Nova Geração de Televisão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nova Geração de Televisão
Rede Brasil Total Serviços de Comunicação Ltda.
Fundação Veneza de Rádio e Televisão Educativa
Tipo Rede de televisão aberta
País Brasil
Fundação 8 de outubro de 2003
por Manoel Antônio Bernardes Costa
Pertence a Fundação de Fátima
Fundação Veneza
Cidade de origem Osasco, SP
Sede São Paulo, SP
Estúdios São Paulo, SP
Rio de Janeiro, RJ
Slogan Uma nova emoção no ar
Emissoras próprias NGT São Paulo (Osasco-São Paulo)
NGT Rio de Janeiro (Rio de Janeiro)
Emissoras afiliadas Lista de emissoras
Página oficial redengt.com.br
Disponibilidade aberta e gratuita
Digital
Disponibilidade por cabo
Claro NET TV
Canal 11 (Osasco)
RCA
Canal 20 (Colatina)
Canal 25 (Vitória)
Canal 26 (São Mateus)
Oi TV Fibra
Canal 16 (Rio de Janeiro)
Vivo TV Fibra
Canal 12 (Osasco)

Nova Geração de Televisão (conhecida como Rede NGT ou NGT) é uma rede de televisão aberta brasileira. Foi inaugurada em 8 de outubro de 2003 pelo empresário Manoel Antônio Bernardes Costa através da aquisição de concessões de TV educativa em Osasco, cidade do estado de São Paulo, em nome da Fundação de Fátima, e no Rio de Janeiro, capital do estado homônimo, em nome da Fundação Veneza, que se tornaram matrizes da rede.[1]

História[editar | editar código-fonte]

No início da década de 2000, o empresário Manoel Antônio Bernardes Costa adquire as concessões dos canais 48 UHF da cidade de Osasco, no estado de São Paulo, em nome da Fundação de Fátima, e 26 UHF do Rio de Janeiro, capital do estado homônimo, em nome da Fundação Veneza, ambas, de caráter educativo, pertencente até então à UniTV, e que se tornariam matrizes da Nova Geração de Televisão.[1][2] A empresa fabricante de antenas Mectrônica, de propriedade de Manoel, ficou responsável por bancar os custos da futura rede. Em 24 de abril de 2003, a sede da emissora, localizada no bairro Butantã, na capital paulista, que recebeu o nome Espaço 48, foi aberta para visitação do público. Sua estrutura foi montada por cerca de cem designers e decoradores coordenados por Regina Fronterotta e Ricardo Rangel, sendo este último, também, diretor geral da NGT.[3][4]

Com transmissão a partir de São Paulo pela Torre Cásper Líbero, localizada no Edifício Gazeta, na Avenida Paulista, que também retransmitia o sinal da TV Gazeta, a rede entrou no ar em 8 de outubro de 2003, exibindo oito horas de programação terceirizada em caráter experimental. Os documentários que compunham sua grade eram produzidos pelo canal educativo STV e pelos canais de TV paga argentinos Infinito e FashionTV, pertencentes à programadora Claxson, a qual a NGT firmou uma parceria.[2]

No início de 2006, passou a exibir apenas programação própria, baseada em variedades, jornalismo, filmes e esportes, através de uma parceria com a TV Esporte Interativo.

Entre 2010 e 2011, o canal fechou uma parceria com a E+ Entretenimento para exibir séries e filmes em sua grade. Entre 2011 e 2013, a NGT firmou uma parceria com a TV Diário de Fortaleza para a retransmissão de algumas atrações da emissora cearense na grade nacional da rede.[5] Em 25 de maio de 2015, a produtora independente Medialand licenciou seu conteúdo para exibição na rede.[6]

Em 14 de junho de 2017, parte da programação diária da NGT é arrendada à TV Plenitude, emissora da Igreja Apostólica Plenitude do Trono de Deus. O arrendamento foi encerrado em 17 de abril de 2018. Em 2019, a rede desativa seu departamento de jornalismo e passa a produzir apenas um programa, alugando todas as suas faixas horárias.[7]

Programas[editar | editar código-fonte]

Estes são alguns dos programas que compuseram a grade da NGT:

  • Alma Boêmia
  • Barlada
  • Boteco
  • Brasil Agro Sertanejo
  • Caminhos do Rodeio
  • Celeste Maria Recebe
  • Cine Cultura
  • Cotidiano
  • Desenhos Infantis
  • Esporte Universitário
  • Festa Popular
  • Jornal Metropolitano
  • Missa Rio
  • Na Levada do Samba
  • NGT Clipes
  • NGT Esportes
  • NGT Kids
  • NGT Notícias
  • NGT Show
  • Planet Kids
  • Pop Rio
  • Profissão Mulher
  • Programa do Jacaré
  • Sessão de Filmes
  • Sports Show
  • Stay Heavy
  • Temperando o Papo
  • TV Lisão
  • Viaja Brasil
  • 30 Minutos

Emissoras[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de emissoras da NGT

Referências

  1. a b «Autorização de TV educativa vale até R$ 3 mi». Folha de S.Paulo. 27 de agosto de 2002. Consultado em 20 de abril de 2020 
  2. a b Daniel Castro (11 de outubro de 2003). «NGT entra no ar com moda, arte e óvni». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de abril de 2020 
  3. «NGT inaugura sede, batizada de Espaço 48». Tela Viva News. 22 de abril de 2003. Consultado em 20 de abril de 2020 
  4. Robinson Borges. «CANAL CULTURAL NASCERÁ EM JULHO EM UHF». Valor Econômico. TV-Pesquisa. Consultado em 20 de abril de 2020. Edição de 31 de março de 2003. 
  5. «Após proibição, TV Diário consegue saída para exibir programas em rede nacional». NaTelinha. 1 de julho de 2011. Consultado em 22 de abril de 2020 
  6. Wallace Lopes (27 de maio de 2015). «NGT fecha parceira com a produtora Medialand». TVs do RJ. Consultado em 9 de dezembro de 2015 
  7. Guilherme Beraldo (20 de novembro de 2019). «Nanica, Rede NGT produz apenas um programa e torna-se um canal fantasma». Aqui Tem Fofoca. Consultado em 22 de abril de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]