O Conto da Princesa Kaguya

Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o filme de animação produzido em 2013. Para a fábula, veja Conto do Cortador de Bambu.
O Conto da Princesa Kaguya
かぐや姫の物語
Japão
2013 •  cor •  137[1] min 
Direção Isao Takahata
Produção Yoshiaki Nishimura
Roteiro
  • Isao Takahata
  • Riko Sakaguchi
Baseado em Cortador de Bambu
Elenco
  • Aki Asakura
  • Kengo Kora
  • Takeo Chii
  • Nobuko Miyamoto
Gênero
Música Joe Hisaishi
Edição Toshihiko Kojima
Companhia(s) produtora(s) Studio Ghibli
Distribuição Toho
Lançamento JPN 23 de novembro de 2013 (2013-11-23)
PRT 9 de abril de 2015 (2015-04-09)
BRA 16 de junho de 2015 (2015-06-16)
Idioma japonês
Orçamento ¥ 5 bilhões[2]
Receita ¥ 2,47 bilhões[3]

O Conto da Princesa Kaguya[4][5] (かぐや姫の物語 Kaguya-hime no Monogatari?) é um filme japonês de animação, drama e fantasia lançado em 2013. O seu roteiro foi escrito por Isao Takahata e Riko Sakaguchi, baseado a partir da clássica fábula japonesa o Cortador de Bambu do século X. A obra contou com a produção de Yoshiaki Nishimura, enquanto a trilha sonora foi composta por Joe Hisaishi. O enredo do longa-metragem começa quando a personagem principal, Kaguya (Aki Asakura), é encontrada ainda como um bebê dentro de um tronco de bambu. E ao passar dos anos, ela se torna uma bela jovem e passa a ser cobiça por cinco nobres, dentre eles o imperador do Japão, mas nenhum dos pretendentes agrada a jovem e a mesma pede presentes quase impossíveis para evitar um matrimônio com um estranho. Ao final, Kaguya enfrentará as consequências por suas escolhas.

Sendo o filme mais caro a ser produzido pelo Studio Ghibli, O Conto da Princesa Kaguya teve um orçamento estimado em 5 bilhões de ienes e demorou oito anos para ser produzido.[6] O desenho da obra foi inteiramente desenhada à mão, favorecendo a um estilo impressionista que recorda as pinturas orientais do Japão antigo. E diferenciando-se do estilo artístico das muitas outras produções do estúdio.[7] Para Edu Fernandes do CineClick, a maior qualidade do filme está no visual e que os "Cenários são delicados como se fossem pinturas de aquarela. Entretanto, os personagens são apresentados em traços que se assemelham a giz de cera".[8] A trilha sonora desempenha uma função importante na trama, mesclando melodias ocidentalizadas e músicas tradicionais para iterar o ambiente enigmático e imaginário da película.[9]

Lançado nos cinemas em 23 de novembro de 2013, O Conto da Princesa Kaguya foi o longa-metragem de maior bilheteria entre os dois primeiros dias de sua estreia. Posteriormente, tornou-se um fracasso comercial internacional,[10] arrecadando 24 milhões de dólares estadunidenses —sendo grande parte do lucro vindo do Japão, com 22 milhões.[11] Porém, foi avaliado positivamente pela crítica e pelo público, que elogiaram a simplicidade da sua história e principalmente o desenho do filme feito inteiramente em 2D. Recebeu 25 indicações e 7 vitórias a diversos prêmios incluindo ao Oscar de melhor filme de animação na 87.ª edição da premiação, foi o primeiro trabalho de Takahata a ser indicado. Também recebeu diversas nomeações ao prêmio de "melhor filme de animação" em várias cerimônias e festivais, como nos prêmios Annie, Empire, Online Film Critics Society e Asia Pacific Screen, vencendo esta última. O portal britânico BroadbandChoices, fez uma análise dos filmes mais populares do Studio Ghibli ao redor do mundo e classificou O Conto da Princesa Kaguya em 24.º lugar com 0,24%.[12]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Em mais um dia de trabalho como todos os outros, um simples camponês encontra em um talo de bambu uma pequena menina.[13] Encantado com que viu, decide a levar para sua casa e criá-la junto a sua esposa, a quem colocam o nome de Kaguya.[14] E ao passar dos anos, ela se torna uma bela jovem e passa a ser o interesse amoroso de vários homens, incluindo de cinco nobres a quem recusa vários pedidos de casamento e pede inúmeros presentes quase impossíveis.[14] Além disso, Kaguya chama a atenção do próprio imperador e ao se dar conta de seu interesse foge angustiada.[15]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Apresenta-se a seguir o elenco de O Conto da Princesa Kaguya.[16][17]

  • Aki Asakura — Princesa Kaguya
  • Kengo Kora — Sutemaru
  • Takeo Chii — Cortador de Bambu[nota 1]
  • Nobuko Miyamoto — Esposa do Cortador de Bambu
  • Atsuko Takahata — Sra. Sagami
  • Tomoko Tabata — Me no Warawa
  • Tatekawa Shinosuke — Inbe no Akita
  • Takaya Kamikawa — Príncipe Ishitsukuri
  • Hikaru Ijūin — Sr. Ministro
  • Ryudo Uzaki — Grande Conselheiro Otomo
  • Nakamura Shichinosuke II — Mikado
  • Isao Hashizume — Príncipe Kuramochi
  • Tamaki Kojo — Conselheiro Isonokami

Produção[editar | editar código-fonte]

Quando criança, Isao Takahata disse que leu o Conto do Cortador de Bambu e recordou que se esforçava para simpatizar com a protagonista; pois para ele, a "transformação da personagem foi enigmática", mas que "não evocava nenhuma empatia da parte [dele]".[18] Ainda quando trabalhava na Toei Animation, em 1960, Takahata tentou adaptar o conto, no entanto, o projeto acabou sendo abandonado.[19] E após reler o conto, percebeu o potencial da história para uma adaptação animada.[18][20] Em 2008, o Studio Ghibli revelou que Takahata estava trabalhando em seu próximo longa-metragem.[21] No Festival Internacional de Cinema de Locarno de 2009, o diretor afirmou que o projeto seria baseado no Conto do Cortador de Bambu.[22]

O Conto da Princesa Kaguya foi financiado pela Nippon TV, cujo falecido presidente, Seiichiro Ujiie deu ao projeto cinco bilhões de ienes.[23] Ujiie adorava o trabalho de Takahata e suplicou ao produtor Toshio Suzuki —do Studio Ghibli—, que deixasse Takahata fazer mais um filme.[nota 2][25] Para garantir a ligação emocional do público ao filme, era importante para Takahata que os espectadores pudessem ver a "realidade na obra", em vez de serem distraídos por um estilo artístico realista.[26] Além de querer que as pessoas "recordassem as realidades da vida".[27] Para ajudar com esta perspectiva, Osamu Tanabe ficou encarregado dos desenhos dos personagens e Kazuo Oga do cenário da animação.[23] Em 13 de dezembro de 2012, o lançamento de O Conto da Princesa Kaguya foi confirmado pelo Studio Ghibli e a distribuidora Toho.[28]

Seleção do elenco[editar | editar código-fonte]

A dublagem de O Conto da Princesa Kaguya foi composta por famosos dubladores do Japão, entre eles o ator Takeo Chii que faleceu perto da conclusão da obra.[nota 3][29] Chii gravou a maioria de suas falas no filme, mas devido à sua morte seis cenas foram regravadas por Yuji Miyake.[30] E para a protagonista, Aki Asakura foi escolhida entre cerca de 300 candidatas.[31]

Música[editar | editar código-fonte]

Em 2012, foi anunciado que Shin'ichirō Ikebe seria o responsável pela trilha sonora do filme, mas foi substituído por Joe Hisaishi no ano seguinte.[32] Foi a primeira vez que Hisaishi trabalhou num filme de Takahata.[32] O álbum contendo todas as faixas da trilha sonora de O Conto da Princesa Kaguya foi lançado em 20 de novembro de 2013, pela Tokuma Japan Communication.[33]

Lista de faixas[34]

Todas as canções escritas e compostas por Joe Hisaishi, excepto onde especificado. 

N.º Título Duração
1. "Hajimari (はじまり?)"   0:54
2. "Hikari (光り?)"   0:22
3. "Chiisaki Hime (小さき姫?)"   1:15
4. "Ikiru Yorokobi (生きる喜び?)"   1:01
5. "Mebae (芽生え?)"   2:20
6. "Takenoko (タケノコ?)"   2:06
7. "Inochi (生命?)"   1:00
8. "Yamasato (山里?)"   1:54
9. "Koromo (?)"   0:34
10. "Tabidachi (旅立ち?)"   1:20
11. "Aki no Minori (秋の実り?)"   0:39
12. "Nayotake (なよたけ?)"   1:23
13. "Tenarai (手習い?)"   0:48
14. "Inochi no Niwa (生命の庭?)"   0:25
15. "Utage (?)"   1:23
16. "Zetsubou (絶望?)"   1:07
17. "Haru no Meguri (春のめぐり?)"   1:03
18. "Utsukushiki Koto no Shirabe (美しき琴の調べ?)"   0:35
19. "Haru no Waltz (春のワルツ?)"   2:02
20. "Sato e no Omoi (里への想い?)"   1:36
21. "Kouki na Okata no Rhapsody (高貴なお方の狂騒曲?)"   1:29
22. "Magokoro (真心?)"   1:29
23. "Higurashi no Yoru (蜩の夜?)"   1:12
24. "Tsuki no Fushigi (月の不思議?)"   0:49
25. "Kanashimi (悲しみ?)"   1:01
26. "Sadame (運命?)"   1:18
27. "Tsuki no Miyako (月の都?)"   0:29
28. "Kikyou (帰郷?)"   1:20
29. "Hishou (飛翔?)"   4:26
30. "Tenjin no Ongaku I (天人の音楽I?)"   2:29
31. "Wakare (別離?)"   1:07
32. "Tenjin no Ongaku II (天人の音楽II?)"   0:58
33. "Tsuki (?)"   1:49
34. "Inochi no Kioku (いのちの記憶?)" (Nikaido Kazumi) 5:42
35. "Koto no Shirabe (琴の調べ?)"   0:57
36. "Warabe Uta (わらべ唄?)"   0:49
37. "Tennyo (天女の歌?)"   1:34
Duração total:
52:45

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

O Conto da Princesa Kaguya concorreu na seleção oficial da seção "Quinzena dos Diretores" no 67.º Festival de Cannes

Inicialmente, O Conto da Princesa Kaguya foi planejado para ser lançando no verão de 2013 simultaneamente com Kaze Tachinu de Hayao Miyazaki.[35] Entretanto, em janeiro de 2013, a distribuidora do filme anunciou que o seu lançamento seria adiado até o fim do ano devido a atrasos e mudanças nos storyboards da obra.[36][37][38] O Conto da Princesa Kaguya estreou oficialmente nos cinemas japoneses em 23 de novembro de 2013, sendo posteriormente lançado em outras nações.[nota 4][39] Em Portugal, foi exibido no Monstra Festival em 17 de março de 2015 e nos cinemas portugueses no dia 9 de abril do mesmo ano,[40][41] com a Outsider Films sendo responsável da distribuição do filme.[42] A obra foi lançada no Brasil em 16 de julho de 2015 pela California Filmes.[43]

A primeira exibição pública do filme em um festival internacional aconteceu em abril de 2014 no Festival de Cannes na cidade de Cannes, França, na seção "Quinzena dos Realizadores".[44] Também teve uma exibição no 38.º Festival de Cinema de Animação de Annecy no mês de junho.[45] Em setembro, foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Toronto, e no de San Sebastián.[46][47]

Classificação indicativa[editar | editar código-fonte]

Em seu país de origem, O Conto da Princesa Kaguya foi classificado para todos os públicos pela Eirin.[48] Nos Estados Unidos, recebeu da Motion Picture Association of America (MPAA) uma classificação PG (Parental Guidance Suggested) por conter "nudez parcial e alguns elementos de violência".[49] Desta forma, o filme foi recomendado pela associação apenas para maiores de 9 anos. O portal Common Sense Media também manteve a idade prevista pela MPAA. Por outro lado, pais usuários do site o recomendaram para maiores de 6 anos, e crianças colocaram 9 anos.[50] No Brasil, em seu lançamento para os cinemas, o filme foi classificado como "livre para todos os públicos", conforme o Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação (DEJUS).[51] Em Portugal, a organização de Inspecção-Geral das Actividades Culturais atribuiu uma classificação M/6. Assim, foi recomendado para crianças de 6 anos e acima.[52]

Home video[editar | editar código-fonte]

O Conto da Princesa Kaguya foi lançado em formatos DVD e blu-ray no dia 3 de dezembro de 2014 no Japão.[53] No Brasil, foi comercializado em ambos os formatos a partir de 30 de setembro de 2015.[54] Nos Estados Unidos a edição em blu-ray vendeu 14 586 de unidades, alcançando a 16.ª classificação e arrecadando 335 045 de dólares.[55] Em sua edição estadunidense —tanto em DVD como em blu-ray— o disco apresenta os bônus; anúncio de conclusão do filme, trailers, faixas de áudio em inglês e japonês, entre outros.[56]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O Conto da Princesa Kaguya teve um sucesso moderado em sua estreia no Japão, ficando na primeira posição dos filmes mais assistidos entre os dias 23 e 24 de novembro de 2013, recebendo um total de 284 252 550 ienes arrecadados em 456 cinemas, e com um público de 222 822 pessoas.[57] Em sua nona semana de lançamento, o filme arrecadou 2 217 656 750 de ienes e com um total de 1 849 467 espectadores.[58] Ao todo a obra arrecadou 2,47 bilhões em território japonês, ficando como o 11.º filme de maior arrecadação do ano de 2014 no país.[3]

Internacionalmente, O Conto da Princesa Kaguya apresentou um baixo lucro nas bilheterias. Arrecadando ao todo US$ 24 706 166 mundialmente.[11] Na América do Norte o filme ficou em exibição nos cinemas por 161 dias, entre 17 de outubro de 2014 a 26 de março de 2015, lucrando ao todo US$ 703 232.[59] Na França estreou como o décimo segundo filme mais assistido do país, gerando uma receita de US$ 379 807 entre os dias 25 a 29 de junho de 2014.[60] Em Hong Kong arrecadou US$ 96 514 em 61 cinemas entre 10 a 13 de julho, ficando no quinto lugar dos mais assistidos.[61] E ao todo gerou US$ 328 578.[62] No Brasil estreou em seis salas de cinema, e obteve uma renda acumulada de R$ 87 760 e um público de 6 977 pessoas.[63] Outras nações que apresentaram uma forte bilheteria em dólares foram Austrália, com 67 829;[64] Noruega, 65 222;[65] Bélgica, 57 876;[66] e Espanha, com 49 205.[67]

Resposta da crítica[editar | editar código-fonte]

O Conto da Princesa Kaguya obteve uma recepção crítica muito favorável por parte da mídia japonesa e internacional. No agregador de resenhas Rotten Tomatoes, o filme recebeu um "Certificado Fresco" e marca uma pontuação de 100% com base em comentários de 96 críticos, e registra uma nota 8,20 de 10. De acordo com o site, o consenso crítico do filme diz: "Com uma narrativa profunda, honesta, franca e bela, O Conto da Princesa Kaguya é uma animação moderna com apelo atemporal".[68] No Metacritic, que atribui uma média aritmética ponderada com base em 100 comentários de críticos mainstream, o filme recebe uma pontuação média de 89 pontos com base em 28 resenhas, indicando "aclamação universal".[69] No website, foi classificado como o sétimo melhor do ano.[70]

A crítica de cinema Maggie Lee da Variety, aclamou-o dando a classificação máxima de cinco estrelas e escreveu: "Interpretação animada de um conto japonês do século X sobre uma donzela que veio da Lua para à Terra, O Conto da Princesa Kaguya transita de um simples conto a uma sofisticada representação sobre a loucura do materialismo e a evanescência da beleza".[71] A classificação de quatro estrelas em cinco foi dada pelos próximos dois críticos. "A técnica de animação delicadamente trabalhado é belo e emocionante, porém teve uma recepção mista no Japão e teve dificuldade ao se adaptar a um público internacional", escreveu Leslie Felperin ao The Hollywood Reporter.[72] Em sua avaliação para o jornal The Washington Post, Michael O'Sullivan descreveu-o como "Uma obra melancólica, linda, e mágica sobre a alegria e a dor da existência humana. Se há um erro, é o filme ser muito longo".[73] O Conto da Princesa Kaguya é verdadeiramente uma obra-prima, sendo em simultâneo, muito simples e fazendo a cabeça do espectador girar", disse Glenn Kenny do RogerEbert.com.[74] Em sua resenha ao The Guardian, Mike McCahill afirmou: "As imagens exuberantes e pintadas à mão oferecem abundante consolação".[75] De maneira similar, Nicolas Rapold, do New York Times, aclamou o filme, e descreveu-o como "Elegantemente desenhado com tanto delicadeza da aquarela e como um traço de significado vívido".[76]

O website brasileiro AdoroCinema atribui-lhe uma nota média 4,5/5, com base em resenhas da imprensa, e uma nota de 4,5 por parte dos usuários.[77][78] Bruno Carmelo, do próprio AdoroCinema, deu ao filme a classificação 4,5/5 estrelas e disse: "Sem os recursos típicos das animações computadorizadas, que buscam trejeitos realistas, a obra japonesa se apoia na força do desenho manual, na sugestão dos traços mínimos. É surpreendente encontrar uma obra ao mesmo tempo tão atual e tão universal, tão política e tão poética. O conteúdo incisivo da obra é temperado com as imagens mais doces e belas que o cinema de animação tem produzido nos últimos anos, com esta produção, o Studio Ghibli provam mais uma vez a sua irônica capacidade de usar a fantasia para fazer um retrato realista do nosso mundo.[79] Érico Borgo, do site Omelete, classificou a obra com nota máxima de cinco; "Lindamente trabalhado, com belas canções e cheio das mensagens que nesses anos todos se tornaram sinônimo de um dos maiores estúdios de animação do mundo, Kaguya encanta a cada momento, seja no desenho de uma rã, no tombo de um bebê, no design dos personagens ou no mágico climax. Uma animação madura, que não se furta a tratar de sentimentos ou situações difíceis, mas o faz com a sensibilidade que só o Studio Ghibli é capaz".[80]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Entre os anos de 2014 e 2016, O Conto da Princesa Kaguya foi indicado para várias premiações nacionais e internacionais, e das vinte e cinco indicações conquistou sete vitórias.

Lista de prêmios e indicações
Premiação Data da cerimônia Categoria Vencedores e indicados Resultado
Asia Pacific Screen Awards 11 de dezembro de 2014[81] Melhor filme de animação Venceu
Associação de Críticos de Cinema de Chicago 15 de dezembro de 2014[82] Melhor filme de animação Indicado
Associação de Críticos de Cinema de Toronto 6 de janeiro de 2015[83] Melhor filme de animação Venceu
Blue Ribbon Awards 11 de fevereiro de 2014[84] Melhor filme Indicado
Melhor diretor Isao Takahata Indicado
Empire Awards 20 de março de 2016[85][86] Melhor filme de animação Indicado
Fantastic Fest 22 de setembro de 2014[87] Prêmio do Público Venceu
Festival de Cannes 2014[88] Prêmio da Arte Cinematográfica (Quinzena dos Realizadores) Isao Takahata Indicado
Prêmio Prix SACD (Quinzena dos Realizadores) Indicado
Festival de Cinema de Mill Valley 2014[89] Prêmio do Público de melhor filme animação Indicado
Festival Internacional de Cinema de Toronto 14 de setembro de 2014[90] Prêmio do Público de melhor filme dramático Indicado
Kinema Junpō 8 de fevereiro de 2014[91] Melhor filme 4º lugar
Monstra Festival 22 de março de 2015[92] Melhor Longa-metragem – Grande Prémio/RTP Venceu
Online Film Critics Society 15 de dezembro de 2014[93] Melhor filme de animação Indicado
Melhor filme de língua não inglesa Indicado
Oscar 22 de fevereiro de 2015[94] Melhor filme de animação Isao Takahata e Yoshiaki Nishimura Indicado
Prêmios Annie 31 de janeiro de 2015[95] Melhor filme de animação Indicado
Melhor direção em uma produção de longa-metragem Isao Takahata Indicado
Melhor música em uma produção de longa-metragem Joe Hisaishi Indicado
Prêmios da Academia do Japão 7 de março de 2014[96] Animação do Ano Indicado
Realização Proeminente na Música Joe Hisaishi Indicado
Prêmios da Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles 7 de dezembro de 2024[97] Melhor filme de animação Venceu
Prêmios da Sociedade de Críticos de Cinema de Boston 7 de dezembro de 2014[98] Melhor filme de animação Venceu
Prêmio de Cinema Mainichi 21 de janeiro de 2014[99] Prêmio Cinematográfico de Animação Venceu
San Francisco Film Critics Circle 14 de dezembro de 2014[100] Melhor filme de animação Indicado
"—" denota indicação ou vitória para O Conto da Princesa Kaguya.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Yuji Miyake gravou alguns diálogos para o personagem depois da morte de Takeo Chii.
  2. Antes de sua morte, em 3 de março de 2011, Ujiie ainda viu o roteiro e alguns dos storyboards de O Conto da Princesa Kaguya.[24]
  3. O Conto da Princesa Kaguya marca o último projeto de Takeo Chii.
  4. "Cinemas" se refere a locais de exibição, que podem ter múltiplos auditórios.

Referências

  1. «Princess Kaguya» (em inglês). British Board of Film Classification. 22 de janeiro de 2015. Consultado em 25 de agosto de 2021. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2015 
  2. Ma, Kevin (23 de junho de 2014). «Pokemon defeats Ghibli at Japan box office». Film Business Asia (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2021. Arquivado do original em 19 de agosto de 2014 
  3. a b 2014年(平成26年) 興行収入10億円以上番組 (PDF) (em japonês). 日本映画製作者連盟. 27 de janeiro de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  4. «O Conto da Princesa Kaguya - Filme 2013». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  5. «O Conto da Princesa Kaguya - Filmes». Portugal: RTP. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  6. «The 10 Most Expensive Anime Of The Decade (& How Much They Cost To Make)» (em inglês). CBR.com. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  7. «The Tale of Princess Kaguya (review)». Psycho Cinematography (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2021 
  8. Fernandes, Edu (15 de julho de 2015). «O Conto da Princesa Kaguya». CineClick. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  9. Santiago, Luiz (1 de junho de 2021). «Crítica: O Conto da Princesa Kaguya». Plano Crítico. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  10. Combs, Jacob (31 de julho de 2014). «Are Studio Ghibli's Days Numbered? Say It Ain't So». IndieWire (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2021 
  11. a b «The Tale of The Princess Kaguya». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  12. Leggett, Jonathan (7 de julho de 2021). «The world's most searched studio Ghibli movies». BroadbandChoices (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2021 
  13. Byford, Sam (17 de outubro de 2015). «'The Tale of the Princess Kaguya' is the most gorgeous film you'll see all year». The Verge (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2021 
  14. a b Teister, Tayana (22 de março de 2020). «O Conto da Princesa Kaguya (2013): beleza brilhante». Cinema com Rapadura. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  15. Trojaike, Laísa (16 de março de 2020). «O Conto da Princesa Kaguya ensina que riqueza não é felicidade». Canaltech. Consultado em 25 de agosto de 2021 
  16. かぐや姫の物語 登場人物 (em japonês). かぐや姫の物語. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  17. «The Tale of the Princess Kaguya (2014) - Cast and Crew». Moviefone (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2021 
  18. a b Desowitz, Bill (23 de dezembro de 2014). «Immersed in Movies: Isao Takahata Talks 'The Tale of the Princess Kaguya' Swan Song». IndieWire (em inglês). Consultado em 20 de julho de 2021 
  19. Desowitz, Philippa (8 de outubro de 2014). «The Tale of Princess Kaguya is Isao Takahata's first film in 14 years; is it also his last?». The Sydney Morning Herald (em inglês). Consultado em 20 de julho de 2021 
  20. «Isao Takahata Talks The Tale of Princess Kaguya». Games Radar (em inglês). 27 de agosto de 2015. Consultado em 20 de julho de 2021 
  21. Loo, Egan (1 de fevereiro de 2009). «Ghibli's Takahata, Goro Miyazaki Developing New Works». Anime News Network (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2021 
  22. Loo, Egan (12 de agosto de 2009). «Isao Takahata to Base Next Film on Taketori Monogatari». Anime News Network (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2021 
  23. a b Desowitz, Nick (8 de maio de 2018). «Slow on the draw: Takahata Isao's long road to The Tale of the Princess Kaguya». British Film Institute (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2021 
  24. Loo, Egan (28 de março de 2011). «NTV Chair/Anime Film Producer Seiichiro Ujiie Passes Away (Updated)». Anime News Network (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2021 
  25. Suzuki, Toshio (11 de outubro de 2013). «Special Interview: Suzuki Toshio, Producer and Chairman, Studio Ghibli – Miyazaki Hayao and Takahata Isao Serving as the driver for two geniuses». Discuss Japan (entrevista centrada) (em inglês). p. 16. Consultado em 21 de julho de 2021. Arquivado do original (Transcrição) em 12 de junho de 2016 
  26. Kamen, Matt (19 de março de 2015). «Studio Ghibli's Isao Takahata on animating his final film». Wired UK. ISSN 1357-0978. Consultado em 22 de julho de 2021 
  27. Solomon, Charles (9 de abril de 2018). «Studio Ghibli co-founder Isao Takahata was a true poet of Japanese animation». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2021 
  28. ジブリ新作、2作一挙公開!宮崎駿&高畑勲作品でジブリ史上初!. Cinema Today (em japonês). 13 de dezembro de 2012. Consultado em 22 de julho de 2021 
  29. 地井武男さん、高畑勲監督最新作『かぐや姫の物語』に声の出演. Oricon News (em japonês). 17 de setembro de 2013. Consultado em 27 de julho de 2021 
  30. 三宅裕司、亡き地井武男さんへ恩返し 「かぐや姫の物語」に代役出演していた. Eiga.com (em japonês). 6 de dezembro de 2013. Consultado em 27 de julho de 2021 
  31. Nishimura, Yoshiaki (dezembro de 2013). 日本一のアニメーション監督と過ごした八年間. Eureka (Transcrição) (entrevista centrada) (em japonês) (1). pp. 106—117 
  32. a b Mertz, Joanne (7 de fevereiro de 2013). «Takahata, Ghibli's Kaguya-Hime Now Lists Composer Hisaishi». Anime News Network (em inglês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  33. かぐや姫の物語 サウンドトラック. Oricon (em japonês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  34. かぐや姫の物語 サウンドトラック/久石譲. Mora (em japonês). Consultado em 5 de agosto de 2021 
  35. Loo, Egan (13 de dezembro de 2012). «Ghibli Announces Miyazaki's Kaze Tachinu, Takahata's Kaguya-hime no Monogatari». Anime News Network (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2021 
  36. Hodgkins, Crystalyn (4 de fevereiro de 2013). «Isao Takahata's Kaguya-hime Film Delayed to This Fall». Anime News Network (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2021 
  37. 高畑勲監督「かぐや姫」公開延期 「絵コンテ完成まだ」. Asahi Shimbun (em japonês). 5 de fevereiro de 2013. Consultado em 25 de julho de 2021. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2013 
  38. 高畑勲監督「かぐや姫の物語」公開が秋に延期!. Eiga.com (em japonês). 4 de fevereiro de 2013. Consultado em 25 de julho de 2021 
  39. かぐや姫の物語 - スタジオジブリ (em japonês). Studio Ghibli. Consultado em 26 de julho de 2021 
  40. «Monstra: Filme do dia: «O Conto da Princesa Kaguya»». SAPO Mag. 15 de março de 2015. Consultado em 26 de julho de 2021 
  41. «Os filmes da semana - estreias nos cinemas a 9 de abril de 2015». filmSPOT. Consultado em 26 de julho de 2021 
  42. «Trailer - O Conto da Princesa Kaguya / Kaguya-hime no Monogatari (2013)». filmSPOT. Consultado em 26 de julho de 2021 
  43. «Ranking de filmes 2015 (por renda)». Database Brasil. Consultado em 26 de julho de 2021 
  44. Lyttelton, Oliver (26 de maio de 2014). «Cannes Review: Studio Ghibli's 'The Tale Of Princess Kaguya' Is An Artful Return For Isao Takahata». IndieWire (em inglês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  45. «Festival du cinéma d'animation (Fifa): Isao Takahata à la cérémonie d'ouverture». Le Dauphiné Libéré (em francês). 17 de abril de 2014. Consultado em 27 de julho de 2021 
  46. Olsen, Mark (21 de outubro de 2014). «Isao Takahata of Studio Ghibli surfaces with 'Princess Kaguya'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  47. «'El cuento de la princesa Kaguya': Trazos de belleza». infoLibre (em espanhol). 18 de março de 2016. Consultado em 27 de julho de 2021 
  48. かぐや姫の物語 : 作品情報. Eiga.com (em japonês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  49. Turan, Kenneth (16 de outubro de 2014). «In 'Princess Kaguya,' a wondrous parable about what matters». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2021 
  50. «The Tale of the Princess Kaguya Movie Review». Common Sense Media (em inglês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  51. «O Conto da Princesa Kaguya — Classificação Indicativa». Sistema de Classificação Indicativa Brasileiro. Consultado em 27 de julho de 2021 
  52. «O Conto da Princesa Kaguya». Cinecartaz. Consultado em 27 de julho de 2021 
  53. かぐや姫の物語. Disney.jp (em japonês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  54. «Home-video: O Conto da Princesa Kaguya será lançado em DVD e Blu-ray». JBox. Consultado em 27 de julho de 2021 
  55. «Kaguyahime no monogatari (2013) - Financial Information». The Numbers (em inglês). Consultado em 27 de julho de 2021 
  56. «The Tale of The Princess Kaguya» (em inglês). GKIDS Films. Consultado em 27 de julho de 2021 
  57. ジブリ最新作『かぐや姫の物語』が首位!2日で2億円突破! (em japonês). シネマトゥデイ. 26 de novembro de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  58. 『永遠の0』50億円突破でV5!『黒執事』は4位に初登場! (em japonês). シネマトゥデイ. 21 de janeiro de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  59. «The Tale of The Princess Kaguya — Domestic». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  60. «French 2014 Weekend 26». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  61. «Hong Kong 2014 Weekend 28». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  62. «Hong Kong 2014 Weekend 33». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  63. «Ranking de filmes 2015 (por renda)». Database Brasil. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  64. «The Tale of The Princess Kaguya — Australia». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  65. «The Tale of The Princess Kaguya — Norway». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  66. «The Tale of The Princess Kaguya — Belgium». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  67. «The Tale of The Princess Kaguya — Spain». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2021 
  68. «The Tale of the Princess Kaguya (2013)» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  69. «The Tale of The Princess Kaguya Reviews» (em inglês). Metacritic. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  70. «Best Movies for 2014» (em inglês). Metacritic. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  71. Lee, Maggie (21 de março de 2014). «Review: 'The Tale of the Princess Kaguya'». Variety (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021 
  72. Felperin, Leslie (25 de maio de 2014). «'The Tale of Princess Kaguya' ('Kaguya-hime no monogatari'): Cannes Review». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2021 
  73. O'Sullivan, Michael (30 de outubro de 2014). «'The Tale of the Princess Kaguya' movie review». The Washington Post (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2021 
  74. Kenny, Glenn (17 de outubro de 2014). «The Tale of The Princess Kaguya movie review (2014)». RogerEbert.com (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2021 
  75. McCahill, Mike (19 de março de 2015). «The Tale of the Princess Kaguya review – lush imagery with narrative longueurs». The Guardian (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2021 
  76. Rapold, Nicolas (16 de outubro de 2014). «Life, a Royal Pain». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  77. «O Conto da Princesa Kaguya: Críticas imprensa». AdoroCinema. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  78. «Críticas do filme O Conto da Princesa Kaguya». AdoroCinema. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  79. Carmelo, Bruno. «O Conto da Princesa Kaguya: Crítica». AdoroCinema. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  80. Borgo, Érico (16 de julho de 2015). «O Conto da Princesa Kaguya: Crítica». Omelete. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  81. «Russia's Leviathan wins at APSA». Film Business Asia (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 13 de dezembro de 2014 
  82. «"Birdman" Leads 2014 CFCA Nominations» (em inglês). Chicago Film Critics Association. Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 27 de novembro de 2015 
  83. «And The Winners Are...» (em inglês). Toronto Film Critics Association. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  84. かぐや姫の物語(ジブリ映画)のネタバレ解説・考察まとめ. Renote (em japonês). Consultado em 23 de agosto de 2021 
  85. «Jameson Empire Awards 2016: Star Wars and Mad Max lead the nominations». Empire (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021 
  86. «Mad Max: Fury Road leads the pack at the 2016 Jameson Empire Awards». Metro (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021 
  87. «The 2014 Fantastic Fest Awards Recipients» (em inglês). Fantastic Fest. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  88. «Cannes 2014. Isao Takahata's "The Tale of The Princess Kaguya"» (em inglês). MUBI. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  89. «36th Mill Valley Film Festival» (em inglês). Mill Valley Film Festival. Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 31 de outubro de 2014 
  90. «Isao Takahata's 'Princess Kaguya' to make North American première at Toronto film fest». The Asahi Shimbun (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 6 de outubro de 2014 
  91. 2013年 第87回キネマ旬報ベスト・テン決定のお知らせ. ValuePress! (em japonês). Consultado em 23 de agosto de 2021 
  92. «Vencedores MONSTRA 2015». Festival de Animação de Lisboa. Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 25 de março de 2015 
  93. «Online Film Critics Society Awards nominations» (em inglês). OFCS. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  94. «Oscar 2015: Os filmes vencedores» (em inglês). Omelete. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  95. «42nd Annual Nominees» (em inglês). Annie Awards. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  96. «Wind Rises, Madoka, Lupin vs. Conan, Harlock, Kaguya Earn Japan Academy Prize Nods». Anime News Network (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021 
  97. «Los Angeles Film Critics Association Winners – Boyhood Pulls a Sunday Sweep». Awards Circuit (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 7 de abril de 2015 
  98. «Boston Society of Film Critics Winners – Boyhood Wins Big». Awards Circuit (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 7 de abril de 2015 
  99. 第68回毎日映画コンクール発表!『舟を編む』が日本映画大賞 (em japonês). シネマトゥデイ. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  100. «2014 San Francisco Film Critics Nominations» (em inglês). San Francisco Film Critics Circle. Consultado em 23 de agosto de 2021. Arquivado do original em 14 de dezembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre O Conto da Princesa Kaguya:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata
Links
Leitura adicional