O Filho de Astérix

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2018). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Le Fils d'Astérix
Álbum da série Astérix
Imagem ilustrativa padrão; esse artigo não possui imagem.
País de origem  França
Língua de origem Francês
Editora(s) Les Éditions Albert René
Primeira edição 1983
Género(s) humor, aventura
Argumento Albert Uderzo
Desenho Albert Uderzo
Personagens principais Astérix, Obélix e Ideiafix
Título(s) em português O Filho de Astérix
Títulos da série Astérix
L'Odyssée d'Astérix
Astérix chez Rahàzade

A Odisseia de Asterix (francês L'Odyssée d'Astérix ) é o vigésimo-sétimo álbum da série de banda desenhada franco-belga Astérix, escrito e ilustrado por Albert Uderzo e publicado em 1983. É o terceiro álbum produzido apenas por Uderzo, após o falecimento de René Goscinny em 1977.


Sumário[editar | editar código-fonte]

Nesta história, um bebê aparece na varanda de Astérix. Enquanto tomam conta dele - algo difícil para dois homens solteiros - Astérix, juntamente com Obélix e Ideiafix, partem a procura dos pais da criança, seguindo uma pista deixada nos lençóis do bebé. Curiosamente, descobrem que os romanos estão muito interessados na criança, - tudo nos interesses de Marco Júnio Bruto, o filho adotivo de César.

Enquanto está na aldeia, o bebé bebe a poção mágica duas vezes, e torna-se num monstrinho para todas as portas da aldeia e para todos os espiões mandados para o capturar. Finalmente, Bruto decide tratar do assunto pessoalmente, atacando a aldeia com as suas legiões e queimando-a, enquanto ele vai atrás do bebé. Ele consegue raptá-lo temporariamente - com a ajuda dos piratas - mas Astérix e Obélix apanham-no e dão-lhe uma sova.

Quando os Gauleses estão a tentar fazer Bruto revelar a verdade, César e Cleópatra aparecem, resolvendo o mistério do bebé: ele é Ptolomeu XV Cesarião (nascido a 23 de Junho 47 a.C.), o filho de Júlio César e Cleópatra. Bruto queria matá-lo, e Cleópatra tinha-o deixado na aldeia para o proteger.

A história acaba com o tradicional banquete, na barca de Cleópatra, e com a participação de César.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]