Nossa Senhora da Penha de França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Nossa Senhora da Penha redireciona para este artigo. Para o bairro de Coronel Fabriciano, veja Nossa Senhora da Penha (Coronel Fabriciano).
Nossa Senhora da Penha de França
Imagem da Nossa Senhora da Penha de França no santuário original, em Espanha
Venerada pela Igreja Católica
Principal igreja Santuário de Nossa Senhora da Penha de França
Festa litúrgica 8 de setembro
Padroeira de Espírito Santo (Brasil)[1], Itapira (Brasil), Resende Costa (Brasil), São Paulo (Brasil), Corumbá de Goiás [Goiás] (Brasil), Ciudad Rodrigo (Espanha), Província de Salamanca (Espanha), e Bicol (Filipinas).
Imagem da Nossa Senhora da Penha de França, Ermida de Nossa Senhora da Penha de França, Praia do Norte, concelho de Horta, ilha do Faial, Açores
Vista aérea do Convento da Penha, construído em 1568 na cidade de Vila Velha, Espírito Santo
Vista do bairro da Penha e de Igreja de Nossa Senhora da Penha de França (Rio de Janeiro).
Igreja primitiva de Nossa Senhora da Penha de França, em Naga (Camarines Sur, Filipinas).

Nossa Senhora da Penha de França ou Nossa Senhora da Penha é um dos nomes que recebe Maria, mãe de Jesus, que acreditam os católicos, apareceu a Simão Vela no oeste da Espanha, numa serra chamada Penha de França. Lá, sua festa é comemorada no dia 8 de setembro. Também em São Paulo e em Itapira ocorre a cada 8 de setembro. Em Resende Costa, onde é padroeira, comemora-se no dia 1° de setembro, assim como na cidade do crato. Já no Espírito Santo, mais precisamente na Grande Vitória, a Festa da Penha é realizada todos os anos no Convento da Penha na cidade de Vila Velha sempre oito dias depois do domingo de Páscoa[2], sendo feriado municipal em Cariacica[3], Vila Velha[4], Vitória[5] e também em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado. É considerada pela Igreja Católica como a terceira maior festa religiosa do Brasil, ficando atrás somente da comemoração que homenageia a padroeira do Brasil, em Aparecida (São Paulo), e do Círio de Nazaré, em Belém, no Pará.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Existia no oeste da Espanha uma serra muito alta e íngreme chamada Penha de França, na província de Salamanca.

Por volta de 1434, segundo algumas fontes históricas no dia 19 de maio, certo peregrino francês sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no topo de escarpada montanha[6], em razão de uma guerra entre cristãos e muçulmanos, na qual os católicos escondiam suas imagens para não serem destruídas, cercada de luz e acenando para que ele fosse procurá-la. Simão Vela, assim se chamava o peregrino, durante cinco anos andou procurando a mencionada serra, até que um dia teve indicação de sua localização e para lá se dirigiu. Após três dias de intensa caminhada, pela razão de segundo ele próprio, em seus êxtases ouvir sempre a advertência divina: "Simão, vela e não durma!" (pelo que passou a adotar o sobrenome de Vela, como ficou conhecido), escalando penhas íngremes, o monge parou para descansar, quando viu sentada perto dele uma formosa senhora com o filho ao colo que lhe indicou o lugar onde encontraria o que procurava. Auxiliado por alguns pastores da região, conseguiu achar a imagem que avistara em sonho.

Construiu Simão Vela uma tosca ermida nesse local, que logo se tornou célebre pelo grande número de milagres alcançados por intermédio da Senhora da Penha de França, e mais tarde ali foi construído um santuário no topo da Penha de França, no município de El Cabaco (Salamanca, Espanha). O intelectual católico francês Maurice Legendre influenciou a recuperação do santuário (especificamente, em 1934 organizou uma peregrinação para marcar o quinto centenário da descoberta da imagem). Legendre é enterrado na nave da igreja.

Iconografia da imagem[editar | editar código-fonte]

A imagem comum do título é a do viajante a cavalo, atacado por uma cobra e salvo por um jacaré (versão brasileira do lagarto). No alto vê-se Nossa Senhora da Penha com o Menino Jesus no braço esquerdo e a mão direita estendida segurando às vezes um cetro. Esta representação da Virgem Maria é geralmente em pinturas, pois as esculturas mostram somente Maria com o Menino ao colo.

Milagres[editar | editar código-fonte]

Um tempo após a famosa batalha de Alcácer-Quibir, uma peste assolou Portugal e como a Espanha se livrara do flagelo graças à intervenção de Nossa Senhora da Penha de França, o Senado da Câmara de Lisboa prometeu à Mãe de Deus construir um grandioso templo, se ela livrasse a cidade da moléstia. Extingui-se a epidemia quase subitamente, a Câmara mandou edificar magnífico santuário naquele local.

Este templo passou a atrair milhares de peregrinos e em certa ocasião um devoto, tendo subido ao alto da penedia vencido pelo cansaço adormeceu. Uma grande cobra aproximou-se para picá-lo quando um enorme lagarto saltou sobre ele despertando-o a tempo de matar a serpente com o seu bastão. Essa é a razão pela qual a imagem de Nossa Senhora da Penha tem aos pés um peregrino, a cobra e o lagarto.

Começo da veneração da Santa no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a devoção veio trazida pelos colonizadores portugueses. A primeira ermida em sua honra foi erguida em Vila Velha, na antiga Capitania do Espírito Santo, entre 1558 e 1570 pelo Frei Pedro Palácios, um espanhol fervoroso devoto da santa. Depois foi erguida a da Penha do Irajá (1635).

Devoção a Nossa Senhora da Penha em São Paulo

Na cidade de São Paulo, em 1667, foi erguida uma pequena capela em devoção a Nossa Senhora da Penha de França e, em seu entorno, desenvolveu-se um dos bairros mais antigos, populosos e tradicionais da capital paulistana: a Penha de França, que, atualmente, abriga a antiga igreja matriz (na região conhecida por "igreja velha") e a basílica (conhecida por "igreja nova"), cuja pedra fundamental foi lançada em 1957. Ambos os templos são dedicados a Nossa Senhora da Penha de França e sua data festiva é celebrada a cada dia 8 de setembro.

Devoção a Nossa Senhora da Penha em Resende Costa/MG

Segundo moradores e fiéis, por volta de 1830, talvez alguns anos a mais ou a menos, o então padre residente em Resende Costa, na época Curato, Pe. Antônio de Pádua, após cumprir suas obrigações religiosas, se dirigia para o casarão da chácara Dr. Gervásio e se colocava a esculpir a imagem da então padroeira de Resende Costa, Nossa Senhora da Penha de França. Logo no início do trabalho, o padre escultor plantou algumas palmeiras na estrada da chácara, de um lado e outro. No final do trabalho, tendo a imagem esculpida, a comunidade se colocou em procissão, no dia 1 de setembro (motivo pelo qual Resende Costa dedica esse dia a Nossa Senhora da Penha de França e não o dia 8 de setembro, como é próprio da liturgia católica), com a imagem nos ombros, em direção à Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha de França, onde passou ocupar o local mais alto do altar-mor, que ocupa até os dias atuais.

Devoção a Nossa Senhora da Penha em Itapira/SP

A Devoção á Nossa Senhora da Penha na cidade de Itapira, deu-se por conta de João Gonçalves de Morais, um dos fundadores da cidade, decidir derrubar a mata para construção de uma capela para abrigar a imagem de Nossa Senhora da Penha, que recebera de herança familiar, e proclamada padroeira da vila que haveria de se tornar em volta da capela, e posteriormente da cidade como nos dias atuais. Sua festa é celebrada em 08 de setembro, feriado municipal.

Locais do culto no mundo[editar | editar código-fonte]

Espanha[editar | editar código-fonte]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Basilica Nossa Senhora da Penha , Recife, Pernambuco, (Brasil)
  • Santuário de Nossa Senhora da Penha (Convento da Penha), Vila Velha, Espírito Santo.
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França, Jaraguá-GO, Brasil, construida em por volta de 1.720/30 aprox.
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França, Corumbá-GO, construida no século XVIII.
  • Santuário de Nossa Senhora da Penha de França, Penha de França, São Paulo, (Brasil).[13]
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França, Itapira, São Paulo (Brasil).
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França, Resende Costa, Minas Gerais (Brasil).
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, Morro do Coco, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro (Brasil)
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, Bairro da Penha, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro (Brasil)
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, Conselheiro Josino, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro (Brasil)
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha de França, Rio de Janeiro (Brasil).
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha de França, Salvador, Bahia (Brasil).
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha, Anjo da Guarda, São Luís do Maranhão (Brasil)
  • Igreja Catedral de Nossa Senhora da Penha, Crato, Ceará, Brasil.
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha, Praia de Atafona, São João da Barra, Rio de Janeiro (Brasil)
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha, Bairro Penha, Barbacena, Minas Gerais (Brasil)
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha, Praia da Penha, João Pessoa, Paraíba (Brasil)
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França, Bairro de Penha de França, São Paulo, São Paulo (Brasil)
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha, Bairro Jardim Brasília, Americana, São Paulo (Brasil)
  • Igreja de Nossa Senhora da Penha, Matriz - centro de Estrela d'Oeste, São Paulo (Brasil)

México[editar | editar código-fonte]

Índia[editar | editar código-fonte]

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Anônimo: "Historia y milagros de Nuestra Señora de la Peña de Francia...", Viuda de Ramírez, Salamanca, 1614.[18] (em espanhol)
  • Castro, Fray Felipe María: "Nuestra Señora de Peña de Francia", Salamanca, 1948.[19] (em espanhol)
  • Colunga, Alberto: "Santuario de la Peña de Francia", Salamanca, 1990.[20] (em espanhol)
  • Espinel, José Luis: "Peña de Francia: Historia, peregrinos y paisajes", Salamanca, 2002. (em espanhol)
  • Legendre, Maurice: "Notre Dame de France en Espagne", Madrid, 1945. (em francês)
  • Pérez Casado, Ángel e Encinas Martín, Alfredo: "Peña de Francia: historia, arte, entorno", Salamanca, 2003.[21] (em espanhol)
  • Soria Heredia, Fernando: "El Santuario de Nuestra Señora de la Peña de Francia", Salamanca, 1988.[22] (em espanhol)
  • Vázquez, Jesús María: "Peña de Francia. El libro del peregrino", Salamanca, 1995.[23] (em espanhol)
  • Rentero Mateos, Raúl: "La Montaña Dorada", auto-edição, 2015.[24] (em espanhol)

Referências

  1. Governo do Estado do Espírito Santo. «SÍMBOLOS OFICIAIS». Consultado em 29 de fevereiro de 2016. 
  2. a b Prefeitura de Vila Velha. «Cultura, Esporte e Lazer - Festa da Penha». Consultado em 29 de fevereiro de 2016. 
  3. Prefeitura de Cariacica. «Feriados e pontos facultativos de 2016 (Decreto nº 188/2015)». Consultado em 29 de fevereiro de 2016. 
  4. Prefeitura de Vila Velha. «Prefeitura divulga calendário de feriados e pontos facultativos de 2016». Consultado em 29 de fevereiro de 2016. 
  5. Prefeitura de Vitória. «LISTA MOSTRA OS FERIADOS E OS PONTOS FACULTATIVOS DE 2016». Consultado em 29 de fevereiro de 2016. 
  6. Felix Barroso Gutiérrez. «"Las Hurdes, tres estampas etnográficas", en Revista de Folclore, nº 162 (Fundación Joaquín Díaz, Valladolid)». «El hecho histórico de la aparición de la Virgen de la Peña se remonta al siglo XV. Por 1434, miércoles de la infraoctava del Espíritu Santo, reinando en Castilla Juan II, el peregrino francés Simón Roland -más conocido por Simón Vela-, tras siete años de búsqueda, encontrará, dentro de una covacha, una de esas tallas negras, que pasará a llamarse la Virgen de la Peña de Francia. Posteriormente, en otros refugios rocosos de esta montaña aparecerán otras imágenes, casi todas ellas de factura románica, que, sin lugar a dudas, fueron escondidas por los cristianos ante el avance musulmán en la Península Ibérica.» 
  7. http://www.minube.com/rincon/iglesia-de-san-andres-a435621
  8. http://www.citpuerto.com/es/puerto-de-la-cruz/lugares-de-interes/iglesia-de-nuestra-senora-de-la-pena-de-francia/
  9. Bien de Interés Cultural con categoría de Monumento: http://www.gobcan.es/boc/2003/109/boc-2003-109-009.pdf
  10. "El culto a esta virgen está en Salamanca, y de ahí se extendió a todo el mundo" (Faro de Vigo, 28-8-2013): http://www.farodevigo.es/portada-deza-tabeiros-montes/2013/08/28/culto-virgen-salamanca-extendio-mundo/867573.html
  11. http://www.caniza.org/docs/romeria_pena_francia.pdf
  12. http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=5033
  13. Santuário de Nossa Senhora da Penha de França, Penha de França, São Paulo: http://www.diocesesaomiguel.org.br/index.php/basilica-da-penha/santuario-nossa-senhora
  14. Igreja de Nossa Senhora da Penha de França, Villa del Carbón, México: http://villadelcarbon-puebloconencanto.blogspot.com.es/2012/01/virgen-de-la-pena-de-francia.html
  15. Britona (Goa): http://www.hpip.org/def/pt/Conteudos/Navegacao/NavegacaoGeograficaToponimica/Localidade?a=624
  16. Igreja de Nossa Senhora da Penha de França, Britona, Goa (Índia): http://www.hpip.org/def/pt/Homepage/Obra?a=1446
  17. Monumentos de Naga (Filipinas): http://naga.gov.ph/see-naga/attractions/
  18. Anônimo: Historia y milagros de Nuestra Señora de la Peña de Francia..., impreso en Viuda de Ramírez, Salamanca, 1614.
  19. Castro, Fray Felipe María: "Nuestra Señora de Peña de Francia", Salamanca, 1948.
  20. Colunga, Alberto: Santuario de la Peña de Francia, Salamanca, 1990.
  21. Pérez Casado, Ángel e Encinas Martín, Alfredo: Peña de Francia: historia, arte, entorno, Salamanca, 2003.
  22. Soria Heredia, Fernando: El Santuario de Nuestra Señora de la Peña de Francia, Salamanca, 1988.
  23. Vázquez, Jesús María: "Peña de Francia. El libro del peregrino", Salamanca, 1995.
  24. Raúl Berzosa - Bispo de Ciudad Rodrigo (Virgen de la Peña de Francia, 8-9-2015): ¿Quién es Nuestra Señora de la Peña de Francia?… Os confieso que, a raíz de la publicación del libro “La Montaña dorada”, del escritor Raúl Rentero Mateos, me puse a investigar sobre la historia de esta imagen y de este santuario.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Santuario de Nuestra Señora de la Peña de Francia (Espanha).[1]
  • Santuário de Nossa Senhora da Penha de França (Lisboa, Portugal). [2]
  • Santuário de Nossa Senhora da Penha de França (São Paulo, Brasil).[3]
  • Santuário de Nossa Senhora da Penha de França (Rio de Janeiro, Brasil). [4]
  • Santuário de Nossa Senhora da Penha (Convento da Penha) (Vila Velha, Brasil). [5]