Norbert Font i Sagué

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Norbert Font i Sagué

Norbert Font i Sagué (Barcelona, 17 de setembro de 1874 - Barcelona, 19 de abril de 1910) foi um geólogo, espeleólogo, naturalista e escritor catalão, considerado o pai da espeleologia na Espanha.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1874 em Barcelona, oriundo de uma modesta família trabalhadora, entrou para um seminário aos 14 anos para se tornar sacerdote. A sua inclinação para os estudos literários e para a arqueologia levaram-o a participar em diversos Jogos Florais, tendo ganho 16 prémios até aos 18 anos de idade. Em 1894, tornou-se sócio do Centro Excursionista da Catalunha (CEC), através do qual viria a conhecer o famoso espeleólogo francês Édouard-Alfred Martel, que acompanhou durante a exploração das mais destacadas grutas da Catalunha, Fou de Bor, em 1896.[1]

Sob a égide do CEC, Font i Sagué conduziu explorações a diversas grutas durante os anos que se seguiram, período durante o qual publicou as suas primeiras obras, entre as quais se destaca o Catálogo espeleológico da Catalunha (1897). Tendo observado de perto as dificuldades e o amadorismo das primeiras explorações de Font i Sagué, o geólogo e engenheiro de minas Lluís Marià Vidal i Carreras, então presidente do CEC, investiu na compra de material de apoio e de segurança para este, incluindo um capacete de bombeiro que se tornaria numa das suas imagens de marca.[1]

Em 1900, foi ordenado sacerdote e começou o curso de Ciências Naturais na Universidade de Barcelona, que prosseguiria em Madrid até se licenciar em 1902 com a classificação de "excelente". Em 1904, exerceu a cátedra de geologia dos Estudos Universitários Catalães e publicou a obra Curso de geologia dinâmica e estratigráfica aplicada à Catalunha.[1] Em 1906, foi nomeado membro da Junta Autónoma de Ciências Naturais do município de Barcelona, que por sua iniciativa decidiu criar um museu petrográfico ao ar livre no Parque da Cidadela,[1] com reproduções à escala natural de animais extintos;[2] a primeira e única a ser executada foi um grande mamute, construído em 1907 segundo uma maquete do escultor Miquel Dalmau.[2]

Norbert Font i Sagué faleceu em 1910 devido a uma infeção de origem incerta, deixando incompleta a sua última obra, um grande volume sobre a orografia da Catalunha.[1] Em sua memória, a Federação Catalã de Espeleologia atribui todos os anos o prémio "Norbert Font i Sagué" aos melhores trabalhos espeleológicos realizados na Espanha.[carece de fontes?]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Catálogo espeleológico da Catalunha (1897)
  • História da Catalunha (1899)
  • Breve compêndio da história da literatura catalã (1900)
  • Curso de geologia dinâmica e estratigráfica aplicada à Catalunha (1904)
  • História das ciências naturais na Catalunha do século IX ao XVIII (1908)
  • O dilúvio bíblico segundo a geologia (1909)
  • Notas cientificas (1909)

Referências

  1. a b c d e f Alexandri Ere, Ferran (2006). «Norbert Font y Sagué» (pdf). Madrid: Federação Espanhola de Espeleologia. Subterránea (em espanhol) (25): 28-34. ISSN 2174-0070. Consultado em 12 de janeiro de 2012. 
  2. a b «El Parc de la Ciutadella». Espais verds (em catalão). Ajuntament de Barcelona. Consultado em 12 de janeiro de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.