Nova Guiné Ocidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa da Nova Guiné Ocidental

Nova Guiné Ocidental (também conhecida como Papua Ocidental) é a parte ocidental da Nova Guiné, simultaneamente a parte mais oriental da Indonésia. A região está administrativamente dividida nas províncias de Papua e Papua Ocidental. Já foi conhecida por vários nomes, incluindo Nova Guiné Holandesa (1895–1 de Outubro de 1962), Nova Guiné Oeste (1 de Outubro de 19621 de Maio de 1963), Irian Oeste (1 de Maio de 1963–1973), e Irian Jaya (1973–2000). A inclusão desta região na Indonésia continua a ser controversa, com muita da população indígena do território e muitas ONGs como o Free Papua Movement[1] [2] e a International Parliamentarians for West Papua (IPWP), que inclui parlamentares do Reino Unido, Nova Zelândia, Austrália e Vanuatu.[3] . Muitos dos que se opõem à inclusão da parte ocidental da Nova Guiné na Indonésia chamam-lhe Papua-Oeste. Fica situada a oeste do meridiano 141 E (excepto numa pequena parte do território a leste do rio Fly que pertence à Papua-Nova Guiné).

A incorporação da Papua Ocidental na Indonésia teve lugar em 1969, e tem sido desde então controversa e motivo de disputas.

Bandeira[editar | editar código-fonte]

Bandeira da Papua-Oeste

A bandeira é conhecida como Morning Star. As 13 barras representam as tribos, a banda vermelha a luta política, a estrela a esperança e as cores em conjunto (vermelho, azul e branco) a gratidão.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Divisão administrativa da Nova Guiné Ocidental :
  Papua

A região, que tem uma área de 421 981 km², é muito montanhosa e apresenta clima equatorial muito húmido. O Puncak Jaya, nos montes Maoke, atinge 5020 m de altitude, sendo o ponto mais alto do território, e a montanha mais alta do mundo numa ilha.

A selva cobre quase todo o território nos vales encaixados. As costas são baixas.

Economia[editar | editar código-fonte]

A Nova Guiné Ocidental tem um grande número de recursos naturais e mineiros. As populações locais vivem da agricultura de subsistência sobre queimadas, enquanto as culturas comerciais de palmeira, noz-moscada e cacau ocupam a maior parte das terras costeiras.

O subsolo da península da Cabeça de Pássaro (Vogelkop, ou península de Doberai) é rica em petróleo. Tem ainda numerosas minas de níquel na ilha de Waigeo e de cobalto. As minas de ouro e de cobre estão entre as mais produtivas do mundo.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]