Nonoso (historiador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nonoso
Morte século VI
Nacionalidade Império Bizantino
Progenitores Pai: Abrâmio
Religião Catolicismo

Nonoso (em grego: Νόννοσος; transl.: Nónnosos) foi um embaixador bizantino filho e neto respectivamente dos também embaixadores Eufrásio e Ambrósio. Sob o imperador Justiniano (r. 527–565), foi enviado no final de 530/começo de 531 em uma missão à corte cindita de Caiso (r. 528–531); provavelmente sua missão estivesse vinculada com a missão diplomática mais ampla encabeçada por Juliano. Subsequentemente à corte cindita, Nonoso visitou o Reino de Axum.[1]

Ao retornar para Constantinopla, Nonoso produziu uma história sobre sua embaixada e a de seu pai. Dentre os temas abordados estava a religião árabe, elefantes e pigmentos. Atualmente o texto está completamente perdido, e a única informação a respeito dele provém da narrativa preservada por Fócio.[2]

Referências

  1. Martindale 1992, p. 948.
  2. Mariev 2010, p. 1154–1155.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mariev, Sergei (2010). «Nonnosos». Encyclopedia of the Medieval Chronicle. Leida e Boston: Brill 
  • Martindale, John R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1992). The Prosopography of the Later Roman Empire - Volume III, AD 527–641. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20160-8