Eliezer Setton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eliezer Setton
Informação geral
Nome completo Eliezer Otílio Setton
Nascimento 21 de janeiro de 1957 (64 anos)
Origem Maceió, Alagoas
País  Brasil
Gênero(s) Forró
Instrumento(s) Violão

Eliezer Otílio Setton (Maceió, 21 de Janeiro de 1957) é um cantor e compositor brasileiro de forró[1]. Poeta, é membro da Academia Maceioense de Letras[2] e notório torcedor do CSA[3], tendo sido homenageado em 2018 pela torcida do clube, ao lado de Marta e Luiz Felipe Scolari.[4] É pai do também cantor Jaques Setton.[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Salomão Setton Neto, que foi Rei Momo do carnaval de Maceió por 19 anos consecutivos, e de Terezinha Otílio Setton, Eliezer Setton começou a compor em 1976 e no ano seguinte participou do seu primeiro festival de música, o que resultou em sua primeira música gravada, Desesperança, e lhe proporcionou o ingresso no já existente Grupo Terra, grupo musical que foi um marco da cultura alagoana do final dos anos 70 e início dos anos 80.

Em 1983, depois de distinguir-se no IV Festival Universitário de Música, promovido pelo Diretório Central Estudantil da Universidade Federal de Alagoas, conquistando o segundo e terceiro lugares como compositor, além do prêmio de melhor intérprete[6], aventurou-se como músico da noite atuando em Maceió, São Paulo (1984) e Rio de Janeiro (1985-1989), fazendo o tradicional voz e violão. De volta a Maceió, em 1989, continuou sua trajetória de festivais, culminando com as participações no Canta Nordeste (transmitido ao vivo pela Rede Globo para toda a Região), onde foi finalista em 1994 e 1995 com as músicas Serra Pau e Quem dera que sesse, respectivamente.

Compositor eclético, é na música nordestina que vem colhendo os melhores frutos. Da parceria com Pedro Sertanejo, pai de Oswaldinho do Acordeon, surgiu Campo Formoso, o primeiro forró com sanfona e tudo, gravado por Eliezer num disco de Pedro Sertanejo, em 1982. Da parceria com Oswaldinho do Acordeon, nasceu, dentre outras, Na hora H, música que Elba Ramalho gravou em 1992[7] e foi indicada para o VI Prêmio SHARP. O casamento com o Forró estava sacramentado e o compositor passou a ser gravado pelos intérpretes do cancioneiro nordestino.

No dia 11 de agosto de 1995, no Circo Pirueta, armado na pista de aeromodelismo da Praça Sinimbu, em Maceió, abriu a Primeira Mostra de Inverno de Música, o que seria seu primeiro espetáculo solo à frente de uma banda. O compositor convenceu o intérprete a trilhar também o caminho do forró.

Em 2009, Eliezer amplia o leque de gêneros e grava o CD Brasil - Hinos à Paisana, cujo repertório contempla dez dos mais representativos hinos do cancioneiro cívico brasileiro.

Em 2011, Eliezer volta ao Forró no CD "O Quelso", que apresenta uma exclusiva e interessante versão da popular "My way", que ganha ares forrozeiros e ficou "Bem a meu jeito".

Sucessos[editar | editar código-fonte]

  • Asa Partida, Eliezer Setton - 1996
  • Bote Tempo, Eliezer Setton - 1996
  • Noite de Lua, Eliezer Setton - 1996
  • D'Estar, Eliezer Setton - 1998
  • Eu sou o Forró, Eliezer Setton - 2000
  • Só Quero Quem Me Quer, Eliezer Setton - 2000
  • Natal Nordestino, Eliezer Setton - 2000
  • Não Há Quem Não Morra de Amores pelo Meu Lugar, Eliezer Setton - 2000
  • Na Hora H, Eliezer Setton - 2003 (canção gravada no décimo quarto álbum da cantora brasileira Elba Ramalho)
  • Cabeça com Bob's x Barriga Crescida, Eliezer Setton e Elisete Setton - 2003 (canção gravada no sétimo álbum da banda Mastruz com Leite)
  • Terço de Separação, Eliezer Setton - 2003
  • Um Coco para Jacinto, Eliezer Setton - 2003
  • A Terra é Azul, Eliezer Setton - 2004
  • Eu Sou o CSA, Eliezer Setton - 2004
  • Sou da Pajuçara, sou CRB - 2004
  • Carga Dividida, Eliezer Setton - 2005
  • Liberdade no Alçapão, Eliezer Setton - 2005
  • Bem-vindo a Caruaru, Eliezer Setton - 2005
  • Canção do Turista, Eliezer Setton - 2010

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1996: Cio do Grão
  • 1998: Das Coisas da Minha Terra
  • 2000: Ventos do Nordeste
  • 2003: Oração do Forró
  • 2004: O Carnaval Alagoano de Eliezer Setton
  • 2005: Amores do Meu Forró
  • 2009: Brasil - Hinos à Paisana
  • 2010: Alagoaníssimo
  • 2011: O Quelso

Referências

  1. Bom Dia Alagoas | Cantor alagoano Eliezer Setton mostra paixão pelo CSA | Globoplay, consultado em 26 de setembro de 2019 
  2. Francisco Reinaldo Amorim de Barros (2005). ABC das Alagoas. dicionário biobibliográfico, histórico e geográfico de Alagoas. 2. Brasília: Senado Federal, Secretaria Especial de Editoração e Publicação 
  3. Bom Dia Alagoas | Cantor alagoano Eliezer Setton mostra paixão pelo CSA | Globoplay, consultado em 24 de setembro de 2019 
  4. «Mosaico da torcida do CSA homenageou Felipão, Marta e Eliezer Setton». No Minuto. 17 de novembro de 2018. Consultado em 24 de setembro de 2019 
  5. «Sesc homenageia Jakson do Pandeiro na interpretação de Jaques Setton». 17 de setembro de 201. Consultado em 24 de setembro de 2019  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira
  7. «Elba Ramalho - Site Oficial». Elba Ramalho. Consultado em 24 de setembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.