O Direito de Nascer (1978)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Direito de Nascer
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Criador(es) Teixeira Filho
Carmem Lídia
Baseado em El Derecho de Nacer de Félix B. Caignet
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Antonino Seabra
Elenco Eva Wilma
Carlos Augusto Strazzer
Cléa Simões
Aldo César
e grande elenco.
Tema de abertura "Sou mais um" - Moacir Franco
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Tupi
Transmissão original 31 de julho de 1978 - 26 de maio de 1979
N.º de episódios 256
Cronologia
Programas relacionados O Direito de Nascer (1964)
O Direito de Nascer (2001)

O direito de nascer é uma produzida e exibida pela extinta Rede Tupi entre 31 de julho de 1978 a 26 de maio de 1979, às 19h30[1].

Baseada na radionovela cubana escrita na década de 40 por Félix Caignet, foi adaptada por Teixeira Filho e Carmem Lídia e dirigida por Antonino Seabra.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Na sociedade moralista de Havana, capital de Cuba, no início do século XX, a jovem Maria Helena engravida do noivo Alfredo e, diante da recusa do rapaz em assumir o filho, torna-se mãe solteira. A criança será alvo do ódio do avô materno, o poderoso Dom Rafael. Após o nascimento, temendo as represálias do velho, a criada negra Dolores foge com o bebê, que batiza como Alberto. Depois disso, desgostosa, Maria Helena se recolhe a um convento, e passa a atender por Sóror Helena da Caridade. Sempre fugindo, Dolores cria o menino e ele, já crescido, forma-se em medicina. O destino leva Alberto à família que desconhece, para desespero de Mamãe Dolores. Albertinho se apaixona, sem saber, por sua prima Isabel Cristina, e acaba salvando a vida do avô que o amaldiçoara no passado.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Trilha Sonora Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. Começaria Tudo Outra Vez - Maria Bethânia
  2. O Vagabundo - Altemar Dutra
  3. Sou Mais Um - Moacyr Franco
  4. Aqueles Olhos Verdes (Aquellos Ojos Verdes) - Agostinho dos Santos
  5. Ave Ligeira - Guto
  6. A Noite Eterna (Canção Para Dilene) - Neuber
  7. Acalanto Para Dolores - Carlos Augusto Strazzer (tema de Mamãe Dolores)
  8. Dentro de Mim Mora Um Anjo - Fafá de Belém
  9. Santo Domingo - Wildner
  10. Por Dentro Estou Morrendo (Tu Cariño Se Me Vai) - César Sampaio
  11. Amor Eterno (O Direito de Nascer) - Lolita Rodrigues
  12. Sorria (Smile) - João José

Trilha Sonora Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. Padre Nuestro (Da Missa de Los Andes) - Victor Sanhueza
  2. The Charleston - The Grandfathers
  3. Angelitos Negros - Roberta Flack (tema de Mamãe Dolores)
  4. Vida - Orquestra TV Sound (tema de Maria Helena)
  5. Nana Para Mi Madre - Jose Luis Perales (tema de Albertinho Limonta e Mamãe Dolores)
  6. Que He de Hacer Para Olvidarte? - Manolo Otero
  7. Far Away - Sidney Thompson
  8. Quedamos Solos (Vida) - Ederly
  9. Zema - Orquestra TV Sound
  10. Amores Que Se Lleva El Viento - La 5. Reserva
  11. Te Amare Toda La Vida - Lucho Gatica (tema de Albertinho Limonta e Isabel Cristina)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde dezembro de 2009).
  • O ator Zanoni Ferrite, que interpretaria o personagem Dom Jorge Luís, faleceu em um desastre de automóvel, na primeira semana das gravações, sendo substituído por Adriano Reys.
  • A TV Tupi teve problemas para escalar o elenco dessa versão de O direito de nascer. Os atores pretendidos estavam quase todos comprometidos com outros trabalhos, até mesmo em produções da própria emissora.
  • Débora Duarte desentendeu-se com a produção e, mesmo tendo gravado dez capítulos como Isabel Cristina, foi substituída por Beth Goulart. A dificuldade em encontrar atriz para o papel de Maria Helena, a protagonista da chorosa história, foi solucionada com o afastamento de Eva Wilma do elenco de Roda de fogo, situação também vivida por Beth.
  • O ator e diretor Henrique Martins, que em 1964, na primeira versão, vivera Alfredo, agora aparecia na pele de Ricardo, o marido algoz de Dorinha, irmã de Maria Helena.
  • Alberto, durante a infância, era chamado de "filho de urubu" e de "rato branco" pelos outros garotos, por haver sido criado por uma negra.
  • Após o término da novela, Carlos Augusto Strazzer se transferiu para a Rede Globo.
  • Na versão mexicana,de 1981,Albertinho Limonta ainda criança foi interpretado pelo cantor mexicano Cristian Castro.Maria Helena foi interpretada pela mãe do cantor,a atriz Verónica Castro.
  • Alfredo quando jovem foi interpretado pelo ator e dublador Carlos Laranjeira. Por coincidência, Laranjeira morreu no mesmo ano em que o ator Carlos Augusto Strazzer,1993,e de complicações da mesma doença:a AIDS.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O Direito de nascer - 1978». Teledramaturgia. Consultado em 23 de abril de 2016