O Reino dos Gatos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Neko no Ongaeshi
O Reino dos Gatos (PT/BR)
Japão
2002 •  cor •  72 min 
Direção Hiroyuki Morita
Roteiro Reiko Yoshida
Elenco Chizuru Ikewaki
Yoshihiko Hakamada
Aki Maeda
Takayuki Yamada
Hitomi Sato
Kenta Satoi
Mari Hamada
Tetsu Watanabe
Género animação
aventura
Idioma japones
Página no IMDb (em inglês)

Neko no Ongaeshi (em japonês: 猫の恩返し; br/pt: O Reino dos Gatos) é um filme japonês dirigido por Hiroyuki Morita, produzido pelo Estúdio Ghibli e distribuído para os cinemas em 2002. O filme conta o história de Haru, uma menina preguiçosa que um dia salva um gato de ser atropelado. Na mesma noite recebe a visita do Rei dos Gatos que a convida para seu reino, onde Haru se transforma em uma gata e é obrigada a se casar com o Príncipe Lune.

Produção[editar | editar código-fonte]

Em 1995, o Studio Ghibli estreou o filme O Sussurro do Coração, baseada na obra de Aoi Hiiragi, cujo argumento trata de uma menina e a amizade e posterior romance que nasce com um colega seu. Parte da história também mostra como a mocinha escreve um conto fantástico cujo principal personagem era chamado Barão. A pesar de que a vida dela, em si, não tivesse elementos literalmente mágicos, incluíam-se cenas curtas do caráter peculiar da história que ela escrevia. Ainda que breves, essas cenas fizeram-se tão populares que os aficcionados pediram um longa-metragem inteiro fundamentado na suposta fábula. O resultado viria a ser O Reino dos Gatos.

A idéia para o que mais tarde seria O Reino dos Gatos surgiu a partir do chamado Projeto Gato, em 1999. Um parque de diversões do Japão solicitou ao Studio Ghibli que criasse um curta-metragem de 20 minutos, aproximadamente, protagonizado por gatos. Hayao Miyazaki queria que nesse curta aparecessem alguns elementos cruciais, como o próprio Barão e uma misteriosa tenda de antigüidades. Ficou encarregado da produção da história ilustrada baseado no curta Hiiragi. O nome do conto seria, numa transliteração dos caracteres japoneses, Baron: Neko no Danshaku, literalmente "Barão: O Gato Barão". Entretanto, houve o cancelamento do projeto.

Miyazaki decidiu então recompilar o trabalho realizado para o Projeto Gato e o utilizou como campo de testes para futuros diretores do Ghibli. O curta, já se aproximando da duração de um longa, teria agora 45 minutos. Ao final de tudo, Hiroyuki Morita, que havia trabalhado como animador em A Família Yamada (1999), recebeu a tarefa de dirigir o novo filme. Durante quase 10 meses , traduziu-se a fábula de Hiiragi em 535 páginas de storyboards, no que finalmente seria o Reino dos Gatos. Miyazaki e Toshio Suzuki deram sinal verde para um longa-metragem totalmente baseado nos desenhos que Morita fez durante aqueles meses.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Personagem Brasil Dublagem
Haru Letícia Quinto
Barão Armando Tiraboschi
Muta Tatá Guarnieri
Yuki Angélica Santos
Leitor Rita Almeida
Rei Walter Breda
Príncipe Alexandre Marconatto
Mãe de Haru Cecília Lemes
Amiga Eleonora Prado

Estúdio de Dublagem: Sigma, São Paulo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mangá e anime é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.