O Impossível

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lo Impossible
O Impossível (PT/BR)
Flag of Spain.svg Espanha
2012 •  cor •  118 min 
Direção Juan Antonio Bayona
Produção Belén Atienza
Álvaro Augustín
Ghislain Barrois
Enrique López Lavigne
Roteiro Sergio G. Sánchez
Elenco Naomi Watts
Ewan McGregor
Tom Holland
Oaklee Pendergast
Samuel Joslin
Gênero drama
supense
Música Oriol Tarragó
Fernando Velázquez
Cinematografia Óscar Faura
Companhia(s) produtora(s) Apaches Entertainmente
Telecinco
Distribuição Summit Entertainment
Lançamento Espanha 11 de outubro de 2012
Brasil 21 de dezembro de 2012
Portugal 24 de janeiro de 2013
Idioma Inglês
Tailandês
Sueco
Orçamento US$ 45 milhões[1]
Receita US$ 180 274 123[2]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

O Impossível (Lo Imposible, no original em espanhol) é um filme espanhol de 2012. Ele é baseado na experiência de María Belón e sua família que sobreviveu ao Sismo do Índico de 2004.

O filme recebeu críticas positivas dos críticos por sua direção e sua atuação, especialmente para Watts, que foi indicada para o Oscar de melhor atriz, o Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático, e um Screen Actors Guild Award para melhor performance por uma atriz num papel principal.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Maria (Naomi Watts), Henry (Ewan McGregor) e seus três filhos, Lucas (Tom Holland), Thomas (Samuel Joslin) e Simon (Oaklee Pendergast) estão aproveitando suas férias de inverno na Tailândia. Mas na manhã do dia 26 de dezembro de 2004, enquanto todos relaxam na piscina do hotel após as festividades de Natal, um tsunami de proporções devastadoras atinge a costa. A família então se separa: Maria e seu filho mais velho, Lucas, vão para um lado da ilha, enquanto Henry e os dois filhos mais novos vão para o outro. Depois que a água baixa, se pode ver todos os ferimentos causados nas pessoas que ali estavam. A perna direita de Maria fica ferida gravemente e as costas de Lucas também. Depois de muito esforço os dois conseguem subir em uma árvore alta e aparentemente segura. No caminho até a árvore eles encontram uma criança perdida no meio dos escombros. Maria escuta a criança chorando e decide resgatá-la. Lucas não concorda no começo, mas depois ele pensa que aquela criança poderia ser um de seus irmãos. Logo Maria e Lucas resgatam a criança, que é um menino chamado Daniel.

Quando os três já estão em cima da árvore, algumas horas se passam e eles são encontrados por uma tribo indígena que mora próximo da ilha. Eles fazem curativos em Maria e a colocam em um carro junto com Lucas. Daniel fica para trás. Os dois logo vão direto para um hospital. Lá Maria é internada junto com várias pessoas feridas também pelo tsunami.

Enquanto isso, Henry e seus dois filhos ainda estão no hotel procurando por Maria e Lucas. Henry decide mandar seus filhos para as montanhas, junto de outras crianças perdidas. Ele promete a eles que, em breve, também irá para as montanhas encontrá-los. Os dois filhos pequenos vão embora e Henry continua procurando por Maria e Lucas. No hospital, Maria é medicada e novos curativos são feitos nela, enquanto isso Lucas ajuda outras pessoas do hospital. Henry procura e não acha Maria, então ele vai as Montanhas, mas chegando lá ele descobre que seus filhos foram levados embora pois estavam sem responsáveis. No hospital, Maria vomita pois engoliu muita água e uma paciente que está ao seu lado também. Os filhos mais novos de Maria e Henry fogem do carro onde estavam e vão parar no mesmo hospital onde Maria e Lucas estão. Henry, juntamente com outras pessoas, consegue um carro e com este carro eles vão de hospital em hospital procurando por seus parentes perdidos, quando eles param no hospital em que Maria está ele escuta a voz de seus filhos mais novos, ele corre e os abraça, depois Lucas os encontra e os quatro vão para a sala onde Maria está internada.

Maria passa por uma cirurgia de risco, mas que no final dá certo. Durante a cirurgia, Lucas, que está do lado de fora da sala, tem um sonho sobre o tsunami. Neste momento, através do sonho podemos ver como tudo aconteceu, em detalhes. Como Maria se feriu, como os filhos mais novos se salvaram e como Henry se salvou. Depois que a cirurgia acaba, a família toda pega um avião para outra cidade, nesta cidade Maria continuará internada fazendo seu tratamento até melhorar. A cena final mostra a costa da Tailândia totalmente destruída, e Lucas dizendo a sua mãe que a ama e que quando estava no hospital viu Daniel junto de seu pai, ela chora e também diz que o ama. Depois disso todos se sentam, apertam os cintos e o avião vai embora.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Personagem Ator
Maria Naomi Watts
Henry Ewan McGregor
Lucas Tom Holland
Thomas Samuel Joslin
Simon Oaklee Pendergast
Karl Sönke Möhring
Senhora Geraldine Chaplin
Morten Benstrom Emilio Riccardi

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O filme foi uma co-produção pelas empresas espanholas Apaches Entretenimento e Telecinco Cinema, que empregou grande parte da equipe da The Orphanage, incluindo o diretor, escritor, diretor de produção, diretor de fotografia, compositor e editor.[3]

O diretor Juan Antonio Bayona decidiu não especificar as nacionalidades dos personagens principais, a fim de criar um filme universal em que as nacionalidades eram irrelevantes para o enredo.[4] [5] [6] [7]

Gravação[editar | editar código-fonte]

A fotografia principal começou em 23 de agosto de 2010, em Alicante, Espanha, e continuou em outubro na Tailândia.[8] [9]

O tsunami foi recriado com uma mistura de efeitos digitais e ondas de água reais filmadas em câmera lenta criadas em um tanque de água na Espanha usando miniaturas que foram destruídas por uma onda enorme. Bayona se empenhou em trabalhar com água de verdade, em vez de uma onda gerada por computador, porque ele queria que a história fosse retratada de forma autêntica. Isso significava que Watts e Holland passaram cinco semanas filmando cenas físicas e psicologicamente exigentes em um tanque de água enorme.[10]

Com 16 anos de idade, o ator Tom Holland mais tarde descreveu como um "ambiente assustador ... Você pode imaginar o quão cansativo e brutal que era."[11]

Recepção[editar | editar código-fonte]

As respostas para o filme foram geralmente positivas, com muitos elogios indo para as performances de Watts, Holland e McGregor. O Rotten Tomatoes deu ao filme uma classificação de 81% com o consenso "O roteiro não é tão poderoso quanto a direção ou a atuação, mas com tal história da vida real surpreendente em seu centro, The Impossible nunca é menos que convincente."[12] No Metacritic, que atribui uma classificação média ponderada de 100 a opiniões de críticos dominantes, o filme teve uma pontuação média de 73, baseada em 42 avaliações, o que indica "avaliações favoráveis."[13]

Roger Ebert do Chicago Sun-Times deu uma perfeita classificação de quatro estrelas, elogiando o desempenho de Watts e McGregor, e direção de Bayona. Ele o chamou de "um dos melhores filmes do ano".[14]

Deborah Young, The Hollywood Reporter deu uma avaliação muito positiva, elogiando os desempenhos das duas principais estrelas, afirmando que "Watts embala uma enorme carga de emoção como a maltratada, sempre a enfraquecer Maria cujas lágrimas de dor e medo nunca aparecem falsas ou idealizadas. McGregor, com cortes e estrias de sangue excessiva faz ele parecer muito perturbado para lavar, mantém a tensão da lâmina afiada enquanto ele persegue sua família em uma vasta paisagem quebrada." Sobre o filme, ela acrescentou, "The Impossible é um dos filmes de desastres mais emocionalmente realista na memória recente -. E certamente um dos mais assustadores em sua épica re-criação do catastrófico tsunami de 2004 no Oceano Índico".[15]

Referências

  1. "The Impossible". DarkHorizons.com (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  2. "The Impossible". Box Office Mojo (em inglês). IMDb. Consult. 1 de setembro de 2015. 
  3. Sergio Ríos Pérez (5 de maio de 2010). "Álmodovar, Bayona make 'ambitious, high-quality European films from Spain'". Cineuropa.org (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  4. Courtney Howard (13 de dezembro de 2012). "INTERVIEW: Naomi Watts, Ewan McGregor, J.A. Bayona, Sergio G. Sánchez, Belén Atienza & Maria Belon Talk THE IMPOSSIBLE". Very Aware Movie Blog (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  5. Grace Randolph (13 de dezembro de 2012). "WATCH: Ewan McGregor & Naomi Watts Talking About Preparing For 'The Impossible'". Movieline (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  6. Ben Kenber (14 de dezembro de 2012). "Tsunami Survivor Maria Belon Reflects on 'The Impossible'". Yahoo! (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  7. Brogen Hayes (31 de dezembro de 2012). "THE IMPOSSIBLE – Behind The Scenes". Movies.ie (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  8. Jeremy Kay (2 de maio de 2010). "Summit boards Bayona's English-language debut The Impossible" (em inglês). ScreenDaily.com. Consult. 1 de setembro de 2015. 
  9. "The Impossible" (em inglês). Screenbase. Consult. 1 de setembro de 2015. 
  10. Rachel Curtis (21 de dezembro de 2012). "Tsunami survivor's impossible story hits the big screen to look after his little brother". BBC News.
  11. Claire Black (21 de dezembro de 2012). "Schoolboy actor Tom Holland finds himself in Oscar contention for role in tsunami drama". The Scotsman (em inglês). Consult. 1 de setembro de 2015. 
  12. "The Impossible". Rotten Tomatoes (em inglês). Flixster. Consult. 31 de agosto de 2015. 
  13. "The Impossible". Metacritic (em inglês). CBS Interactive. Consult. 31 de agosto de 2015. 
  14. "The Impossible". Chicago Sun-Times (em inglês). 19 de dezembro de 2012. Consult. 31 de agosto de 2015. 
  15. Deborah Young (10 de setembro de 2012). "The Impossible: Toronto Review". The Hollywood Reporter (em inglês). Consult. 31 de agosto de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.