Nova Ipixuna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Nova Ipixuna
Nova Ipixuna 01.jpg

Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 20 de outubro de 1993
Gentílico novoipixunense
Prefeito(a) Maria da Graça Medeiros Matos (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Nova Ipixuna
Localização de Nova Ipixuna no Pará
Nova Ipixuna está localizado em: Brasil
Nova Ipixuna
Localização de Nova Ipixuna no Brasil
04° 55' 15" S 49° 04' 37" O04° 55' 15" S 49° 04' 37" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Sudeste Paraense IBGE/2008 [1]
Microrregião Tucuruí IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Marabá
Distância até a capital 800km km
Características geográficas
Área 1 600,317 km² [2]
População 16 032 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 10,02 hab./km²
Altitude 118 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,581 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 111 746,27 mil IBGE/2014[5]
PIB per capita R$ 7 148,56 IBGE/2014[5]
Página oficial

Nova Ipixuna é um município brasileiro situado no sudeste do estado do Pará.

História[editar | editar código-fonte]

A vila de Nova Ipixuna surgiu a partir das modificações ocorridas em decorrência da construção da Hidrelétrica de Tucuruí que culminou no alagamento da antiga ilha onde se localizava a velha Ipixuna, que era um antigo distrito ribeirinho localizado à margem do Rio Tocantins e que fazia parte do município de Itupiranga.

A população da antiga Ipixuna tinha sua economia baseada em atividades ligadas à pesca, à caça e ao extrativismo vegetal, bem como a extração de minérios como diamantes.

Sob os efeitos do alagamento da ilha, fez-se necessária a mudança da população para outro local, que no qual fosse seguro e onde essas pessoas pudessem recomeçar a vida. Para isso, o senhor João Brasil Monteiro, prefeito de Itupiranga na época, convocou alguns moradores da antiga vila como os senhores Lourenço Laurindo da Silva, Pedro Santana de Moura e Antonio Rodrigues da Silva para que com ele fosse à busca de um novo local para erguer a nova vila de Ipixuna.

Ao chegarem às margens do igarapé “Encantado”, esses homens perceberam a presença de uma família ali então residindo. Era a família do senhor Torquato da Conceição e sua esposa dona Dionísia da Conceição, ambos In memorian. Nova Ipixuna foi erguida nas terras da família de Torquato da Conceição e, ele e sua família são as primeiras pessoas a habitar a nova vila.

Em 21 de agosto de 1977, houve uma seção solene onde foi concretizado o projeto de criação da Vila de Nova Ipixuna. O senhor Claudimiro Lima Mourão, vice-prefeito de Itupiranga na época, em uma de suas visitas à nova vila foi que determinou a liberação de lotes para que as pessoas, futuras habitantes pudessem construir suas residências. Ele convocou os senhores Mário Cortes Vieira e Antonio de Sales para que pudessem construir as primeiras ruas e logradouros públicos e que colocassem nos mesmos os nomes de Capitariquara, Itaboca, Cachoeira da Fumaça, Canal do Jaú, Capelinha, Cajueiro, Puraquequara, Repartimento, Sumaúma, Taquari, Cachoeira do Couto, Lourenção, Vitor Eterno, Guaribão e Vai Pro Céu, em homenagem a cachoeiras do Rio Tocantins.

No despertar dos anos 90, Nova Ipixuna se encontrava numa completa ausência de serviços públicos básicos. Isso ocorria devido a mesma estar localizada distante da sede do município de Itupiranga. Isso acarretou na criação de uma comissão pró-emancipação do Distrito de Nova Ipixuna. Nessa comissão tomou parte políticos, associações, sindicatos, igrejas, populares e de lideranças comunitárias. Nessa época houve várias manifestações em favor da emancipação. A mais importante delas foi o plebiscito ocorrido em 15 de março de 1992, que teve aprovação de 92,5% de votos favoráveis à emancipação de Nova Ipixuna.

Em 1º de janeiro de 1997 o senhor José Elias Jabour Filho (PSDB) tomou posse como primeiro prefeito eleito em Nova Ipixuna, juntamente com a senhora Ester Fernandes, sua vice. Os primeiros vereadores eleitos foram: Ruivaldo Rodrigues Nogueira (PSDB), Doralice de Almeida Amaral (PT), Sebastião Damascena Santos (PTB), Ilson de Almeida Pereira (PT), José Borges de Souza (PTB), Gutenberg Alves de Souza (PSDB), Osmar Cruz Lima (PT), Jair Kleber Dias Silva (PSDB) e Sonia Maria Bandeira (PSDB), eleitos em 03 de outubro de 1996. A Lei Orgânica de Nova Ipixuna foi promulgada em 20 de março de 1998.

Em 03 de outubro de 2000, o sindicalista José Pereira de Almeida (Zezão - PT) foi eleito juntamente com o empresário agropecuarista Adão Lima de Jesus, como prefeito e vice para a segunda gestão governamental de Nova Ipixuna. Zezão foi reeleito em 2004 e governou até 2007.

Os vereadores eleitos em 2000 para legislar o segundo pleito de Nova Ipixuna foram: Sebastião Damascena Santos (PTB), Clóvis Avelino Ribeiro (PT), Doralice de Almeida Amaral (PT), Idelfonso Granja Costa (PTB), Jenerias Gonçalves dos Santos (PSDB), Raimundo Lisboa da Silva (PTB), Mario Cortez Vieira (PTB), Valdemir de Jesus Ferreira (PT) e Jair Kleber Dias Silva (PSDB).

Em outubro de 2004 foram eleitos para vereadores: Sebastião Damascena Santos (PTB), Idelfonso Granja Costa (PTB), Clóvis Avelino Ribeiro (PT), Jenerias Gonçalves dos Santos (PSDB), Mario Cortez Vieira (PDT), Raimundo Lisboa da Silva (PTB), João Batista Delmondes (PT), Francisca das Chagas Sales dos Santos (PT) e Francisco Lima de Abreu (PSC).

Em 2008 o senhor Edson Raimundo Alvarenga foi eleito prefeito de Nova Ipixuna juntamente com Raimundo Lisboa da Silva (Raimundo Paizim), seu vice. Os vereadores eleitos em 2008 foram: Andersom Cleiton (PTB), João Batista Delmondes (PT), Francisca das Chagas Sales dos Santos (PPS), Zacarias da Silva (PMDB), João Carvalho Filho (PMDB), Idelfonso Granja Costa (PTB), Jenerias Gonçalves dos Santos (PSDB), Rosineide (Diretora Neide) (PSB) e Valdemir de Jesus (PT).

No ano de 2012 Sebastião Damascena Santos (PTB) foi eleito prefeito de Nova Ipixuna, juntamente com  seu Vice Jenerias Gonçalves dos Santos (PSDB). Os Vereadores eleitos em 2012 foram: João Carvalho Filho (PSDB), Andersom Cleiton (PTB), João Batista Delmondes (PT), Francisca das Chagas Sales dos Santos (PPS), Rosineide (Diretora Neide) (PSB), Marcos Meireles Nogueira (PDT), José Robson (Maranhense) (PSDB), Abílio Martins (Bidinha) (PSB) e Eugênio Manoel da Costa (Jeguim) (PDT).

Em 2016 a Médica Clínico-geral Maria da Graça Matos e o agropecuarista Everton Macias Freitas foram eleitos prefeita e vice-prefeito de Nova Ipixuna para assumir o mandato administrativo municipal 2017/2020. Os vereadores eleitos em 2016 foram Marcos Meirelles (PSC), Abílio Martins (PMDB), Doralice Amaral (PT), Rosineide Souza (PSB), Zacarias da Silva (PTB), Eugênio Manoel da Costa (PP), João Carvalho Filho (PSDB), Francisca das Chagas (PTB), Emerson Fernandes (PSDB).

A primeira escola a ser erguida em Nova Ipixuna foi a escola Maria Irany Rodrigues da Silva. Essa escola recebeu esse nome em homenagem a uma professora da antiga ilha inundada. Uma das primeiras professoras foi Nair Braz Lima In memorian, desde 1996, uma imigrante proveniente do estado da Bahia que chegou aqui em 1974. A escola inicialmente era feita de madeira e coberta com palha de ubi, uma planta nativa da região.

Hoje Nova Ipixuna conta com mais de 50 escolas na zona rural e urbana, que atende a mais de 5.000 alunos.

CULTURA NEOIPIXUNENSE

Nova Ipixuna foi colonizada por povos de diversas regiões brasileiras, principalmente por baianos, mineiros, maranhenses, capixabas, piauienses, pernambucanos, paraenses, etc. Isso fez com que aqui houvesse um aglomerado de diferentes culturas, ou seja, a população neooipixunense é uma mistura de tradições diferenciadas.

Em Nova Ipixuna predomina principalmente a cultura nordestina, com seus festejos juninos, bois bumbás, Festa do Padroeiro, reisados, cultos afros, etc.

Na culinária se predomina as comidas típicas, como feijoada, galinhada, moqueca, baião de dois, etc. Na parte artística, há artistas plásticos, dançarinos, cantadores de reis, poetas, compositores, cantores, instrumentistas, pintores, artesãos, etc.

Nas artes plásticas podemos destacar Leomar Martins que produz arte em madeira. Os principais Intérpretes são: Manoelito Martins, Cristiano Raques, Juarez e Neguinho, Nandinho, Thalita Santos, dentre outros. Os pintores de destaques são: Fernando Mendes e Jr. Bitoca. Como instrumentistas podemos citar Manoelito Martins, Joace Lima, Salvador Pereira da Silva (Seu DN, primeiro sanfoneiro de Nova Ipixuna), Juarez, dentre outros. Além dos Dj’s Topeira e Nildo “O Inigualável”.

Os poetas de destaque são: Sílvio dos Anjos, Agmael Lima, Antônio Nilson Paz, Renato Pimentel e Salvador Pereira da Silva. Os compositores mais notáveis são: Joace Lima, Juarez, Edson Reis, Cristiano Raques e Agmael Lima. O responsável pelo boi-bumbá é o senhor Satonho e pela folia de Reis é a senhora Maria dos Reis.

As principais festas e eventos culturais ocorrentes em Nova Ipixuna são: o “Carnapixuna”, “Arraiá Ipixunense”, “FESTIVI” (Festival de Verão Ipixunense), “Festival do Açaí”, Aniversário da Cidade, “FECAPI” (Festival da Canção Popular Ipixunense) e “FEMUGOI” (Festival da Música Gospel Ipixunense), Festejo de São Francisco de Assis (Padroeiro de Nova Ipixuna) e o Círio de Nossa Senhora de Nazaré.

ASPECTOS ECONÔMICOS DE NOVA IPIXUNA

Nova Ipixuna apresenta faixas de terras férteis que favorecem o cultivo de arroz, mandioca, milho, feijão, etc. Esses produtos são produzidos basicamente pela mão de obra familiar tradicional. Outra área econômica bastante desenvolvida é a criação de gado e a produção de leite, bem como a coleta de frutos nativos como cupuaçu, castanha-do-pará e açaí.

Na área urbana, Nova Ipixuna possui uma diversidade ampla de comércios de diversos gêneros como supermercados, bares, lanchonetes, açougues, laticínios, lojas de confecções, materiais de construção, eletrodomésticos, postos de gasolina, etc. Destacamos ainda as cerâmicas, as serrarias e os serviços públicos como bases da geração de emprego no município.

ASPÉCTOS AMBIENTAIS DE NOVA IPIXUNA

A Nova Ipixuna atual vive um drama no que se diz a respeito do meio ambiente. O desmatamento é a principal causa de agressão ambiental observada nesse município. Muitos destruíram e destrói as matas para a formação de pasto e criação de gado. Outro exemplo claro de destruição do meio ambiente em Nova Ipixuna são as carvoeiras e a serrarias que tem destruído sem dó, os poucos recursos naturais ainda existentes. Os principais igarapés: Praialta e Encantado estão cada vez agonizando em meio a poluição e ao descaso das pessoas.

Se a população novoipixunense não abrir os olhos, brevemente os poucos recursos ambientais de Nova Ipixuna serão extintos.

REFERÊNCIAS: Agmael Lima. Nova Ipixuna: A Saga de Um Povo Guerreiro. Livro ainda não editado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Nova Ipixuna localiza-se no sudeste do Pará no km 34 da Rodovia PA 150, a 435 km de Belém, na microrregião de Marabá, à margem direita do Rio Tocantins. A uma latitude 04º55'16" sul e a uma longitude 49º04'37" oeste, estando a uma altitude de 118 metros. Faz frente lateral direita com o igarapé Piranheira e lateral esquerda com o Grotão do João Vaz, foi desmembrado de Itupiranga e Jacundá e emancipado através da Lei nº 5.762 de 20 de outubro de 1993, sancionada pelo então governador Jader Fontenelle Barbalho. Possui uma área de 1.582,85 km2. Nova Ipixuna conta hoje com uma população de mais ou menos 14 mil habitantes. Conta ainda com diversas construções importantes como escolas, ruas pavimentadas, hospitais, igrejas diversas, praças e prédios comerciais.

REFERÊNCIAS: Agmael Lima. Nova Ipixuna: A Saga de Um Povo Guerreiro. Livro ainda não editado.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Estimativa populacional 2016» (PDF). Estimativa populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2016. Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  5. a b «PIBMunicipal2010-2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 30 dez. 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.