O Que Será?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"O Que Será? (À Flor da Terra)"
Canção de Chico Buarque
do álbum Meus Caros Amigos
Lançamento 1976
Gravação 1976
Gênero(s) MPB
Duração 2:50
Gravadora(s) Phonogram/Philips
Composição Chico Buarque Francis Hime
Faixas de Meus Caros Amigos
"Mulheres de Atenas"
(2)
"O Que Será? (À Flor da Pele)"
Canção de Milton Nascimento
do álbum Geraes
Lançamento 1976
Gravação 1976
Gênero(s) MPB
Duração 4:10
Gravadora(s) Phonogram/Philips
Composição Chico Buarque
Faixas de Geraes
"Menino"
(4)
"Carro de Boi"
(6)

"O Que Será? " é uma canção composta em 1976 pelo cantor e compositor brasileiro Chico Buarque em parceria com o compositor, arranjador e maestro Francis Hime, feita para o filme "Dona Flor e Seus Dois Maridos", baseado no livro homônimo de Jorge Amado. A canção tem três versões, que marcam passagens diferentes da trama: "Abertura", "À Flor da Pele" e "À Flor da Terra".[1]

História[editar | editar código-fonte]

Segundo Chico Buarque, embora tenha visto copião em várias ocasiões, sua maior inspiração para compôr foi fotografias de Cuba que o jornalista Fernando Morais havia lhe mostrado, embora garanta que as três letras não tenham a ver com o país.[2]

O dueto com Milton Nascimento foi casual.[1] Após ouvir ao acaso Francis Hime tocar a canção ao piano, nos estúdios da gravadora, o cantor mineiro gostou e sugeriu que fosse cantada em duo. Chico Buarque e Francis Hime gostaram da ideia e finalizaram os arranjos já considerando a voz de Milton Nascimento.[2] "O que será? (À flor da terra)" foi lançada no álbum "Meus Caros Amigos", de Chico Buarque, enquanto "O que será? (À flor da pele)" saiu no álbum Geraes, de Milton Nascimento.

Na versão para o filme de Bruno Barreto, "O que será? (Abertura)" foi interpretada pela cantora Simone.

Em 1992, Chico teve acesso ao conteúdo de sua ficha no Dops-DPPS e achou curiosa a interpretação que os censores fizeram da letra.[2] Em declaração ao Jornal do Brasil, o compositor disse: "acho que eu mesmo não sei o que existe por trás dessa letra e, se soubesse, não teria cabimento explicar."[1]

Uma versão mista português-italiano foi também gravada pela cantora italiana Gigliola Cinquetti.[3]

Referências

  1. a b c Mello, Zuza Homem de (1997). A Canção no Tempo - Vol. 2 - 85 Anos de Músicas. [S.l.]: Editora 34. ISBN 85-7326-119-6 
  2. a b c Homem, Wagner (2009). Chico Buarque: Histórias de Canções. [S.l.]: Leya Brasil. pp. 126–128. ISBN 978-8562936029 
  3. Ebay

Veja também[editar | editar código-fonte]