Nintendocore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Nerdcore um sub-gênero do hip hop.
Nintendocore
Origens estilísticas Chiptune, Música de jogos eletrônicos, Hardcore punk, Heavy Metal, Metalcore, Post-hardcore
Contexto cultural Começo da década de 2000, nos Estados Unidos
Instrumentos típicos Teclado, Vocal, Guitarra, Baixo elétrico, Bateria, Sintetizador, Programação, NES
Popularidade Underground
Outros tópicos

Nintendocore (também conhecido como Nintendo rock,[1] vídeo rock,[2] e nerdcore)[3] é um gênero musical que funde estilos agressivos de rock moderno com chiptune e Música de jogos eletrônicos. O gênero surgiu a partir de vários estilos de hardcore punk e heavy metal, e foi influenciado por muitos outros gêneros musicais.

Características[editar | editar código-fonte]

Nintendocore frequentemente apresenta o uso de guitarras elétricas , kits de bateria, e instrumentação de rock típico ao lado de sintetizadores,[4] chiptunes , sons de 8-bits e batidas produzidas eletronicamente.[1][5][6] Ele se originou a partir de uma diversificada variedade de estilos musicais, incluindo hardcore punk,[4][5][7] post-hardcore,[6][8] metalcore,[4][8] e heavy metal.[9] Além dessas origens, ele tem sido influenciada por uma variedade de outros gêneros, como electro,[5] noise rock,[1][10] post-rock,[8][11] e screamo.[5][12]

História e artistas notáveis (final dos anos 1990-presente)[editar | editar código-fonte]

O grupo Minibosses na Penny Arcade Expo, 2005.

Embora já houvesse movimento de músicas de jogos eletrônicos que tiveram início em gêneros como o chiptune e bitpop, o movimento do ramo "core" só foi iniciado pela banda de metalcore Horse the Band,[4] que originalmente cunhou o termo "Nintendocore" como uma brincadeira. Eles lançaram cinco álbuns de estúdio que demonstram esse estilo, começando com Secret Rhythm of the Universe, lançado em 2000. A canção "The Black Hole" do terceiro álbum da banda, The Mechanical Hand, é um exemplo de Nintendocore, caracterizada por gritos vocais, "riffs da Nintendo" pesados, e "efeitos de som de inúmeros jogos".[13]

Outro pioneiro do Nintendocore é o The Advantage,[14] a quem o The New York Times elogiou como um dos grupos que trouxeram a música de jogos eletrônicos a principal corrente da música moderna.[2] The Advantage é uma banda de rock instrumental formada por dois alunos que frequentam o Colégio de Nevada Union.[2] O grupo "não toca nada mais que músicas dos jogos do console original da Nintendo".[2] Com a criação de covers de rock da trilhas sonoras de jogos eletrônicos, eles têm "trazido legitimidade a um estilo de música dublada Nintendocore."[1]

O grupo de rock Minibosses "são uma das bandas mais bem estabelecidas no gênero Nintendocore, com uma lista impressionante de covers, incluindo Contra, Double Dragon, Excitebike", e outro temas de vídeo game.[15] A banda de Phoenix, Arizona, e é conhecido como um dos representantes primários do Nintendo rock,[16] se apresentando em várias exposições de vídeo game.[15] Além de covers, a banda também produziu um trabalho original.[15] A Havard Crimson se refere aos Minibosses como "rivais jurados" do The NESkimos,[1] um outro grupo de Nintendocore.[15]

O álbum de estreia de 2007 do The Depreciation Guild, In Her Gentil Jaws tem sido referido como de Nintendocore pela Pitchfork Media. O site escreveu que "In Her Gentil Jaws estica seu pescoço para fora além do padrão Nintendocore como o do The Advantage ou Minibosses", e que a faixa instrumental do álbum "poderia plausivelmente vir de um cartucho do NES."[17]

Outras bandas conhecidas para representar o gênero incluem Math the Band,[18] Karate High School em seu álbum de estreia,[19] The Megas,[15] The Octopus Project,[20] An Albatross,[21] Rolo Tomassi,[22] Crystal Castles,[23] e Hella um projeto de Spencer Seims, baterista do The Advantage.[24] O Sky Eats Airplane se rotulou como do gênero, embora a revista canadense Exclaim! conteste esse rótulo.[25]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Payne, Will B. (14 de fevereiro de 2006). 2006/2/14/nintendo-rock-nostalgia-or-sound-of/ «Nintendo Rock: Nostalgia or Sound of the Future» (em inglês). The Harvard Crimson. Consultado em 14 de dezembro de 2014. 
  2. a b c d Weingarten, Marc (29 de abril de 2004). «Resurrecting the Riffs, A Nintendo Rock Band» (em inglês). The New York Times. Consultado em 1° de janeiro de 2015. 
  3. Raj, Josh (28 de abril de 2012). «Nerdcore: I Fight Dragons» (em inglês). Nerds on the Rock. Consultado em 14 de dezembro de 2014. 
  4. a b c d Greer, Nick (24 de janeiro de 2005). «HORSE the band R. Borlax» (em inglês). Sputnikmusic. Consultado em 14 de dezembro de 2014. 
  5. a b c d Wright (9 de dezembro de 2009). «Subgenre(s) of the Week: Nintendocore (feat. Holiday Pop)» (em inglês). The Quest. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  6. a b Loftus, Johnny. «HORSE the Band». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  7. Sutherland, Sam (15 de fevereiro de 2007). «Horse the Band - Pizza EP» (em inglês). Exclaim!. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  8. a b c «Horse The Band, Super 8 Bit Brothers, Endless Hallway ,and Oceana». The A. V. Club (em inglês). The Onion. 8 de novembro de 2010. Arquivado desde o original em 15 de março de 2012. Consultado em 2 de janeiro de 2015. 
  9. Turull, Alisha (6 de outubro de 2009). «New Releases: Lita Ford, the Fall of Troy, Horse the band, Immortal, Inhale Exhale». Noisecreep (em inglês). AOL. Consultado em 4 de janeiro de 2011. 
  10. Leahey, Andrew. «A Natural Death». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  11. Loftus, Johnny. «The Mechanical Hand». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  12. Loftus, Johnny. «R. Borlax [Bonus Tracks]». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  13. Weber, Scott (Moderador do site). «Horse the Band - The Mechanical Hand» (em inglês). AbsolutePunk. Consultado em 1° de janeiro de 2015. 
  14. Hughes, Josiah (8 de agosto de 2008). «Hella guitarist Spencer Seim releases solo album as sBACH» (em inglês). Exclaim!. Consultado em 1° de janeiro de 2015. 
  15. a b c d e Bayer, Jonah (3 de maio de 2009). «Like Video Games? You’ll Love Nintendocore» (em inglês). Gibson Guitar Corporation. Consultado em 1° de janeiro de 2011. 
  16. Rene Gutel (26 de agosto de 2004). «The Rise of Nintendo Rock». NPR (em inglês). KJZZ 91.5. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  17. Moerder, Adam (Staff member). «The Depreciation Guild - In Her Gentle Jaws» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  18. Yun, Elizabeth (4 de janeiro de 2011). «Math the Band Strive to 'Take Fun Seriously' -- Exclusive Video». Spinner.com (em inglês). AOL. Arquivado desde o original em 17 de novembro de 2011. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  19. Pertola, Petteri (28 de maio de 2009). «Karate High School - Invaders» (em inglês). Rockfreaks.net. Consultado em 5 de janeiro de 2015. 
  20. Moerder, Adam (25 de outubro de 2007). «Album Reviews: The Octopus Project - Hello, Avalanche» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  21. Moerder, Adam (14 de julho de 2006). «Album Review: An Albatross - Blessphemy (of the Peace-Beast Feastgiver and the Bear-Warp Kumite)» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  22. Sean Reid (19 de maio de 2010). «Alter The Press!:Album Review:Rolo Tomassi - Cosmology» (em inglês). Alter The Press!. Consultado em 15 de junho de 2011. 
  23. «Crystal Castles». SPIN Magazine (em inglês). SPIN Media vol 23, ed. 12: p. 26 0886-3032. dezembro 2007. 
  24. Moerder, Adam (23 de março de 2005). «Album Reviews: Hella - Church Gone Wild/Chripin' Hard» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 4 de janeiro de 2015. 
  25. Synyard, Dave (19 de fevereiro de 2008). «Sky Eats Airplane Everything Perfect On The Wrong Day» (em inglês). Exclaim!. Consultado em 5 de janeiro de 2015.