com o apoio inglês, que tinha como objetivo principal espionar os Turcos à serviço dos Britânicos. NILI é um acrônimo que representa a frase hebraica "Netzah Yisrael Lo Yeshaker", que se traduz como "o Eterno de Israel não mentirá".[1] O governo britânico com o nome de código NILI, a "Organização A", de acordo com um memorando de 1920 mal informado no British Public Records Office, conforme descrito no livro Spies in Palestine by James Srodes.[2]

Os fundadores e líderes do Nili são originários das implantações Yishouv e os procedentes da organização dos Guidonim. Entre eles contava-se Aharon, Alexander e Sara Aharonson, Avshalom Feinberg, Yossef Lishansky e Naaman Belkind. Consideravam que, com a sua ajuda ao Exército Britânico, postado no Egito, contribuiriam para a vitória dos ingleses contra os turcos e os alemães e, como consequência da guerra, os judeus poderiam receber a Palestina por parte dos Britânicos.

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre espionagem é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. O’Malley, JP. “With Spy Sarah Aaronsohn’s Suicide, Israeli History was Rewritten, Claims Author,” The Times of Israel, December 14, 2006
  2. . Srodes, James (2016). Spies in Palestine. Berkeley: Counterpoint Press, p. viii. ISBN 978-1619026131.