Octoeco (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Capa do primeiro octoeco impresso, por Schweipolt Fiol, na Cracóvia em 1491

O octoeco (em grego clássico: Ὀκτώηχος; romaniz.: Oktṓēchos; em antigo eslavo eclesiástico: Осмѡгласникъ, transl. Osmoglasnik), também conhecido como Grande Octoeco (em grego clássico: Ὀκτώηχος ἡ μεγάλη; romaniz.: Oktṓēchos hē megálē), é um livro litúrgico do rito bizantino, que contém hinos compostos conforme os oito modos do octoeco, a fim de serem alternados ao longo do ano litúrgico.[1]

A primeira manifestação completa do octoeco se deu em 692, durante o Concílio Quinissexto, após uma reforma do canto de Jerusalém pelos monges do mosteiro de Mar Saba.[2] Equivale ao tonário do rito latino,[3] e, no hoje já bizantinizado antigo rito georgiano, ao Iadgari (em georgiano: იადგარი).[4]

Referências

  1. Metropolitan Cantor Institute. «The Cycle of Eight Tones». Byzantine Catholic Archeparchy of Pittsburgh (em inglês). Consultado em 20 de março de 2020 
  2. Powers, H. S.; Wiering, F.; Porter, J.; Cowdery, J.; Widdess, R.; Davis, R.; Perlman, Marc; Jones, Stephen; Marett, Allan. «Mode». Grove Music Online (em inglês). Oxford. Consultado em 3 de março de 2020 ; §II.1(ii)
  3. Jeffery, Peter (2001), "The Earliest Oktōēchoi: The Role of Jerusalem and Palestine in the Beginnings of Modal Ordering", The Study of Medieval Chant: Paths and Bridges, East and West; In Honor of Kenneth Levy, Woodbridge, Suffolk: Boydell Press, pp. 147–209, ISBN 978-0-85115-800-6
  4. Frøyshov, Stig Simeon R. (2012). «The Georgian Witness to the Jerusalem Liturgy: New Sources and Studies». In: Groen, Bert; Alexopoulos, Stefanos; Hawkes-Teeples, Steven. Inquiries into Eastern Christian Worship: Selected Papers of the Second International Congress of the Society of Oriental Liturgy (Rome, 17–21 September 2008) (em inglês). 12. Leuven/Paris/Walpole: Peeters. pp. 261–6 
Ícone de esboço Este artigo sobre o cristianismo ortodoxo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.