Nino da Geórgia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Santa Cristiana da Geórgia
წმინდა ნინო

Imagem de Santa Cristiana
Fundadora da Igreja Ortodoxa Georgiana
Nascimento século III em Colastro, Capadócia
Morte c. 340 em Bodbe, Cachétia (arredores da atual Signani, Geórgia)
Veneração por Igreja Ortodoxa
Igreja Ortodoxa Oriental
Igreja Católica Romana
Principal templo Convento de Bodbe, Geórgia
Festa litúrgica 14 de janeiro (Igreja Ortodoxa)
15 de dezembro (Igreja Católica)
Padroeira Geórgia
Gloriole.svg Portal dos Santos

Santa Cristiana (em georgiano: წმინდა ნინო; transl.: Ts'minda Nino; em armênio/arménio: Սուրբ Նունե; transl.: Surb Nune; em grego clássico: Αγία Νίνα; transl.: Agía Nína), também conhecida como Nina ou Cristina em fontes latinas, intitulada Igual aos Apóstolos e Iluminadora da Geórgia, foi uma mulher conhecida por ter definitivamente introduzido o cristianismo na Geórgia.

Fundação da Igreja Ortodoxa na Geórgia, sendo Santa Cristiana representada no lado direito e Santo André do lado esquerdo,sendo os dois fundadores da Igreja.

patrona da Geórgia e amplamente venerada neste país e na Armênia.

Vida[editar | editar código-fonte]

Santa Cristiana nasceu em uma família fortemente cristã em Colastro, na Capadócia. Seu pai, Zebulom, era irmão de São Jorge, enquanto sua mãe, Susana, seria aparentada de um patriarca obscuro de Jerusalém, Houbnal.[1] É contado que foi informada pela Virgem Maria em uma visão que deveria levar o cristianismo ao Reino da Ibéria, jornada que começou entrando pela Armênia, onde, em um grupo de 35 ou 37 virgens, foi perseguida por Tirídates III. Embora Tirídates tenha se convertido ao cristianismo mais tarde, era um zoroastriano à época, perseguindo as virgens, matando quase todas, dentre as quais Santa Ripsima, enquanto apenas Santa Cristiana conseguiu fugir para a Ibéria.Na Ibéria, converteu a Rainha Nana ao curá-la de uma doença, trazendo desaprovação e ameaças de divórcio de seu esposo Meribanes III.[2] Segundo a tradição, no entanto, seu descontentamento não durou muito, tendo orado para o "Deus de Nina" ao se perder na escuridão dos bosques e convertendo-se ao ser livrado. Subsequentemente, o cristianismo foi decretado a crença oficial da Ibéria, então um dos primeiros reinos cristãos. Data-se o batismo de São Meribanes a 334 e o decreto a 337.[3]

Após testemunhar a conversão da Ibéria, Santa Cristiana se fez reclusa nas montanhas, pouco depois falecendo na ravina de Bodbe, onde foi construído um mosteiro em sua homenagem. Até hoje estão lá guardadas suas relíquias.

Legado[editar | editar código-fonte]

Santa Nina é uma das mais veneradas santas na Igreja Ortodoxa Georgiana e na Igreja Apostólica Armênia, tendo igrejas e mosteiros de diferentes denominações ao redor de todo o mundo em sua homenagem, não apenas na Geórgia e Armênia como na Rússia e nos Estados Unidos.[4][5][6]

Referências

  1. Orthodox Church of America -
  2. Isoelian, P. A Short History of the Georgian Church. Saunders, Otley, and Co., London: 1866.
  3. Toumanoff, Cyril (1963). «Iberia between Chosroid and Bagratid Rule». Studies in Christian Caucasian History. [S.l.]: Georgetown UP. Consultado em 30 de junho de 2012. 
  4. St. Nina, Kandalashka
  5. Georgian America
  6. The Sacred Monastery of Saint Nina