O Corintiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Corintiano
 Brasil
1966 •  p&b •  98 min 
Direção Milton Amaral
Roteiro Milton Amaral
Amácio Mazzaropi
Elenco Amácio Mazzaropi
Elizabeth Marinho
Lucia Lambertini
Nicolau Guzzardi
Carlos Garcia
Roberto Pirillo
Leonor Pacheco
Roberto Orosco
Augusto Machado de Campos
Xandó Batista
Género comédia
Música Hector Lagna Fietta
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

O Corintiano é um filme brasileiro de 1966, do gênero comédia, dirigido por Milton Amaral e estrelado por Mazzaropi.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O barbeiro Manoel, ex-jogador de futebol, apelidado de "Seu Mané", morador da Vila Maria Zélia, na cidade de São Paulo é um torcedor fanático do Corinthians Paulista, que faz de tudo pelo seu time de coração, enlouquecendo sua família. Entra em conflito com seu vizinho italiano e palmeirense, Leontino. Em uma cena, há uma guerra de hinos dos dois clubes. Mané faz promessas malucas e orações a São Jorge, passa sofrimentos e profere insultos na arquibancada. Em seu salão, corta o cabelo e faz a barba de graça de quem for corintiano e apresentar carteirinha do clube.[2]

Quando seu time perde, compra todos os jornais das bancas. Seu mascote é um burro com a pele malhada (preta e branca), por quem nutre um carinho especial, chegando a colocá-lo para comer com ele e a família na mesa. Em outra passagem ele persegue seu rádio portátil em que o locutor esportivo Geraldo Bretas falava mal do Corinthians, começando as críticas com seu bordão "venceu mas não convenceu".

Mané insiste para que seu filho Jair jogue futebol no Corinthians e abandone o curso de medicina. Sua filha Marisa quer ser bailarina, o que também o contraria, com medo que ela se torne vedete e fique falada. Ele queria que a filha fosse costureira e a aconselhava a tentar namorar com o jogador Rivellino.[3][4][5]

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Amácio Mazzaropi - Manoel (Seu Mané)
  • Elizabeth Marinho - Marisa
  • Lúcia Lambertini - Dona Eulália
  • Carlos Garcia - Gino/Pepino, filho de Leontino
  • Roberto Pirillo - Jair, filho de seu Mané
  • Leonor Lambertini (creditada como Leonor Pacheco) - Dona Mirabela
  • Nicolau "Totó" Guzzardi - Leontino, o vizinho palmeirense
  • Roberto Orozco - Ricardo
  • Augusto Machado de Campos
  • Xandó Batista - maestro
  • Francisco Gomes
  • Olten Ayres de Abreu (participação como árbitro que sofre tentativa de suborno de Mané)
  • Gláucia Maria
  • José de Matos Alcantaro
  • Herta Hille
  • Ziara Freire
  • João Batista de Souza - Tontinho
  • Humberto Militello
  • Rogério Câmara
  • Augusto César Ribeiro
  • Kapé
  • Cláudio Maria
  • Elisa Alves do Nascimento - ela mesma
  • Pedro Luiz. - comentários no rádio
  • Geraldo Bretas - comentários no rádio
  • Marcello Marcos - estória escrito

Notas de produção[editar | editar código-fonte]

  • Contém cenas de jogos reais do Corinthians, nas quais aparecem os jogadores Rivellino e Dino Sani, entre outros.
  • Locações no Estádio do Pacaembu, em São Paulo (Vila Maria Zélia), e cenas interiores na Fazenda Santa, em Taubaté.
  • Tem a participação de Elisa Alves do Nascimento, a torcedora-símbolo do Corinthians.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. AdoroCinema, O Corintiano, consultado em 6 de janeiro de 2020 
  2. «O corintiano». Ludopédio. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  3. «TV Brasil apresenta a comédia "O Corintiano" | TV Brasil | Cultura». TV Brasil. 22 de março de 2019. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  4. «FILMOGRAFIA - O CORINTIANO». bases.cinemateca.gov.br. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  5. O Corintiano, consultado em 6 de janeiro de 2020