Zíbia Gasparetto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de O Morro das Ilusões)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.

{{Info/Escritor |nome = Zibia Gasparetto |imagem = |imagem_tamanho = |legenda = |nome completo = Zibia Milani Gasparetto |data_nascimento = 29 de julho de 1926 |local_nascimento = Campinas, [[São Paulo (estado)| |local_morte = São Paulo, São Paulo |parentesco = Luiz Gasparetto (filho) |gênero = Espiritualista, poesia e romance |ocupação = Escritora |idéias_notáveis = |principais_trabalhos = O Amor Venceu, Entre o Amor e a Guerra, Laços Eternos, Quando chega a hora, |obra-prima = Laços Eternos |influências = |influenciados = }} Zibia Milani Gasparetto (Campinas, 29 de julho de 1926São Paulo, 10 de outubro de 2018) foi uma escritora espiritualista brasileira, que se notabilizou como médium.

Biografia[editar | editar código-fonte]

De ascendência italiana, casou-se aos 20 anos com Aldo Luiz Gasparetto, com quem teve quatro filhos, entre os quais o apresentador de televisão Luiz Antonio Gasparetto.

Zibia conta que, em 1950, já mãe de dois filhos, teria acordado certa noite com um formigamento no corpo. Em seguida, teria se levantado e passado a andar pela casa como um homem, falando em alemão, idioma que desconhecia. O marido, surpreendido e assustado, recorreu ao auxílio de uma vizinha, que, ao chegar à residência da família, teria feito uma oração capaz de restabelecer Zibia. No dia seguinte, Aldo Luiz dirigiu-se a uma livraria, onde adquiriu O Livro dos Espíritos. Juntos, teriam começado a estudar a Doutrina Espírita.

Aldo Luiz começou a frequentar as reuniões públicas da Federação Espírita do Estado de São Paulo, mas Zibia não tinha como acompanhá-lo, pois não tinha com quem deixar as crianças. Semanalmente, entretanto, faziam juntos um estudo no lar, período em que a médium diz que principiou a sensação de uma dor forte no braço direito, do cotovelo até a mão, que se mexia de um lado para o outro, sem que ela pudesse controlá-lo. Aldo Luiz colocou-lhe um lápis e papel à frente. Tomando-os, Zibia teria começado a escrever rapidamente. Ao longo de alguns anos, uma vez por semana, foi psicografando desse modo o seu primeiro romance, O Amor Venceu, assinado pela entidade denominada Lucius.[1]

Quando datilografado e pronto, a médium encaminhou o trabalho a um professor de História da USP, que, à época, dirigia um grupo de estudos na Federação Espírita. Mas só quinze dias mais tarde veio a resposta, na forma de aviso sobre a escolha da obra para ser publicada pela Editora LAKE.

Em seus últimos anos, a médium dizia escrever pelo computador, quatro vezes por semana, em cada dia uma obra diferente: consciente, declara ouvir uma voz ditando-lhe as palavras do texto.

Morreu aos 92 anos no dia 10 de outubro de 2018, após uma longa batalha contra o câncer de pâncreas.[2]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Portal espaço vida e consciência
  2. «Zíbia Gasparetto morre em São Paulo aos 92 anos». G1. 10 de outubro de 2018. Consultado em 10 de outubro de 2018 

Veja também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Zíbia Gasparetto