Nix (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nix
Satélite Plutão II
Nix cropped from family portrait.png
Nix fotografada pela New Horizons em 14 de julho de 2015.
Características orbitais[1]
Semieixo maior 48 708
Excentricidade 0,0030
Período orbital 24,856 ± 0,001 d (0,068 a)
Velocidade orbital média 12 km/s km/s
Inclinação 0,195 °
Características físicas
Dimensões 49,8 km × 33,2 km × 31,1 km[2]
Área da superfície ? km²
Massa 4,5 ± 4 ×1016[3] kg
Densidade média 1,37[2] g/cm³
Gravidade equatorial 0,000 163 g
Período de rotação 1,829 d
Velocidade de escape ? km/s
Albedo 0,56
Temperatura média: -240 °C a -218 ºC
Magnitude aparente 23,38 a 23,7 [4]
Composição da atmosfera
Pressão atmosférica Inexistente
Imagens da descoberta de S/2005 P 2.

Nix é um satélite natural de Plutão. Ele foi descoberto junto com Hidra em junho de 2005 e foi visitada pela sonda espacial New Horizons em julho de 2015, após uma viagem de 9 anos pelo sistema solar.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

Nix foi descoberto pela Equipe de Busca de Plutão do telescópio espacial Hubble, composta por Hal A. Weaver, S. Alan Stern, Max J. Mutchler, Andrew J. Steffl, Marc William Buie, William Merline, John R. Spencer, Eliot F. Young e Leslie A. Young.

As imagens da descoberta foram feitas em 15 de maio de 2005 e 18 de maio de 2005; as luas foram avistadas pela primeira vez por Max J. Mutchler em 15 de junho de 2005 e as descobertas foram anunciadas em 31 de outubro, depois de confirmações obtidas por outras observações. A lua foi provisoriamente designada S/2005 P 2.[5][6]

Órbita[editar | editar código-fonte]

A lua segue uma órbita circular no mesmo plano que Caronte. Seu período orbital de 24,9 dias é próximo a uma ressonância orbital de 1:4 com Caronte, mas a discrepância de tempo é de 2,7%, o que sugere que não há ressonância ativa.[1] Uma hipótese que explica tal coincidência é que Nix se originou antes da separação entre Caronte e Plutão, a que se seguiu a formação das três luas conhecidas, e é mantida pela flutuação periódica local de 15% no campo gravitacional Plutão-Caronte.

Características[editar | editar código-fonte]

Nix tem uma forma alongada, com seu eixo mais longo medido a 49,8 km de diâmetro e seu eixo mais curto medido a 31,1 km de diâmetro. Isso dá a Nix as dimensões medidas de 49,8 km × 33,2 km × 31,1 km.[7]

A presença de gelo em sua superfície faz com que Nix tenha uma alta refletividade.[8] Pesquisas iniciais mostraram que a superfície de Nix é de cor avermelhada.[9] Ao contrário disso, outros estudos mostram que Nix é espectralmente neutro, semelhante às pequenas luas de Plutão.[10][11]

A área avermelhada é considerada uma grande cratera de impacto onde o material avermelhado foi ejetado por baixo da camada de gelo de água de Nix e depositado em sua superfície.[12] Nesse caso, Nix provavelmente teria regolitos originados do impacto.[13] Outra explicação sugere que o material avermelhado pode ter se originado de uma colisão com Nix e outro objeto com uma composição diferente. No entanto, não houve variações significativas de cor em outras crateras de impacto em Nix.[13]

Rotação[editar | editar código-fonte]

Nix não é travado por maré e roda caoticamente de forma semelhante a todas as luas menores de Plutão; a inclinação axial da lua e o período de rotação variam muito em escalas de tempo curtas.[14] Devido à rotação caótica de Nix, ele pode ocasionalmente virar todo o seu eixo de rotação.[15] As influências gravitacionais variáveis ​​de Plutão e Caronte enquanto orbitam seu baricentro causa a queda caótica das pequenas luas de Plutão.[14] A queda caótica de Nix também é reforçada por sua forma alongada, que cria torques que agem sobre o objeto.[16][14]

Nome[editar | editar código-fonte]

Nix (a esquerda) e Hydra (a direita), imagem capturada pela New Horizons em 15 de Julho de 2015.

A lua foi apelidada inicialmente de "Boulder", em homenagem à cidade onde os instrumentos do Hubble foram construídos. O nome formal "Nix", da deusa grega da escuridão e da noite, e mãe de Caronte, foi anunciado em 21 de junho de 2006, na Circular 8723 da UAI,[6] onde a designação Plutão II também foi dada. Juntamente com Hidra, a terceira lua de Plutão, as iniciais são as da sonda New Horizons. A proposta inicial era usar a ortografia clássica Nyx, mas para evitar confusão com o asteróide 3908 Nyx, este foi mudado para "a ortografia egípcia do nome grego".[17]

Referências

  1. a b Buie, M. W.; Grundy, W. M.; Young, E. F.; Young, L. A.; and Stern, S. A. (2006). «Orbits and Photometry of Pluto's satellites: Charon, S/2005 P1, and S/2005 P2 [sic]». Astronomical Journal. 132. 290 páginas. doi:10.1086/504422  (Final preprint) a, i, e per JPL (site updated 2008 Aug 25)
  2. a b Verbiscer, Anne J.; Porter, Simon B.; Buratti, Bonnie J.; Weaver, Harold A.; Spencer, John R.; Showalter, Mark R.; Buie, Marc W.; Hofgartner, Jason D.; Hicks, Michael D. (12 de janeiro de 2018). «Phase Curves of Nix and Hydra from the New Horizons Imaging Cameras». The Astrophysical Journal (2): L35. ISSN 2041-8213. doi:10.3847/2041-8213/aaa486. Consultado em 25 de julho de 2021 
  3. Stern, S. A.; Bagenal, F.; Ennico, K.; Gladstone, G. R.; Grundy, W. M.; McKinnon, W. B.; Moore, J. M.; Olkin, C. B.; Spencer, J. R. (16 de outubro de 2015). «The Pluto system: Initial results from its exploration by New Horizons». Science (em inglês) (6258): aad1815–aad1815. ISSN 0036-8075. doi:10.1126/science.aad1815. Consultado em 25 de julho de 2021 
  4. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome Stern06b
  5. IAU Circular No. 8625 Arquivado em 2 de outubro de 2008, no Wayback Machine. descrevendo a descoberta
  6. a b IAU Circular No. 8723 nomeando as luas
  7. Verbiscer, Anne J.; Porter, Simon B.; Buratti, Bonnie J.; Weaver, Harold A.; Spencer, John R.; Showalter, Mark R.; Buie, Marc W.; Hofgartner, Jason D.; Hicks, Michael D. (12 de janeiro de 2018). «Phase Curves of Nix and Hydra from the New Horizons Imaging Cameras». The Astrophysical Journal (2): L35. ISSN 2041-8213. doi:10.3847/2041-8213/aaa486. Consultado em 25 de julho de 2021 
  8. Cain, Fraser (3 de setembro de 2015). «Pluto's Moon Nix». www.universetoday.com. Consultado em 25 de julho de 2021 
  9. Buie, Marc W.; Grundy, William M.; Young, Eliot F.; Young, Leslie A.; Stern, S. Alan (julho de 2006). «Orbits and Photometry of Pluto's Satellites: Charon, S/2005 P1, and S/2005 P2». The Astronomical Journal (em inglês) (1): 290–298. ISSN 0004-6256. doi:10.1086/504422. Consultado em 25 de julho de 2021 
  10. Stern, Daniel; Chary, Ranga-Ram; Eisenhardt, Peter R. M.; Moustakas, Leonidas A. (setembro de 2006). «Spitzer Observations of the Prototypical Extremely Red Objects HR 10 and LBDS 53W091: Separating Dusty Starbursts from Old Elliptical Galaxies». The Astronomical Journal (em inglês) (3): 1405–1414. ISSN 0004-6256. doi:10.1086/506347. Consultado em 25 de julho de 2021 
  11. Weaver, H. A.; Buie, M. W.; Buratti, B. J.; Grundy, W. M.; Lauer, T. R.; Olkin, C. B.; Parker, A. H.; Porter, S. B.; Showalter, M. R. (18 de março de 2016). «The small satellites of Pluto as observed by New Horizons». Science (em inglês) (6279): aae0030–aae0030. ISSN 0036-8075. doi:10.1126/science.aae0030. Consultado em 25 de julho de 2021 
  12. Porter, Simon. «Pluto's Small Moons Nix and Hydra». blogs.nasa.gov 
  13. a b Weaver, H. A.; Buie, M. W.; Buratti, B. J.; Grundy, W. M.; Lauer, T. R.; Olkin, C. B.; Parker, A. H.; Porter, S. B.; Showalter, M. R. (18 de março de 2016). «The small satellites of Pluto as observed by New Horizons». Science (em inglês) (6279): aae0030–aae0030. ISSN 0036-8075. doi:10.1126/science.aae0030. Consultado em 25 de julho de 2021 
  14. a b c Northon, Karen (3 de junho de 2015). «NASA's Hubble Finds Pluto's Moons Tumbling in Absolute Chaos». NASA. Consultado em 25 de julho de 2021 
  15. Chang, Kenneth (3 de junho de 2015). «Astronomers Describe the Chaotic Dance of Pluto's Moons». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 25 de julho de 2021 
  16. Showalter, M. R.; Hamilton, D. P. (junho de 2015). «Resonant interactions and chaotic rotation of Pluto's small moons». Nature (em inglês) (7554): 45–49. ISSN 0028-0836. doi:10.1038/nature14469. Consultado em 25 de julho de 2021 
  17. «Planet and Satellite Names and Discoverers». Gazetteer of Planetary Nomenclature. USGS Astrogeology. 21 de julho de 2006. Consultado em 15 de agosto de 2006