Nuno Rogeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuno Rogeiro
Nascimento
 Portugal

Nuno de Assis Simões Costa Rogeiro ComIH (Portugal, 13 de Dezembro de 1957) é um jornalista português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Clemente Rogeiro e de sua mulher Maria da Conceição Simões Costa.

Frequentou o Liceu Pedro Nunes e licenciou-se em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Integrou a Assembleia de Representantes da Faculdade e participou no MID - Movimento Independente de Direito, um grupo independente das jotas dos partidos que venceu as eleições para a AAFDL, em 1977, sendo presidente Pedro Santana Lopes.

A sua carreira seria dedicada à comunicação social, com uma especial preferência pelo jornalismo político e, nomeadamente, pela política internacional, tendo passado pela imprensa escrita, pela rádio e televisão. Foi redator dos jornais "O Dia", "A Rua", "O Século", "O Diabo" e "O Independente" e da revista "K"; cronista da TSF, da Rádio Comercial e da Rádio Nostalgia. O programa Desmancha-Prazeres, com Vasco Pulido Valente, valeu-lhe o prémio Se7e de Ouro, em 1992. Na televisão, notabilizou-se no comentário de conflitos internacionais, nomeadamente com o acompanhamento da Guerra do Golfo, na RTP1, e da Guerra do Iraque, na SIC. Nesta última estação dirigiu Por Trás das Grades, em 2008, um programa especial sobre o campo de prisioneiros de Guantánamo. Além disso colaborou no desenvolvimento da Enciclopédia Pólis, a primeira de ciências sociais do país, e ajudou a fundar a revista "Futuro Presente", com Jaime Nogueira Pinto.

Leccionou as disciplinas de Direito Constitucional e História das Ideias Políticas, na Faculdade de Direito da Universidade Lusíada de Lisboa, onde esteve envolvido na criação do Departamento de Relações Internacionais. Já antes tinha sido monitor de Ciência Política, na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Actualmente é co-apresentador com Martim Cabral e repórter do programa Sociedade das Nações, na SIC Notícias, colunista na revista Sábado e co-director do Instituto Euro-Atlântico - Associação para o Desenvolvimento das Relações Internacionais.

A 18 de Fevereiro de 2016 foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[1]

Cssou primeira vez com Maria Margarida Cruz Esteves da Fonseca, com geração feminina, e casou segunda vez com Daniela, sem geração:

  • Maria Inês Esteves da Fonseca Rogeiro, casada em Sintra, Colares, 2014 com Iñaki Carrera y Araujo de Paiva de Sousa, de pai e avó materna Espanhóis, Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Advogado, com geração
  • Catarina Esteves da Fonseca Rogeiro

Casou segunda vez civilmente com Danijela Bokor Rogeiro, com geração:

Obras[editar | editar código-fonte]

  • O Mistério das Bandeiras Negras (2015)
  • Obama em Guantánamo
  • Na Rua Árabe - Causas e Consequências das Revoltas no Médio Oriente (2011)
  • A Corda do Enforcado - Análise Política das Crises (2007 - 2013)
  • O Inimigo Público: Carl Schmitt, Bin Laden e o Terrorismo Pós-Moderno (2003)
  • O que é a política?

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Nuno de Assis Simões da Costa Rogeiro". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.