Nossa Vida não Cabe num Opala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nossa Vida Não Cabe Num Opala
 Brasil
2008 •  cor •  104 min 
Direção Reinaldo Pinheiro
Produção executiva Marçal Souza
Roteiro Di Moretti
(baseado em peça de Mário Bortolotto)
Baseado em Nossa Vida Não Vale Um Chevrolet
de Mário Bortolotto
Elenco Leonardo Medeiros
Milhem Cortaz
Gabriel Pinheiro
Maria Manoella
Jonas Bloch
Maria Luiza Mendonça
Paulo César Pereio
Marília Pêra
Género Drama
Música Maestro Marcello Amalfi
Mário Bortolotto
Direção de arte Mônica Pallazo
Direção de fotografia Jacob Solitrenick
Edição Willem Dias
Distribuição Imovision
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Nossa Vida Não Cabe Num Opala é um filme brasileiro de 2008, do gênero drama, dirigido por Reinaldo Pinheiro. É uma adaptação da peça Nossa Vida Não Vale Um Chevrolet, escrita por Mário Bortolotto.

O filme marca a última aparição cinematográfica da atriz Dercy Gonçalves.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Baseada em peça teatral de Mário Bortolotto, a adaptação conta a vida de quatro irmãos de uma família paulistana de classe média baixa, após a morte de seu patriarca (Oswaldão, interpretado por Paulo Césa Pereio), que mesmo morto, passa a assistir e intervir às atitudes dos filhos em relação a herança maldita deixada por ele.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Cine Ceará - National Cinema Festival 2008

  • Venceu na categoria de melhor roteiro.

Recife Cine PE Audiovisual Festival 2008

  • Venceu nas categorias de melhor filme, melhor direção de arte, melhor atriz (Maria Luísa Mendonça), melhor trilha sonora, melhor roteiro.

Cinema Brazil Grand Prize 2009

  • Indicado na categorias de melhor roteiro adaptado.

Prêmio Contigo Cinema, Brazil 2009

  • Indicado na categorias de melhor roteiro.

Referências

  1. Namur, Virginia Maisano (2012). «Riso e resistência : o cinema de Dercy Gonçalves». Recine : revista do Festival Internacional de Cinema de Arquivo. 9 (9): 66-75