O Manual Completo de Suicídio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Manual Completo de Suicídio (em japonês: 完全自殺マニュアル) é um livro japonês escrito por Wataru Tsurumi. Sua primeira publicação deu-se em 4 de julho de 1993, e vendeu mais de um milhão de exemplares. O livro de 198 páginas dá descrições explícitas e analisa uma variedade de métodos de suicídio como overdose, enforcamento e envenenamento, e não se trata de um manual para doentes terminais. Não há preferência por métodos menos dolorosos ou mais dignificantes; o livro avalia de fato cada método em termos da dor que ele causa, a preparação necessária, a aparência do corpo após a morte e sua letalidade.

O livro[editar | editar código-fonte]

O livro tem o propósito de ser um manual. O autor não discute razões ou filosofias por trás do suicídio. Ele retoricamente põe a pergunta por que alguém precisa viver?, mas a deixa sem resposta. O livro simplesmente descreve os métodos de suicídio e então faz análises detalhadas sobre cada um deles.

No livro há 11 categorias:

  1. Overdose
  2. Enforcamento
  3. Auto-defenestração
  4. Corte de pulso e carótida
  5. Colisão de carro
  6. Envenenamento por gás
  7. Choque elétrico
  8. Afogamento
  9. Auto-imolação
  10. Congelamento
  11. Outros

Todos os capítulos iniciam com um gráfico descrevendo o método a ser analisado, em termos da dor que ele causa, a preparação de que ele necessita, a aparência do corpo após a morte, a perturbação que ele pode causar aos outros e sua letalidade. Cada um desses itens é avaliado com crânios, onde 5 crânios representam a maior pontuação.

Reação pública[editar | editar código-fonte]

O código criminal japonês apenas censura imagens de órgãos genitais. Uma vez que o tema abordado no livro não recai sobre este tipo, o livro não foi censurado pelo governo. Apenas 8 prefeituras rotularam o livro como yugaitosho (perigoso à saúde), o que proíbe a venda a menores — em Tóquio a venda não foi proibida.

Existem muitos casos de suicídio onde o livro foi encontrado próximo ao corpo; em alguns casos, estudantes.

O livro não encoraja ou desencoraja o suicídio, de forma que não recomenda a um eventual suicida que procure ajuda. O livro mostra que certos métodos são mais dolorosos e mais fatais que outros. Além disso, mostra que certos métodos "populares" de suicídio têm uma baixa probabilidade de sucesso. Por esta razão, alguns argumentam que o livro tornou as tentativas de suicídio mais fatais. Alguns ainda atribuem a alta taxa de suicídio no Japão não apenas ao alto número de tentativas, mas à letalidade dos métodos utilizados, e o livro contribui para isso.

Após intenso debate e crítica, Wataru Tsurumi publicou um segundo livro: Nosso Completo Manual de Suicídio. Neste livro, ele publica cartas de fãs e de ódio que ele recebeu. Este livro ajudou a focar a atenção do público nas diferentes razões pelas quais as pessoas cometem suicídio, e as eventuais controvérsias. O livro ainda é amplamente disponível. A mesma editora, mas com um outro autor, publicou O Manual Completo do Desaparecimento em 1994.

Ver também[editar | editar código-fonte]