O Mercado de Notícias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
O Mercado de Notícias
 Brasil
2014 •  cor •  98 minutos min 
Direção Jorge Furtado
Produção Nora Goulart
Roteiro Jorge Furtado
Elenco Eduardo Cardoso
Jose Roberto de Toledo
Geneton Moraes Neto
Género Documentario
Música Leo Henkin
Direção de arte Fiapo Barth
Cinematografia Alex Sernambi
Jacob Solitrenick
Edição Giba Assis Brasil
Lançamento Brasil 7 de Agosto de 2014
Argentina 23 de Abril de 2015
Idioma Português
[O Mercado de Notícias Site oficial]
Página no IMDb (em inglês)

O Mercado de Notícias é um documentário brasileiro lançado em 2014. Escrito por Jorge Furtado, a obra é inspirada na clássica peça do dramaturgo inglês Ben Jonson - The staple of news, encenada pela primeira vez no ano de 1626, em Londres. O filme traça um paralelo sobre mídia e a democracia, incluindo uma breve história da imprensa, desde o seu surgimento, no século 17, até hoje, destacando seu papel na construção da opinião pública, seus interesses políticos e econômicos.[1]

A peça é uma crítica bem humorada aos primórdios do jornalismo em Londres.

Sinopse[2][editar | editar código-fonte]

O documentário traz os depoimentos de treze expressivos e experientes jornalistas brasileiros, que filosofam e expressam suas considerações a respeito de sua profissão exercida, as novas mídias - como a internet -, o futuro do jornalismo, e também traz à tona referências jornalísticas atuais na política brasileira, onde a cobertura da imprensa teve papel de grande destaque.

Os primórdios do jornalismo, no século 17, é retratado de forma cômica na peça “O Mercado de Notícias”, escrita pelo dramaturgo inglês Ben Jonson em 1625. O diretor utiliza trechos da comédia original na montagem do filme, trechos estes que ganham vida através de renomados atores de teatro brasileiros.

O documentário levanta dois questionamentos distintos: o primeiro é sobre a credibilidade das notícias divulgadas pela mídia de massa, que - segundo o diretor - favorece os interesses de uma elite; o segundo é o surgimento de uma nova categoria de notícias, uma demanda criada pela mídia a fim de fornecer entretenimento.

Entrevistados[3][editar | editar código-fonte]

Peça[14][editar | editar código-fonte]

A peça retrata um dia em Londres, no ano de 1625. Um homem, Pila Pai, simula a própria morte e passa a vigiar seu filho, Pila Júnior, vestido de mendigo. Antes de forjar a própria morte, Pila Pai deixa um documento assinado na posse do advogado da família, Gazua, documento este que transferia todas as suas posses para seu filho.

Quando Pila Júnior faz 18 anos e ganha autorização para utilizar o dinheiro herdado de seu pai, ele o gasta com superficialidades como roupas de luxo, jantares e festas.

No contexto geral, a novidade em Londres é um Mercado de Notícias, dirigido pelo senhor Trombone, seu sócio Patranha e uma série de repórteres. A partir disso é desenvolvido um intenso comércio de notícias e, eventualmente, Pila Junior acaba se interessante pela novidade da imprensa e consegue um emprego para o seu amigo, Tom, um barbeiro.

Pila Pai fica desgostoso com a vida de ostentação e luxo que seu filho anda levando com seus novos amigos boêmios, um grupo de desaforados que vive nas abas da nobreza e da nova burguesia: Almanaque (o médico), Timorato (o militar), Madrigal (o poeta) e Heraldo (o homem de sociedade).

Revelando sua real identidade, Pila Pai sai de sua fantasia de mendigo, revela seus planos e castiga seu filho, forçando-o a viver como mendigo. Nisso Gazua, o advogado inescrupuloso, entra na briga pela herança e se casa com Pecúnia, a segunda herdeira de Pila Pai.

Elenco da peça[15][editar | editar código-fonte]

Prêmios[16][editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Premio
2014 'Cine PE Festival do Audiovisual' Melhor documentário
2014 'Cine PE Festival do Audiovisual' Premio do Juri Popular

Lançamento[17][editar | editar código-fonte]

O documentário estreou no Brasil, no dia 5 de agosto de 2014 em dez cidades simultaneamente: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Salvador, João Pessoa, Santos e Juiz de Fora.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • http://www.omercadodenoticias.com.br/o-projeto/
  • http://www.omercadodenoticias.com.br/o-projeto/#sinopse
  • http://www.omercadodenoticias.com.br/entrevistas/#jornalistas
  • http://paulomoreiraleite.com/
  • http://books.google.com.br/books?id=3oCDAgAAQBAJ&source=gbs_navlinks_s
  • http://toledol.com.br
  • http://www.cartacapital.com.br/colunistas/Mdias
  • http://jornalggn.com.br/luisnassif
  • http://g1.globo.com/pop-arte/blog/geneton-moraes-neto/1.html
  • http://g1.globo.com/politica/blog/cristiana-lobo/1.html
  • http://www.tvgazeta.com.br/playlists/bob-fernandes/
  • http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/
  • http://www1.folha.uol.com.br/colunas/janiodefreitas/
  • http://www.omercadodenoticias.com.br/a-peca/
  • http://www.omercadodenoticias.com.br/wp-content/uploads/ficha_tecnica_completa.pdf
  • http://www.omercadodenoticias.com.br/
  • http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2014/08/estreia-o-mercado-de-noticias-discute-pecados-do-jornalismo-atual.html