NovaBrasil FM São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
NovaBrasil FM São Paulo
{{{alt}}}
Rede Central de Comunicação Ltda.
País Brasil
Frequência(s) FM 89.7 MHz
Sede São Paulo, SP
Slogan Moderna e brasileira
Fundação 27 de junho de 1977 (44 anos)
Pertence a Grupo Thathi de Comunicação [1]
Proprietário(s) Chaim Zaher
Antigo(s) proprietário(s)
Formato Comercial
Afiliações NovaBrasil FM
Idioma Português
Prefixo ZYD 801
Nome(s) anterior(es)
  • FM Record (1977-1989)
  • Nova FM Record (1989-1992)
  • Nova FM (1992-2000)
Cobertura Região Metropolitana de São Paulo
Página oficial www.novabrasilfm.com.br

NovaBrasil FM São Paulo é uma emissora de rádio brasileira com sede em São Paulo, capital do estado homônimo. Opera no dial FM, na frequência 89.7 MHz, e é uma emissora própria e cabeça de rede da NovaBrasil FM, de propriedade do Grupo Thathi de Comunicação[2].

História[editar | editar código-fonte]

Lançada por Paulo Machado de Carvalho e Silvio Santos, a 89.7 MHz se chamava FM Record e era uma emissora de programação adulta, desde 1977 até setembro de 1989 (incluía retransmissão de parte da Rádio Record) e de programação jovem de outubro de 1989 a 1996. Em 1989 passou a se chamar Nova FM Record e em 1992, Nova FM.

Em junho de 1989 foi vendida para as Organizações Sol Panamby, do empresário e político Orestes Quércia, passando então a se chamar Nova FM Record. Em 1992, começa a atender somente pelo nome de Nova FM, mantendo sua programação jovem com Dance Music e Pop. No final de março de 1996, a Nova FM muda sua programação, passando a transmitir música adulto-contemporânea. A partir da compra das emissoras da rede Manchete FM (incluindo outra frequência FM em São Paulo), a Nova FM deu lugar à NovaBrasil FM a partir de 1.º de junho de 2000, quando passa a se dedicar a MPB contemporânea.[3] A mudança fez a audiência crescer 54% em três meses, com média de 24,2 mil ouvintes por minuto.[4]

Em outubro de 2020, é confirmada a venda da rede NovaBrasil FM e das demais empresas de comunicação do Grupo Solpanamby ao Grupo Thathi de Comunicação, do empresário Chaim Zaher, com base em Ribeirão Preto.[5][6] A nova administração assume no mês seguinte.

Referências

  1. https://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/mercado/bilionario-da-educacao-compra-afiliadas-de-band-record-e-radio-novabrasil-fm-44490
  2. https://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/mercado/bilionario-da-educacao-compra-afiliadas-de-band-record-e-radio-novabrasil-fm-44490
  3. Daniel Castro (31 de maio de 2000). «Nova FM adere hoje à música brasileira». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de junho de 2018 
  4. Magaly Prado (15 de setembro de 2002). «Emissora adota MPB e audiência cresce 54%». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de junho de 2018 
  5. «Empresário do ramo de educação compra TVs e rádio da família Quércia». Folha de S.Paulo. 20 de outubro de 2020. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  6. Beth Koike (20 de outubro de 2020). «Grupo Thathi adquire rádio NovaBrasil e afiliadas das TVs Bandeirantes e Record». Valor Econômico. Consultado em 21 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.