Odílio Denys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Odílio Denys
Dados pessoais
Nascimento 17 de fevereiro de 1892 Santo Antônio de Pádua
Morte 5 de novembro de 1985 (93 anos) Rio de Janeiro
Vida militar
Força Exército
Hierarquia Marechal.gif Marechal
Comandos

Odílio Denys (Santo Antônio de Pádua, 17 de fevereiro de 1892Rio de Janeiro, 5 de novembro de 1985) foi um marechal brasileiro.

Comandou a 3ª Divisão de Infantaria, em Santa Maria, entre setembro e novembro de 1946.[1]

Entre 21 de março de 1953 e 14 de junho de 1954 comandou a Zona Militar Sul, em Porto Alegre.[2]

Teve participações marcantes em diversos momentos decisivos nos governos Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros e Jango.

Foi amigo pessoal do general Henrique Teixeira Lott, tendo aconselhado a este, então ministro da Guerra de Café Filho, a realizar o contragolpe para depor o presidente em exercício, Carlos Luz, que realizava um golpe com o apoio de Carlos Lacerda contra a posse de Juscelino Kubitschek, em novembro de 1955.

No entanto, em 1961, já com relações estremecidas, Denys mandou prender Lott que, durante a crise causada pela renúncia do presidente Jânio Quadros, escreveu um texto defendendo a Constituição, que garantia a posse de João Goulart, hostilizado pelos militares conservadores. Odílio, junto com o brigadeiro Gabriel Grün Moss (Aeronáutica) e o almirante Sílvio Heck (Marinha), constituiu uma junta militar, que na prática foi quem governou durante os 13 dias em que o paulista Ranieri Mazzilli, presidente da Câmara, esteve na presidência República interinamente, esperando Jango voltar de viagem a China. Eles tentaram vetar, sem êxito, a posse do vice-presidente João Goulart.

Foi ministro da Guerra entre 15 de fevereiro de 1960 e 7 de setembro de 1961, nos governos de Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros. Foi, ainda, um dos articuladores do golpe militar de 1964.[3]

Seu filho, o general Rubens Bayma Denys foi ministro-chefe da Casa Militar no governo José Sarney e ministro dos Transportes no governo Itamar Franco.

Referências

  1. «Galeria de Comandantes da 3ª DE». Consultado em 17 de dezembro de 2014 
  2. «Galeria de Ex-Comandantes do CMS». Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  3. Odylio Denys é sepultado com honras militares. Folha de S. Paulo, 7 de novembro de 1985

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Odílio Denys


Precedido por
Henrique Batista Duffles Teixeira Lott
Ministro da Guerra do Brasil
1960 — 1961
Sucedido por
João de Segadas Viana


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.