O Conto da Princesa Kaguya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ni hon go2.png Este artigo contém texto em japonês.
Sem suporte multilingual apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de kanji ou kana.
Kaguya-hime no Monogatari
かぐや姫の物語 (?)
O Conto da Princesa Kaguya (PT/BR)
Cartaz nacional do filme.
 Japão
2013 •  cor •  137[1] min 
Realização Isao Takahata
Produção Yoshiaki Nishimura
Toshio Suzuki
Seiichiro Ujiie
Produção executiva Seiichiro Ujiie
Argumento Isao Takahata
Riko Sakaguchi
História Isao Takahata
Baseado em O Conto do Cortador de Bambu
Elenco Aki Asakura
Kengo Kora
Takeo Chii
Nobuko Miyamoto
Género Animação
Fantasia
Drama
Música Joe Hisaishi
Direção de arte Kazuo Oga
Direção de fotografia Keisuke Nakamura
Edição Toshihiko Kojima
Companhia(s) produtora(s) Studio Ghibli
Distribuição Japão Tōhō
Portugal Outsider Films
Brasil California Filmes[2]
Lançamento Japão 23 de novembro de 2013
Portugal 12 de março de 2015 (Festival Monstra)
Portugal 9 de abril de 2015 (Cinemas)
Brasil 16 de julho de 2015
Idioma Japonês
Orçamento ¥ 51.5 mil milhões (US$ 49.3 milhões)[3][4]
Receita ¥ 24.7 mil milhões (US$ 24.2 milhões)[5]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)
Logótipo japonês do filme.

O Conto da Princesa Kaguya (かぐや姫の物語, Kaguya-hime no Monogatari?) é um filme de animação japonês de drama e fantasia produzido pelo Studio Ghibli e realizado e escrito por Isao Takahata. Foi baseado no folclore O Conto do Cortador de Bambu.[6][7]

O filme foi lançado no Japão em 23 de novembro de 2013,[8] em Portugal em 9 de abril de 2015[9][10] e no Brasil em 16 de julho de 2015.[11][12]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Sanuki no Miyatsuko, um cortador de bambu, encontra uma menina dentro de um brilhante talo de bambu. Acreditando que ela seja uma presença divina, a leva para casa; ele e sua esposa, Ona, decidem criá-la como sua própria filha, e a chamam de "Princesa". A menina cresce rapidamente e seus amigos apelidam-lhe de "Takenoko" (Pequeno Bambu). Sutemaru, o mais velho entre os amigos de Kaguya, desenvolve uma relação particularmente estreita com ela.

Okina regressa com o ouro e tecido fino que foram encontrados no bosque de bambu, da mesma forma que ele encontrou sua filha, levando-os como prova de sua realeza divina. Ele começa a planejar para fazê-la uma princesa adequada. A sua vida nas montanhas termina abruptamente quando Miyatsuko e sua esposa se mudam para a capital. Kaguya encontra-se numa mansão, repleta de servos e roupas finas. Ela também se vê sobrecarregada com sua tutora, a Lady Sagami, que tem a tarefa de domesticá-la para ser uma nobre adequada. Ela luta contra os apoios de nobreza, argumentando que a vida deve ser cheia de lutas e risadas.

Quando ela chega a uma certa idade, um sacerdote real, Inbe no Akita, concede-lhe o nome formal de "Princesa Kaguya" para a luz e a vida que irradia ela. Okina faz uma celebração em comemoração à nomeação de Kaguya, quando ela ouve dos foliões, Kaguya entra em desespero; ela foge da capital e corre de volta para as montanhas, buscando por Sutemaru e seus outros amigos, mas acha que todos eles se afastaram. Kaguya desmaia na neve e desperta de repente, regressando a festa.

Kaguya cresce muito bonita, atraindo dezenas de supostos pretendentes. Sanuki no Miyatsuko fica encantado com a massa de futuros maridos, mas Ona é menos entusiasta e Kaguya totalmente desinteressada. Cinco homens do tribunal nobre insistem sobre ela, comparando-a com tesouros míticos. Sentindo sua falta de sinceridade, ela fica longe, exigindo estes tesouros impossíveis como presentes. Dois pretendentes tentam, mas são frustrados por diferentes meios, por persuadi-la com as falsificações, o terceiro abandona sua conquista por covardia, e a quarta tentativa de cortejá-la, falha por causa de mentiras lisonjeiras. Quando um dos supostos pretendentes é morto em sua busca, Kaguya fica em depressão. Eventualmente, o Imperador quando fica sabendo dela, vai visitá-la em pessoa. Espantado com sua beleza, ele tenta beijá-la, revoltando ela. Kaguya, em seguida, demonstra a incrível capacidade de desaparecer à vontade, surpreendendo o Imperador. Entendendo que ele tem sido demasiado longe, o Imperador despede-se, determinado a fazer ainda Kaguya dele.

A melancolia de Kaguya piora, preocupando Miyatsuko e sua esposa. Okina tristemente diz que esperava que uma vida de nobreza a faria feliz, mas ela continua ser perturbada. Ela finalmente revela que ela foi informada de que ela veio originalmente da Lua. Quando o Imperador fez seus avanços, ela implorou silenciosamente a Lua para ajudá-la e descobriu a verdade: Era uma vez um residente da Lua, e quebrou as suas leis, na esperança de ser exilada para a Terra, para que ela possa experimentar verdadeiramente a vida mortal devido a testemunhar a tristeza terrena de uma outra senhora celestial. Agora, quando ouviu sua oração, a Lua vai recuperá-la na quinta noite do mês lunar, durante a Lua cheia. Kaguya confessa seu apego à Terra e à sua relutância em deixar.

Sanuki no Miyatsuko jura que irá protegê-la, e começa a montar as forças defensivas. Ona retorna com Kaguya para sua cidade natal nas montanhas mais uma vez. Lá, encontra Kaguya Sutemaru e diz-lhe que ela teria sido mais feliz com ele; Sutemaru promete protegê-la, aconteça o que acontecer, e eles fogem juntos através das montanhas até que magicamente são levados ao ar. No entanto, quando a Lua brilha sobre ela, Kaguya implora a Sutemaru para segurá-la com força. Apesar dos esforços de Sutemaru, Kaguya é arrancada de suas mãos para fora do céu. Ele acorda sozinho em um campo, e, convencido de que ele tinha sido um sonho, retorna para sua esposa e filho. Kaguya retorna tristemente para casa na capital com Ona.

Na fatídica noite da lua cheia, uma procissão de seres celestiais desce das nuvens montados na lua como uma forma de transporte. Apesar dos esforços de Miyatsuko, a força divina é imparável enquanto varre em imperturbável, colocando a maioria de todos para dormir. Uma figura de Buda como direciona alguns espíritos para transportar Kaguya a eles; eles abrem para Kaguya, que desliza para longe, para o grande horror de Ona. Ela sobe para a Lua, aonde Apsarás oferece-lhe uma coroa e um manto que vai apagar suas memórias da Terra. Kaguya coloca a coroa, mas está firme desde o robe por gritos de seus pais. Ela implora o atendente a conceder-lhe um último momento com Okina e Ona.

A Apsarás garante que ao regressar à Lua, ela estará livre das impurezas da Terra. Kaguya rejeita, dizendo que a Terra está cheia de admiração e de vida, abraçando seus pais. O atendente então coloca o manto em torno dela, e a expressão de Kaguya fica em branco, esquecendo-se sobre a sua vida na Terra. Ela retoma seu lugar na comitiva celeste e acaba subindo para a Lua, deixando Miyatsuko e sua esposa aflita. Como Kaguya e os outros seres celestiais deixam a terra para trás, as muitas pessoas que desempenharam um papel a vida mortal de Kaguya são vistos vendo simultaneamente a lua cheia.

Apesar de seu aparente distanciamento da Terra, Kaguya olha para trás uma última vez, com lágrimas nos olhos, antes de o grupo desaparecer na luz da Lua.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Personagem  Japão[13]
Princesa Kaguya Aki Asakura
Sutemaru Kengo Kora
Sanuki no Miyatsuko
(O cortador de bambu)
Takeo Chii
Ōna
(lit. "Idosa")
Nobuko Miyamoto
Senhorita Sagami Atsuko Takahata
Me no Warawa Tomoko Tabata
Inbe no Akita Tatekawa Shinosuke
Príncipe Ishitsukuri Takaya Kamikawa
Príncipe Kuramochi Isao Hashizume
Ministro das Finanças Hikaru Ijūin
Ministro dos Militares Ryudo Uzaki
Mikado Nakamura Shichinosuke II
Ministro da Cultura Hidetoshi Nishijima
Kitanokata Yukiji Asaoka
Sumiyaki no Roujini Tatsuya Nakadai

Produção[editar | editar código-fonte]

O estúdio de animação japonês Studio Ghibli anunciou em 2008 que Isao Takahata estava trabalhando numa longa-metragem.[14] Takahata anunciou no sexagésimo segundo Festival Internacional de Cinema de Locarno que tinha a intenção de dirigir um filme baseado no folclore popular japonês O Conto do Cortador de Bambu.[14]

O lançamento de O Conto da Princesa Kaguya foi finalmente confirmado pelo Studio Ghibli e distribuído pela Tōhō em 13 de dezembro de 2012.[15] No mesmo mês, foi anunciado que Shin'ichirō Ikebe iria compor a banda sonora do filme.

Em 4 de fevereiro de 2013, foi anunciado que Joe Hisaishi iria escrever a trilha do filme, substituindo efetivamente Ikebe como compositor do filme. Esta foi a primeira vez que Hisaishi compôs as trilhas de dois filmes do Studio Ghibli, um filme de Isao Takahata e outro de Hayao Miyazaki, Kaze Tachinu.[16]

Em maio de 2013, foi anunciado que Kazumi Nikaidō (二階堂和美, Nikaidō Kazumi?) performaria o tema musical do filme, "Inochi no Kioku" (いのちの記憶, lit. "Memórias da Vida"?).[17]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O Conto da Princesa Kaguya foi inicialmente anunciado para ser lançado simultaneamente com Kaze Tachinu, outro filme do Studio Ghibli feito por Hayao Miyazaki no Japão no verão de 2013,[18] onde seria a primeira vez que as obras dos dois realizadores seriam lançadas juntas desde o lançamento dos filmes Tonari no Totoro e Hotaru no Haka em 1988.[18] No entanto, em fevereiro de 2013, a distribuidora Tōhō anunciou que o lançamento do Kaguya-Hime no Monogatari seria adiado para o Outono de 2013, onde citou que tinha preocupações de que os roteiros ainda não estivessem completos.[19][20] Em Portugal, o filme foi exibido no Festival Monstra (Festival de Animação de Lisboa) entre os dias 12 a 22 de março, a distribuidora Outsider Films adquiriu os direitos do filme, que estreou nos cinemas portugueses dia 9 de abril de 2015.[21][22][23][24] A distribuidora California Filmes lançou o filme no Brasil em 16 de julho de 2015.[25][26][27]

O filme foi seleccionado para ser exibido como parte da sessão Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes 2014.[28] Sua estreia na América do Norte aconteceu no Festival Internacional de Cinema de Toronto em 2014 na sessão "Masters".[29]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme estreou em primeiro lugar durante sua semana de estreia no Japão, arrecadando ¥284 milhões (US$2.8 milhões).[30] Entre 2 de fevereiro de 2014, o filme tinha arrecadado ¥2,313,602,733 (US$22,613,153) na bilheteria japonesa.[31]

Em fevereiro de 2014, ficou em quarto lugar no Kinema Junpo na categoria do Prêmio dos Dez Melhores na Escolha dos Leitores.[32]

As avaliações cronometradas do lançamento norte-americano têm sido extremamente positivas. David Ehrlich do jornal The A.V. Club deu ao filme uma classificação A, considerando "o melhor filme de animação do ano," onde acrescentou "está destinado a ser lembrado como uma das melhores realizações do reverenciado Studio Ghibli."[33] Nicolas Rapold do The New York Times elogiou o trabalho artístico dizendo "primorosamente desenhada com delicadeza aquarela com um sentido vivo da linha."[34]

Conquistou uma série de prémios, entre eles o de melhor longa-metragem no festival português de animação Monstra.[35]

Atualmente, o filme teve a classificação de 100% no Rotten Tomatoes com 58 avaliações.[36]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Ano Prémios Categorias Destinatários e nomeados Resultado Ref(s)
2013 64º Blue Ribbon Award Melhor Filme Indicado [37][38]
Melhor Realização Isao Takahata Indicado
68º Mainichi Eiga Concours Prêmio Cinematográfico de Animação Venceu [39]
2014 8º Asia Pacific Screen Award Melhor Filme de Animação Yoshiaki Nishimura Venceu [40]
37º Prémios da Academia Japonesa Prémio de Animação do Ano da Academia Japonesa Indicado [41]
Realização Proeminente da Canção Joe Hisaishi Indicado
Kinema Junpo Awards Melhor Filme Indicado [42]
67º Festival de Cannes Prémio da Arte Cinematográfica (Quinzena dos Realizadores) Isao Takahata Indicado [43]
Prémio Prix SACD (Quinzena dos Realizadores) Isao Takahata Indicado
Fantastic Fest Prêmio do Público Venceu [44]
62º Festival Internacional de Cinema de San Sebastián Prêmio do Público Indicado
39º Festival Internacional de Cinema de Toronto[29] Prêmio do Público de Melhor Filme de Longa-metragem Dramático Indicado
47º Sitges Film Festival Melhor Longa-metragem de Animação Indicado [45]
36º Mill Valley Film Festival Prêmio do Público de Melhor Filme de Animação Venceu [46]
18º Oslo Films from the South Festival Melhor Longa-metragem de Animação Indicado [47]
35º Boston Society of Film Critics Awards Melhor Filme de Animação Isao Takahata Venceu [48]
40º Prémios Los Angeles Film Critics Association Melhor Filme de Animação Isao Takahata Venceu [49]
Chicago Film Critics Association Melhor Longa-metragem de Animação Indicado [50]
San Francisco Film Critics Circle Melhor Longa-metragem de Animação Indicado [51]
Toronto Film Critics Association Melhor Longa-metragem de Animação Venceu [52]
18º Online Film Critics Society Awards Melhor Filme de Animação Indicado [53]
Melhor Fime Estrangeiro Indicado
2015 42º Annual Annie Awards Melhor Longa-metragem de Animação Indicado [54]
Direção em uma Produção de Longa-metragem Isao Takahata Indicado
Música em uma Produção de Longa-metragem Joe Hisaishi Indicado
Oscar 2015 Oscar de melhor filme de animação Isao Takahata, Yoshiaki Nishimura Indicado [55]
Monstra Festival (Festival de Animação de Lisboa) Melhor Longa-Metragem - Grande Prémio RTP Isao Takahata Venceu [56][57][58]

Referências

  1. «Princess Kaguya» (em inglês). British Board of Film Classification. 21 de janeiro de 2015 
  2. «O Conto da Princesa Kaguya». California Filmes. Consultado em 30 de julho de 2015 
  3. «「いくらあっても使う…」鈴木Pが語る宮崎駿の"金遣い"【ジブリ】» (em japonês). Jisin.jp. 6 de dezembro de 2013 
  4. Ma, Kevin (23 de julho de 2014). «Pokémon defeats Ghibli at Japan box office» (em inglês). Film Business Asia 
  5. «The Tale of the Princess Kaguya» (em inglês). Box Office Mojo. Consultado em 30 de julho de 2015 
  6. «Ghibli Lists Jobs for Isao Takahata's Summer 2013 Film» (em inglês). Anime News Network. 21 de novembro de 2011 
  7. Fischer, Russ (21 de novembro de 2012). «Studio Ghibli Titles New Films From Hayao Miyazaki and Isao Takahata; 'Grave of the Fireflies' Picked Up For US Re-Release» (em inglês). /Film 
  8. «かぐや姫の物語(2013)» (em japonês). All Cinema. Consultado em 30 de julho de 2015 
  9. «Estreia esta quinta-feira: «O Conto da Princesa Kaguya»». Diário Digital. SAPO. 8 de abril de 2015 
  10. «Novo poster português para "O Conto da Princesa Kaguya" (Kaguya-hime no Monogatari)». FilmSPOT. 3 de março de 2015 
  11. «O Conto da Princesa Kaguya é indicado ao óscar de melhor animação». California Filmes. Consultado em 30 de julho de 2015 
  12. «O Conto da Princesa Kaguya recebe indicação ao Óscar e chegará ao Brasil». Studio Ghibli Brasil 
  13. «かぐや姫の物語 登場人物» (em japonês). Kaguya-hime Monogatari. Consultado em 30 de julho de 2015 
  14. a b «Isao Takahata to Base Next Film on Taketori Monogatari (Updated)» (em inglês). Anime News Network. 12 de agosto de 2009 
  15. «ジブリ新作、2作一挙公開!宮崎駿&高畑勲作品でジブリ史上初!» (em japonês). Cinema Today. 13 de dezembro de 2012 
  16. «Takahata, Ghibli's Kaguya-Hime Now Lists Composer Hisaishi» (em inglês). Anime News Network. 7 de fevereiro de 2013 
  17. «ジブリ新作『かぐや姫の物語』主題歌決定!現役僧侶の二階堂和美が大抜てき!» (em japonês). Cinema Today. 23 de maio de 2013 
  18. a b «Ghibli Announces Miyazaki's Kaze Tachinu, Takahata's Kaguya-hime no Monogatari» (em inglês). Anime News Network. 13 de dezembro de 2012 
  19. «高畑勲監督「かぐや姫」公開延期 「絵コンテ完成まだ」» (em japonês). Asahi Shimbun. 5 de fevereiro de 2013 
  20. «高畑勲監督「かぐや姫の物語」公開が秋に延期!» (em japonês). Eiga.com. 4 de fevereiro de 2013 
  21. Isabela, Marcela (10 de fevereiro de 2015). «O Conto da Princesa Kaguya chega a Portugal». ANMTV 
  22. Isabela, Marcela (4 de março de 2015). «Portugal: O Conto da Princesa Kaguya e As Asas do Vento». ANMTV 
  23. «O Conto da Princesa Kaguya - Outsider Films (Portugal)». Outsider Films. Facebook. 20 de janeiro de 2015 
  24. «Trailer de O Conto da Princesa Kaguya (2013)». filmSPOT. Consultado em 30 de julho de 2015 
  25. Sousa, Matheus (24 de janeiro de 2015). «O Conto da Princesa Kaguya: filme chega ao Brasil». ANMTV 
  26. Jiback, Rafael (24 de janeiro de 2015). «O Conto da Princesa Kaguya Ganha Pôster Nacional». JBox 
  27. Sousa, Matheus (4 de abril de 2015). «O Conto da Princesa Kaguya tem estreia adiada no Brasil». ANMTV 
  28. Goodfellow, Melanie (22 de abril de 2014). «Cannes Directors' Fortnight 2014 lineup unveiled» (em inglês). Screen International 
  29. a b «O que rolou até agora no Festival internacional de Toronto 2014». Espaço Itaú de Cinema. 9 de setembro de 2014 
  30. Blair, Galvin (25 de novembro de 2013). «Studio Ghibli's 'The Tale of Princess Kaguya' Tops Japanese Box Office» (em inglês). The Hollywood Reporter 
  31. «Japanese Box Office, February 1-2» (em inglês). Anime News Network. 9 de fevereiro de 2014 
  32. キネマ旬報2下旬決算特別号, pp. 80, 102.
  33. «Studio Ghibli delivers a new masterpiece with The Tale Of Princess Kaguya» (em inglês). The A.V. Club. 16 de outubro de 2014 
  34. Rapold, Nicolas (16 de outubro de 2014). «'The Tale of the Princess Kaguya,' From Isao Takahata» (em inglês). The New York Times 
  35. «'O Conto da Princesa Kaguya' vence a Monstra». Diário de Notícias. 21 de março de 2015 
  36. «The Tale of the Princess Kaguya (2014)» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 30 de julho de 2015 
  37. «Blue Ribbon Nominees 2013» (em inglês). Internet Movie Database. 16 de janeiro de 2014 
  38. «The Tale of The Princess Kaguya». Embaixada do Japão em Washington, D.C. (em inglês). Centro de Cultura e Informação do Japão. Consultado em 30 de julho de 2015 
  39. Ma, Kevin (21 de janeiro de 2014). «Great Passage, Pecoross top Mainichi Award» (em inglês). Film Business Asia 
  40. «APSA Nominees 2014» (em inglês). Internet Movie Database. 16 de janeiro de 2014 
  41. «Wind Rises, Madoka, Lupin vs. Conan, Harlock, Kaguya Earn Japan Academy Prize Nods» (em inglês). Anime News Network. 16 de janeiro de 2014 
  42. «Kinema Junpo Nominees 2014» (em inglês). Internet Movie Database. 16 de janeiro de 2014 
  43. «Palmarès et nominations du Festival de Cannes» (em francês). AlloCiné. Consultado em 30 de julho de 2015 
  44. Cipriani, Casey (23 de setembro de 2014). «Isao Takahata's 'The Tale of Princess Kaguya' Takes Top Prize at Fantastic Fest» (em inglês). IndieWire 
  45. «Anima't» (em inglês). Sitges Film Festival. Consultado em 30 de julho de 2015 
  46. «Mill Valley Fest nominees 2014» (em inglês). Internet Movie Database. 23 de setembro de 2014 
  47. «Oslo Film Festival nominees 2014» (em inglês). Internet Movie Database. 23 de setembro de 2014 
  48. Davis, Clayton. «Boston Society of Film Critics Winners – Boyhood Wins Big» (em inglês). Awards Circuit  Texto "data7 de dezembro de 2014" ignorado (ajuda)
  49. Davis, Clayton (7 de dezembro de 2014). «Los Angeles Film Critics Association Winners – Boyhood Pulls a Sunday Sweep» (em inglês). Awards Circuit 
  50. «And The Winners Are...» (em inglês). Chicago Film Critics Association. 15 de dezembro de 2014 
  51. «2014 San Francisco Film Critics Nominations» (em inglês). San Francisco Film Critics Circle. 14 de dezembro de 2014 
  52. «And The Winners Are...» (em inglês). Toronto Film Critics Association. 15 de dezembro de 2014 
  53. «Online Film Critics Society Awards nominations» (em inglês). Online Film Critics Society. 7 de dezembro de 2014 
  54. «42nd Annual Nominees» (em inglês). Annie Award. Consultado em 30 de julho de 2015 
  55. Vincent, Alice (22 de fevereiro de 2015). «Oscars 2015: nominations in full» (em inglês). The Daily Telegraph 
  56. «Vencedores MONSTRA 2015». Festival de Animação de Lisboa. 23 de março de 2015 
  57. Gomes, Hugo (23 de março de 2015). ««O Conto da Princesa Kaguya» triunfa na Monstra 2015». C7nema 
  58. Lusa (22 de março de 2015). «Filme japonês "O Conto da Princesa Kaguya" vence Grande Prémio Monstra 2015». Rádio e Televisão de Portugal 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre O Conto da Princesa Kaguya