Noite dos tambores silenciosos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Noite dos tambores silenciosos é uma cerimônia de sincretismo religioso realizada em pleno Carnaval do Recife, na noite de segunda-feira, no Pátio do Terço.

Noite dos tambores silenciosos.jpg

A cerimônia reúne maracatus de Pernambuco, para louvar a Virgem do Rosário, padroeira dos negros.

História[editar | editar código-fonte]

No Brasil, na época da Escravatura, os negros não podiam expressar sua religiosidade, suas crenças e tradições. Realizavam, por isso, cortejos em silêncio.

Mesmo após a Abolição da escravatura, esses rituais continuaram a ser realizados. Com o tempo, todas as comunidades negras do Recife foram se agregando e celebrando, às segundas-feiras, a Noite dos tambores silenciosos.

Em 1961[1], por iniciativa do jornalista e sociólogo Paulo Viana, houve uma campanha para resgatar e valorizar os ritos africanos. Foi criada a Noite dos tambores silenciosos, que passou a ser destaque no carnaval recifense.

Acontece toda segunda-feira de carnaval no Pátio do Terço, em frente à Igreja Nossa Senhora do Terço.

Após o desfile de maracatus, apagam-se todas as luzes e os tambores se silenciam para a oração em iorubá , realizada pelo Rei e Rainha do Maracatu.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Um artigo no Diário de Pernambuco 2/12/1961 mostra que a institucionalização deste evento remontaria ao dia 13/02/1961.