Noriel Vilela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Noriel Vilela (3 de maio de 1936 - 20 de janeiro de 1975) foi um cantor com voz de baixo profundo carioca.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Noriel Vilela (Aonoriel Vilela Arantes) fez carreira como integrante do grupo vocal de samba Cantores de Ébano, que teve relativo sucesso nos anos 1950. Vilela também lançou o álbum-solo Eis o Ôme em 1969.

A voz do cantor era um baixo profundo com uma dicção única no Samba. Seu segundo álbum "Eis o Ôme" é uma sucessão de faixas de sambalanço com forte tempero afro, não apenas na sonoridade, como também na temática, voltada para a umbanda.

Noriel Vilela morreu em 20/01/1975, aos 39 anos, no Hospital de Bonsucesso, Rio de Janeiro (cidade), Guanabara, vítima de Leucemia, agravada por uma Anemia Profunda. (fonte: Jornal O Fluminense, de 21/01/1975). Por essa época, o Grupo Cantores de Ébano se desfez por algum tempo, até que se encontrasse um substituto à altura para o cantor.

Um dos grandes sucessos de Vilela foi a canção "Dezesseis Toneladas", uma versão para o português de um clássico norte-americano do pop-country-folk dos anos 1940, "Sixteen Tons", de Ernie Ford e Merle Travis. Em 2014 a cervejaria holandesa Heineken utilizou a versão do brasileiro em uma propaganda comercial[1]. A banda paulista Funk Como Le Gusta regravou a versão de Vilela, tentando até mesmo reproduzir sua voz grave, no álbum Roda de Funk.

Vilela goza atualmente de um revival cult entre os admiradores do sambalanço e seu nome é facilmente encontrável nas redes de compartilhamento de arquivos da internet.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências