Notas relativas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Acordes são formados de tônica (primeira), terça e quinta. Os acordes que possuem duas notas iguais são os chamados de acordes relativos. Note que a tônica nunca poderá ser igual, pois isso faria com que o acorde se mantivesse o mesmo, pois é a tônica que dá o nome da tríade. Em um campo harmônico, existem os acordes fundamentais, que são o primeiro o quarto e quinto graus; existe também os acordes relativos, que são o segundo o terceiro e o sexto graus, e os acordes de passagem, que são o sétimo e o oitavo graus: o sétimo grau é um acorde diminuto ou meio diminuto, e o oitavo grau é um acorde com sétima que também é de passagem.

Nota: no acorde fundamental, a tônica passará a ser a terça de sua relativa

no acorde relativo, a quinta passará a ser a terça da fundamental.

exemplo:

Acorde de C = dó é formado de:

C = tônica

E = terça

G = quinta

Agora veja o acorde de Am que é a relativa de C:

A = tônica

C = terça

E = quinta

Principais Acordes Relativos[editar | editar código-fonte]

  • C(dó) => Am
  • D(ré)=> Bm
  • E(mí)=> C#m
  • F(fá)=> Dm
  • G(sol)=> Em7/F#(115b)
  • A(lá)=> F#m
  • B(sí)=> G#m

**(#= Sustenido), (m = menor).

A nota relativa está no sexto grau da nota base, mas também pode ser encontrada subtraindo um tom e meio desta nota:

A B C
+-----+--+

A nota A (lá) está a menos um tom e meio de C (dó), esta é sua relativa que na escala de C (dó) também é encontrada no seu sexto grau.

C D E F G A B C
+-----+-----+--+-----+-----+-----+--+
                           ^