Novo Banco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Novo Banco
Logo
Razão social Novo Banco, S.A.
Empresa de capital aberto
Slogan Isto é novo. É Novo Banco.
Cotação Euronext Lisboa: BES
Atividade Serviços Financeiros
Fundação 4 de agosto 2014
Sede Lisboa, Flag of Portugal.svg Portugal
Pessoas-chave António Ramalho
Empregados 7.500[1]
Produtos Banca
Banca de investimento
Private Banking
Seguros
Ativos 72,4 mil milhões (2014)
Lucro Baixa - 467,9 milhões (2014)[2]
Antecessora(s) Banco Espírito Santo
Website oficial www.novobanco.pt/

O Novo Banco é um banco português, estabelecido a 4 de agosto de 2014, numa intervenção de emergência do Banco de Portugal para salvar os activos bons do anteriormente falido Banco Espírito Santo (BES). O resgate do BES foi precipitado pelos prejuízos históricos de 3.577 milhões de euros. Por outro lado, os activos tóxicos do BES, foram transferidos para um "banco mau".[3]

História[editar | editar código-fonte]

O Novo Banco foi capitalizado em 4900 milhões de euros pelo Fundo de Resolução, criado pelo Estado português juntamente com o setor financeiro que contribuiu para fazer os montantes necessários para a capitalização do Novo Banco. O Novo Banco foi assim capitalizado com recursos da linha da Troika. Usaram-se também os 380 milhões que já estavam no fundo. O restante foi colocado pelos bancos privados em Portugal, somando 635 milhões de euros.[4] Este fundo, que tem três administradores, é o único acionista do Novo Banco, até à realização de uma operação de venda. O Fundo de Resolução é uma estrutura criada em 2012 e que resulta de contribuições dos bancos e institutos financeiros em Portugal e da contribuição especial imposta ao sector financeiro.[5] É auditado pelo Banco de Portugal e fiscalizado pelo Tribunal de Contas.[6]

Vítor Bento, anterior presidente do Conselho de Administração da SIBS mudou-se para o Novo Banco.[7] Um mês e meio depois de ter entrado em funções, Bento abandonou a liderança do Novo Banco e foi substituído em setembro de 2014 por Eduardo Stock da Cunha.[8]

O Novo Banco incorporou todos os trabalhadores, as agências, os depósitos, os clientes de crédito e os detentores de obrigações seniores do Banco Espírito Santo.[9]

Em agosto de 2014 foi lançada a primeira campanha de comunicação do Novo Banco, para dar início à mudança da imagem da instituição.[10] A partir da campanha, que teve como símbolo uma borboleta, a 22 de setembro o banco estreou a sua nova identidade, que incorporou as asas do animal em formato de potência matemática, pretendendo simbolizar o compromisso “de voltar a ocupar a posição de liderança que o mercado sempre lhe reconheceu”.[11] A mudança da marca foi feita de forma progressiva, iniciando-se pela substituição das fachadas dos balcões da instituição.[12]

No dia 3 de dezembro de 2014, o Novo Banco divulgou o seu balanço de abertura, registando ativos na ordem dos 72,4 mil milhões de euros.[13] O rácio de solvabilidade situou-se nos 9,2%, acima dos 7% exigidos pelo Banco de Portugal e dos 8% impostos pelo Banco Central Europeu.[14] Os recursos de clientes superaram os 27,2 mil milhões de euros e o crédito concedido os 38,5 mil milhões, dos quais 70% foram dirigidos a empresas.[13]

Em 2016, foi nomeado Presidente do Novo Banco António Ramalho.[carece de fontes?]

Em março de 2017, o Banco de Portugal anunciou que o fundo americano Lone Star Funds passaria a deter 75% do capital social do Novo Banco, ficando o Fundo de Resolução do mesmo com os restantes 25%.[15] Em outubro de 2017 o fundo americano Lone Star Funds fechou com o Banco de Portugal o acordo de compra, tendo passado a controlar 75% do Novo Banco.

No início de abril de 2020, o Fundo de Resolução pediu às Finanças que disponibilizasse mais 850 milhões de euros para injectar a tempo de o Novo Banco fechar as suas contas referentes a 2019 com os rácios de solidez nos níveis exigidos pelas autoridades. O dinheiro foi transferido no início de Maio, sem aguardar os resulatdos da auditoria.[16][17][18][19]

Apesar de apresentar enormes prejuízos, 1059 milhoes de euros em 2019 o Novo Banco continuou a garantir aumentos de remunerações e prémios dos seus gestores.[20] Em 2019 contratou um novo administrador financeiro, o irlandês Mark Bourke, tendo pago para tal 320 mil euros como bónus. Este valor acresce aos cerca de 2,3 milhões de euros atribuídos ao conselho de administração do banco em 2019, segundo o relatório e contas de 2019.[20][19]

Em junho de 2020, o Partido Comunista Português afirmou que eram "inaceitáveis" as injeções de dinheiro público no Novo Banco e insistiu na nacionalização do banco.[21]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Venda da GNB Vida[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2019, o Novo Banco concluiu a venda da seguradora GNB Vida a fundos assessorados pela Apax Partners. O negócio foi feito por preço fixo inicial de 123 milhões de euros acrescido de uma componente variável até 125 milhões de euros[22] representando um desconto de 68,5% face ao valor contabilístico inscrito no seu balanço de 30 de junho daquele ano. O Novo Banco alegou que esta operação (cuja perda para o banco, de 268,2 milhões de euros, foi compensada pelo Fundo de Resolução)[carece de fontes?]representava "um importante passo no processo de desinvestimento de ativos não estratégicos do Novo Banco".[23]

Em agosto de 2020, o jornal Público avançou que o Novo Banco tinha vendido a GNB Vida a Greg Evan Lindberg, um magnata condenado por corrupção nos EUA.[24][25] Contudo, esta informação foi desmentida pelo regulador do sector, a ASF, pelo Novo Banco e pelo Fundo de Resolução[26][27][28]. Também a GamaLife, o novo nome da GNB Vida[carece de fontes?], desmentiu esta informação, em comunicado.[29]

Posteriormente, o jornal Público noticiou que os fundos da Apax que compraram a GNB Vida, depois do multimilionário americano Greg Lindberg ter desistido do negócio, mudaram a sua morada para a das empresas do investidor.[30][31] A investigação do Público, conclui que existem ligações públicas e oficiais entre os compradores da GNB Vida ao Novo Banco e o referido gestor.[32]

Venda de imóveis[editar | editar código-fonte]

Em Julho de 2020, o jornal Público noticiou que o Novo Banco vendeu 13 mil imóveis, deu crédito e foi compensado (pelo Fundo de Resolução) pelas perdas. De acordo com a investigação do jornal, na operação anunciada no dia 10 de outubro de 2018 à CMVM, o Novo Banco vendeu 5.552 imóveis e 8.719 frações a sociedades lisboetas, detidas por uma sociedade luxemburguesa, que, por sua vez, pertence a um fundo de investidores anónimos nas ilhas Caimão. Este fundo comprou milhares de casas em Portugal e Espanha, a um preço baixo, e não arriscou os mais de mil milhões de dólares dos seus investidores porque a compra que fez ao Novo Banco foi garantida por um empréstimo do próprio Novo Banco, o vendedor.[33]

Desenvolvimentos[editar | editar código-fonte]

Em 16 de Outubro de 2020, os deputados da Comissão de Orçamento e Finanças aprovaram por unanimidade o texto conjunto do PS e PSD para realizar uma auditoria urgente ao Novo Banco, incluindo às operações de venda que obrigaram ao recurso ao Fundo de Resolução.[34]

Referências

  1. Stock da Cunha: Novo Banco tem 7.500 trabalhadores e é "um banco seguro para se trabalhar", Jornal de Negócios (03-12-2014), página visitada a 07 de julho de 2015
  2. Stock da Cunha: Novo Banco pode atingir lucro em 2016, Diário Económico (09-03-2015), página visitada a 07 de julho de 2015
  3. Tudo o que já se sabe sobre o Novo Banco e o BES, Observador (03-08-2014), página visitada a 06 de agosto de 2014
  4. Quatro principais bancos garantem os 635 milhões com que sector entra no Novo Banco, Jornal de Negócios (08-08-2014), página visitada a 21 de agosto de 2014
  5. "Novo" BES recebe ajuda de 4,9 mil milhões de euros através do fundo de resolução, Jornal de Negócios (03-08-2014), página visitada a 06 de agosto de 2014
  6. Tudo o que já se sabe sobre o Novo Banco e o BES, Observador (03-08-2014), página visitada a 06 de agosto de 2014
  7. Banco de Portugal confirma Vítor Bento na presidência do Novo Banco, SIC Notícias (04-08-2014), página visitada a 21 de agosto de 2014
  8. Eduardo Stock da Cunha vai liderar o Novo Banco, Expresso (14-09-2014), página visitada a 07 de julho de 2015
  9. Tudo o que já se sabe sobre o Novo Banco e o BES, Observador (03-08-2014), página visitada a 06 de agosto de 2014
  10. 'Novo Banco. Um bom começo', promete Vítor Bento Diário Económico (21-08-2014)
  11. Novo Banco muda de símbolo e fica apenas com as asas da borboleta, Jornal de Negocios (22-09-2014)
  12. Logótipo do Novo Banco nos balcões a partir de hoje, Observador (22-09-2014)
  13. a b Isabel Vicente (3 de dezembro de 2014). «Novo Banco: capitais ascendem a 5,5 mil milhões de euros e créditos fiscais a 2,8 mil milhões de euros». Expresso. Consultado em 30 de janeiro de 2015 
  14. Anabela Reis e João Lima (4 de dezembro de 2014). «Novo Banco Says Common Equity Ratio Exceeded ECB Minimum». Bloomberg. Consultado em 30 de janeiro de 2015 
  15. «Lone Star fica com 75% do Novo Banco». Jornal de Notícias. 31 de março de 2017. Consultado em 31 de março de 2017 
  16. Ferreira, Victor. «Centeno admite falha de comunicação com Costa no Novo Banco» 
  17. «Novo Banco obriga Costa a pedir desculpa com Finanças a justificar cumprimento do contrato» 
  18. «PSD, BE e CDS-PP mantêm dúvidas sobre falha na informação a Costa de injeção no Novo Banco» 
  19. a b «"Nenhum governo teve a coragem de dizer a verdade sobre o Novo Banco"». Esquerda. 13 de Maio de 2020 
  20. a b Borges, Liliana (13 de Maio de 2020). «PS contra aumento de remunerações e prémios no Novo Banco». Público 
  21. Almeida, Joana (16 de junho de 2020). «PCP diz que são "inaceitáveis" novas injeções no Novo Banco e insiste na nacionalização do banco». O Jornal Económico. Consultado em 16 de junho de 2020 
  22. «Novo Banco vende GNB Vida. Nome muda para Gama Life». www.jornaldenegocios.pt. Consultado em 25 de outubro de 2020 
  23. «Comunicado Novo Banco» (PDF). 14 Outubro 2020 
  24. Ferreira, Cristina. «Novo Banco vendeu GNB Vida com desconto de 70% "coberto" por ajuda do Estado». PÚBLICO. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  25. «Novo Banco vendeu seguradora com desconto de 70% coberto pela ajuda do Estado - DN». www.dn.pt. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  26. «Comunicado ASF» (PDF) 
  27. «NOVO BANCO esclarece». www.novobanco.pt. Consultado em 25 de outubro de 2020 
  28. «Comunicado Fundo de Resolução» (PDF) 
  29. «Comunicado GamaLife / CMVM» (PDF) 
  30. Esteves, Cristina Ferreira, Pedro Ferreira. «Donos da GNB mudaram-se para morada de empresas de magnata condenado». PÚBLICO. Consultado em 24 de outubro de 2020 
  31. «Donos da GNB mudaram morada para a do magnata condenado depois da compra». Dinheiro Vivo. 15 de agosto de 2020. Consultado em 24 de outubro de 2020 
  32. «Donos de seguradora vendida pelo Novo Banco mudam-se para morada de empresas de magnata condenado». Esquerda. 15 de Agosto de 2020 
  33. Pena, Paulo (28 de Julho de 2020). «Novo Banco vendeu 13 mil imóveis a fundo anónimo, deu crédito e recebeu compensação estatal pelas perdas». Público. Consultado em 24 de outubro de 2020 
  34. «Visão | Parlamento aprova por unanimidade auditoria do Tribunal de Contas ao Novo Banco». Visão. 16 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]