Ocupação holandesa de Angola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Salvador Correia de Sá e Benevides

A ocupação holandesa de Angola data de 25 de Agosto de 1641 quando o Almirante Cornelis Jol [1] invade o território apoiado por 18 navios. A população de Luanda foge para norte, por ordem do governador, para o Forte de Massangano. A ocupação holandesa ira durar até 1648, data em que o rei D. João IV de Portugal envia Salvador Correia de Sá e Benevides para libertar o território.[2]

A decisão de invadir Angola deve-se ao facto de a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais necessitar de mais escravos para levar para o Nordeste do Brasil, região que ocupavam desde 1630.[3] A intenção da Companhia seria mesmo de permanecer em Angola dados os planos existentes de construir um canal desde o rio Kwanza, a sul, até Luanda.[2][4]

Em Maio de 1648, uma frota constituída por 12 navios e 1 200 homens, liderada por Salvador Correia de Sá e Benevides, parte do Brasil, e atraca em Kikombo cerca de três meses depois; ruma depois para norte, para Luanda, onde toma a Fortaleza de São Miguel de Luanda aos holandeses, que entretanto tinham fugido, e a cidade no dia seguinte, a 15 de Agosto.[2]

Referências

  1. Linda Marinda Heywood, John Kelly Thornton. «Central Africans, Atlantic Creoles, And The Foundation Of The Americas, 1585-1660». 2007. Consultado em 18 de Março de 2012 
  2. a b c Mike Stead, Sean Rorison. «Angola». 2009. Consultado em 18 de Março de 2012 
  3. Nei Lopes. «Enciclopédia brasileira da diáspora africana». 2004. Consultado em 18 de Março de 2012 
  4. Zeca Santana. «Angola: Land of Shattered Dreams». 2009. Consultado em 18 de Março de 2012