O Magnata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Magnata
Pôster oficial do filme.
 Brasil
2007 •  cor •  100 min 
Direção Johnny Araújo
Produção Caio Gullane
Fabiano Gullane
Débora Ivanov
Paulo Ribeiro
Chorão
Roteiro Chorão
Elenco Paulo Vilhena
Rosanne Mulholland
Maria Luísa Mendonça
Marcelo Nova
Priscila Sol
Chico Díaz
Marcos Mion
Chorão
Género drama
Música Chorão
Direção de fotografia André Modugno
Edição Rodrigo Menecucci
Lançamento 15 de novembro de 2007[1]
Idioma português

O Magnata é um filme brasileiro de 2007, dirigido por Johnny Araújo e escrito por Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Jr..

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Bonito, rico, famoso, estrela do rock, popular entre os amigos e com as garotas aos seus pés. Magnata (Paulo Vilhena)[2] tem tudo o que um jovem pode sonhar, e não conhece limites para aquilo que quer. Com a "irmandade" do skate (Chivitz, Cabeça, Ricardinho e Taroba) ou com a banda de punk rock (Ideal Stereo), ele é sempre o centro das atenções. Rebelde e prepotente, ele sabe o preço de tudo, mas não conhece o valor de nada.

Sua consciência é a de uma criança que sofreu durante a infância com a ausência dos pais, a atenção dos pais. Uma espécie de grilo falante que acompanha a história (Marcelo Nova) não tem muito do que se ocupar e só sabe fazer ironias sobre as ações do seu dono.

Se existe um problema na sua vida, é a mãe, Vilma (Maria Luísa Mendonça), uma mulher desiludida que passa os dias a beber. Seu pai morreu quando ele ainda era criança, e o Magnata vive com ela entre brigas e discussões violentas, numa relação cheia de ódio e ressentimento. Ela mantém um caso com Ribeiro (Chico Diaz), um ex-advogado oportunista que aproveita da fortuna do falecido pai do Magnata provocando sua raiva.

Com o mundo na palma da mão, tudo parece ser permitido até que uma brincadeira perigosa entre amigos vira um grande pesadelo. Em quatro dias, a vida do Magnata vira um carro desgovernado que pode capotar a qualquer momento. Com sua mente de um adolescente de 15 anos revoltado, sem pai, ele faz tudo sem ordem .

Em meio a esta bomba relógio, o rock star descobre o amor. Enquanto mais uma das suas fãs, a Rê (Priscila Sol), tenta seduzí-lo, ele acaba conhecendo e ficando apaixonado pela prima, a Dri (Rosanne Mulholland), uma garota de boa família que acaba de voltar de Nova York para refletir sobre sua vida e realizar seu sonho de ser escritora.

Dri parece ser a única capaz de evitar a explosão, pois só ela poderá tornar o Magnata um cara menos egocêntrico e mais humano. Mas terá pouco tempo para isso. O Magnata tem nas mãos a chance de se redimir dos seus erros, mas quando as coisas saem do controle, pode ser tarde demais.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Paulo Vilhena André (Magnata)
Rosanne Mulholland Adriana (Dri)
Maria Luísa Mendonça Vilma
Chico Díaz Dr. Ribeiro
Juliano Cazarré Arthur (Cabeça)
Priscila Sol Renata (Rê)
Chivitz Ele mesmo
Milhem Cortaz Lúcio Flávio
Joseff Gomes Ministro
Taroba Ele mesmo
Murilo Salles Ricardinho
Radjja de Santos Ele mesmo

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Chorão Ele mesmo
Heitor Gomes Ele mesmo
André Pinguim Ruas Ele mesmo
Thiago Castanho Ele mesmo
Dead Fish Eles mesmos
Marcelo Nova Consciência do Magnata
Tiririca Elvis Brown
Marcos Mion Irmão da Rê
Allan Mesquita The Flash
Bob Burnquist Ele mesmo

Prêmios e Honrarias[editar | editar código-fonte]

  • 4º Prêmio Sesi-Fiesp do Cinema Paulista – 2008 (Melhor Montagem / Melhor Trilha Sonora)
  • Buenos Aires Brazilian Film Festival – 2008
  • Miami Brazilian Film Festival – 2008
  • Los Angeles Brazilian Film Festival – 2008
  • New York Brazilian Film Festival – 2008

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

  1. Vida de Magnata
  2. Quando Tudo Aconteceu
  3. Sem Medo da Escuridão
  4. Nua, Linda e Inigualável
  5. Paranormal
  6. Não Viva em Vão
  7. Uma Criança Com Seu Olhar (Versão Acústica)
  8. Curva de Hill
  9. Direto e Reto Sempre
  10. Beco Sem Saída
  11. Liberdade Acima de Tudo
  12. Onde Está o Mundo Bom? (Living in L.A.)
  13. Elvis Brown
  14. Sem Medo de Perder o Juízo
  15. No Problem
  16. Subindo a Serra
  17. O Resgate

Referências

  1. «Filme de Chorão arrisca ser bom, mas estraga no final». G1. 14 de novembro de 2007. Consultado em 26 de março de 2016 
  2. Paulo Vilhena brilha em pré-estreia de O Magnata iG, Gente, Amanda Figueiredo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.