Observatório do Roque de los Muchachos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Observatório do Roque de los Muchachos
Ing telescopes sunset la palma july 2001.jpg
Características
Código IAU
950Visualizar e editar dados no Wikidata
Operador
Tipo
Observatório astronómico (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Telescópio(s)
Liverpool Telescope (en), Nordic Optical Telescope (en), Telescópio Carlsberg Meridian, Isaac Newton Group of Telescopes (en), Dutch Open Telescope (en), Gran Telescopio Canarias, MASCARA (en), FACT (Telescope) (d), HEGRA, Major Atmospheric Gamma Imaging Cherenkov Telescopes (en), William Herschel Telescope (en), Telescopio Nazionale Galileo, Isaac Newton Telescope (en), Mercator Telescope (en), Swedish Solar Telescope (en), Jacobus Kapteyn Telescope (en), SuperWASPVisualizar e editar dados no Wikidata
Abertura
Altitude
2 396 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Endereço
Coordenadas
Website

Observatório do Roque de los Muchachos é um sítio astronômico localizado no município de Garafía, na ilha de La Palma, uma das Ilhas Canárias, na Espanha, situado a 2400 metros de altitude e que possui a maior concentração de telescópios do Hemisfério Norte, devido à sua privilegiada localização para a observação astronômica.

Administrado pelo Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC), localizado na ilha de Tenerife, o sítio abriga mais de dez potentes telescópios, entre eles, o Gran Telescopio Canarias, o maior do mundo, inaugurado em 2009.[1]

História[editar | editar código-fonte]

As instalações em Roque de los Muchachos começaram em 1979, com o assentamento no local do Telescópio Isaac Newton, transportado para lá peça por peça desde o Observatório de Greenwich, na Inglaterra, um trabalho difícil, em que depois a comunidade astronômica reconheceu que teria sido mais fácil iniciar o observatório construindo um telescópio no local, do que transportando para lá um já existente.

Nos anos seguintes, novos telescópios foram sendo instalados, através de acordos internacionais, primeiramente com a Suécia, Dinamarca e Grã-Bretanha e depois com vários outros, como a Alemanha, Finlândia e Estados Unidos. Em junho de 1985, o complexo foi oficialmente inaugurado, com a presença da família real espanhola e de sete chefes de estado europeus.

O local é considerado um dos ideais para a futura instalação do European Extremely Large Telescope (E-ELT), um gigantesco e revolucionário telescópio ainda em construção, que terá um espelho refletor de 42 m de diâmetro, quase quatro vezes maior que os maiores telescópios existentes, capaz de permitir o estudo da atmosfera de exoplanetas e mais potente que o Hubble. Este super telescópio deverá estar pronto apenas em 2017.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Klotz, Irene (24 de julho de 2009). «New telescope is world's largest ... for now» 
  2. Spaceref

Ligações externas[editar | editar código-fonte]