O Baile

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Baile
 França /  Itália /  Argélia
1983 •  cor •  112 min 
Direção Ettore Scola
Produção Cinéproduction, Films A2, Massfilm, O.N.C.I.C., Mohammed Lakhdar-Hamina
Roteiro Jean-Claude Penchenat / Ruggero Macccaro / Jean-Claude Penchenat / Furio Scarpelli / Ettore Scola
Elenco Étienne Guichard
Régis Bouquet
Francesco De Rosa
Arnault LeCarpentier
Género musical histórico
Música Vladimir Cosma
Cinematografia Ricardo Aranovich
Idioma filme mudo
Página no IMDb (em inglês)

O Baile[1][2] (Le bal) é um filme de 1983 produzido pela França, Argélia e Itália, uma comédia musical dirigida por Ettore Scola. O filme é uma adaptação do espectáculo que o Théatre du Campagnol tinha montado em Paris, com encenação de Jean-Claude Penchenat.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Sem diálogos, o filme conta parte da história da França, da década de 1930 à década de 1980, a partir dos personagens reunidos em um salão de dança. Através das recordações das pessoas, da música e da dança, o filme traça um panorama da evolução do país, da ocupação nazista ao surgimento do rock'n'roll.

Elenco[editar | editar código-fonte]

(Actores do grupo de Théatre du Campagnol)

  • Étienne Guichard .... o jovem professor
  • Régis Bouquet .... o patrão do salão
  • Francesco De Rosa .... Toni, o jovem empregado
  • Arnault LeCarpentier .... o jovem tipógrafo
  • Liliane Delval .... o alcoólatra
  • Martine Chauvin....a jovem florista
  • Marc Berman .... o colaboracionista


Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 1984 (EUA)

  • Indicado na categoria de melhor filme estrangeiro (representando a Argélia).

Festival de Berlim 1984 (Alemanha)

  • Recebeu o prêmio dos leitores do jornal Berliner Morgenpost
  • Ettore Scola recebeu o Urso de Prata.
  • Indicado ao Urso de Ouro.

Prêmio César 1984 (França)

  • Venceu nas categorias de melhor diretor, de melhor filme francês (com À nos amours) e melhor música.
  • Indicado na categoria de melhor fotografia (Ricardo Aronovich).

David di Donatello 1984 (Itália)

  • Venceu nas categorias de melhor filme (com E la nave va), melhor diretor, melhor edição e melhor música.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]