O Judoka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de O Judoka (EBAL))
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o mangá e anime conhecido no Brasil como "O Judoca", veja Kurenai Sanshiro.


O Judoka
Judoka7monteirofilho.jpg
Formato de publicação formato americano
Personagens principais Mestre Judoca (1 ao 6)
Carlos, Minamoto (7 a 52)[1]

O Judoka foi o nome uma revista em quadrinhos da Editora Brasil-America (EBAL) publicada entre 1969 e 1973, inicialmente a revista era estrelada pelo Mestre Judoca (publicado na EBAL com o nome de Judô-Master),[2] personagem da Charlton Comics (atualmente pertencente a DC Comics), porém a revista original do Mestre Judoca da Charlton Comics foi cancelada nos EUA no sexto volume, a solução sugerida por Adolfo Aizen[1] foi a criação de uma nova série de história em quadrinhos criada por Pedro Anísio e Eduardo Baron.[3]

Semelhante ao que aconteceu no Reino Unido, quando a editora Fawcett Comics cancelou o Capitão Marvel, a editora britânica L. Miller & Sons,Ltd pediu ao quadrinista Mick Anglo que criasse o Marvelman (depois renomeado como Miracleman)[4].

O Judoka Brasileiro[editar | editar código-fonte]

A origem do Judoka é similar a do Mestre Judoca da Charlton, Carlos da Silva é um jovem que salva um senhor de ser atropelado por um caminhão, logo descobre que esse homem é o shihan (mestre) em judô Minamoto, que em agradecimento decide lhe ensinar as técnicas do judô, Carlos se torna o Judoka, com o tempo Lúcia, namorada do herói também passou a treinar Judô e lutar a seu lado.[5][6]

Em maio de 1970, o Judoka e sua namorada Lúcia aparecem na edição especial da Epopéia, intitulada "Chamada Geral", a revista comemorativa dos 25 anos da EBAL apresenta um crossover entre vários personagens publicados pela EBAL desde sua fundação, essa foi a única vez que Eugênio Colonnese desenhou esses personagens.[7][1][8] Em Irma La Dolce, publicada em O Judoka #27 (Junho de 1971), Floriano Hermeto de Almeida Filho se inspirou no quadrinhista americano Jim Steranko, que produziu histórias do Nick Fury da Marvel Comics, chegando a incluir o personagem na história.[9][10]


Apesar disso, a personagem nunca mais teve histórias publicadas pela editora[5].

Após perder a licença das histórias de Shang Chi, O Mestre do Kung Fu da Marvel Comics (que passaram a ser publicadas pela Bloch Editores), a EBAL usou a mesma estratégia usada com o Judoka, Hélio do Soveral criou Kung Fu, uma personagem inspirado nas feições do ator David Carradine (estrela da série Kung Fu para a revista de mesmo nome. Assim como o Judoka, após o término da revista homônima, Kung Fu não teve mais histórias publicadas.[5].

O nome Judoka foi usado no título O Judoka Apresenta em formatinho, a revista que trazia histórias das revistas Richard Dragon, Kung Fu Fighter! e Karate Kid da DC Comics.

Filme


O Judoka
1973 •  cor •  93 minutos[11] min 
Direção Marcelo Ramos Motta[11]
Produção Walter Schilke[11]
Roteiro Marcelo Ramos Motta; João Renato Correia, Marina Saraiva e Danilo Marcondes de Souza Filho (diálogos)[11]
História Pedro Anísio
Baseado em revista em quadrinhos O Judoka, publicada pela EBAL
Elenco Pedro Aguinaga
Elizângela
Eiichi Iwata
Walter Schilke
Fernando José
Marcus Alvisi
Margaret Bittar
Geraldo Gonzaga
Yara Vitoria
Ivan de Almeida
Antonio Carlos Pereira
CelsoMurce
Jackson Uchoa
Jose Carnicer
João Renato Correia
Banzo Guarilha
Arthur Castilho[11]
Gênero ação, artes marciais
Companhia(s) produtora(s) Ipanema Filmes
Distribuição Ipanema Filmes e Embrafilme
Lançamento 2 de Dezembro de 1973
Página no IMDb (em inglês)

Carlos salva o mestre japonês Minamoto que resolve lhe ensinar técnicas de judô e torna-se o herói Judoka.

Elenco
  • Pedro Aguinaga como Carlos/O Judoka
  • Elizângela como Lúcia
  • Eiichi Iwata como Mestre Minamoto
  • Walter Schilke como Professor
  • Marcus Alvisi como Ricardão
  • Margaret Bittar como Sininho
  • Maria como Tia Lilú
  • Carlos Aquino como Beltrão

Referências

  1. a b c Ota e Francisco Ucha (janeiro de 2011). "Jornal da ABI #362 - A Cronologia dos Quadrinhos - Parte 2"
  2. Felipe Eduardo Ferreira Marta (2008). «Artes marciais e ditadura brasileira: as histórias se cruzam? Incursões pelas páginas de O Judoka» (PDF). Universidade Nove de julho 
  3. «Ebal 60 anos: uma celebração». Universo HQ. 31 de março de 2005. Consultado em 18 de março de 2010  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  4. «Miracleman, o plágio que deu certo». site Omelete. 14 de agosto de 2000. Consultado em 9 de agosto de 2009  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  5. a b c Cláudio Roberto Basílio (30 de novembro de 2006). «As Artes Marcias nas HQs - Parte 4». HQManiacs 
  6. «Judoka: Do Gibi para o Cinema». site Bigorna.net. 30 de julho de 2005. Consultado em 18 de março de 2010  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  7. Pedro Anísio e Eugênio Colonnese (1970). Chamada Geral - Epopéia. [S.l.]: EBAL 
  8. Gilberto M. M. Santos. «Chamada Geral -Epopéia». Universo HQ 
  9. Francisco Ucha (janeiro de 2011)."Jornal da ABI #362 - O golpe certeiro de um mestre do desenho"
  10. O Judoka#27, EBAL
  11. a b c d e «O Judoka». Cinemateca Brasileira 
Notas
Web

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) personagem de Banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.