O livro de como se fazem as cores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O livro de como se fazem as cores
או ליברו די קומו שי פ׳אזין אש קוריש
Uma das páginas do manuscrito.
Autor(es) Anónimo[1]
Idioma Judeu-português
País Portugal
Assunto Iluminura
Formato Manuscrito
Lançamento Século XV[1]

O livro de como se fazem as cores[1] (em aljamiado português:[2]או ליברו די קומו שי פ׳אזין אש קוריש) é um dos mais conhecidos manuscritos judaico-portugueses[2] e uma importante fonte do dialeto falado pelos judeus em Portugal[2] antes do édito de expulsão de 1496.

O texto é um tratado técnico em 45 capítulos[2] sobre a produção de tinta para a arte da iluminura[2]. Faz parte da importante coleção de literatura judaica recolhida por Giovanni Bernardo De Rossi e adquirida por Maria Luísa de Parma para a Biblioteca Palatina de Parma, onde se encontra catalogado como Ms. 1959[1].

Autoria e datação[editar | editar código-fonte]

Tradicionalmente atribuído a Abraão ben Judah Ibn Hayyim e datado de 1262 (5022 no calendário hebreu), o estudo mais aprofundado do manuscrito coloca-o no século XV[1][2], usando fontes mais antigas[1].

Referências

  1. a b c d e f Cruz, António João; Afonso, Lúis Urbano (2008). On the Date and Contents of a Portuguese Medieval Technical Book on Illumination. O livro de como se fazem as cores (em inglês) 1 ed. [S.l.]: The Medieval History Journal. Consultado em 11 de junho de 2015. Arquivado do original em 14 de junho de 2015 
  2. a b c d e f Strolovitch, Devon L. (2005). «4» (PDF). Old Portuguese in Hebrew Script (PDF). Convention, contact, and convivência (em inglês) 1 ed. Ithaca (Nova Iorque): Cornell University. Consultado em 11 de junho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.