Odilo Scherer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Odilo Pedro Scherer
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo Metropolitano de São Paulo
Dom Odilo Pedro Scherer

Título

Cardeal-presbítero de Santo André no Quirinal
Hierarquia
Papa Francisco
Atividade Eclesiástica
Predecessor Dom Frei Cláudio Cardeal Hummes
Ordenação e Nomeação
Ordenação Presbiteral 7 de dezembro de 1978
Toledo
por Dom Armando Círio
Ordenação Episcopal 2 de fevereiro de 2002
Toledo
por Cardeal Cláudio Hummes
Nomeado Arcebispo Bento XVI
Cardinalato
Criação 24 de novembro de 2007
por Bento XVI
Título Cardeal de San Andrea al Quirinale
Brasão
Coat of arms of Odilo Pedro Scherer.svg
Lema IN MEAM COMMEMORATIONEM
Em minha memória
Dados Pessoais
Nascimento BrasilCerro Largo, Rio Grande do Sul
Nacionalidade  Brasileira
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Odilo Pedro Scherer (Cerro Largo, 21 de setembro de 1949) é um cardeal brasileiro, 19º bispo de São Paulo, sendo seu décimo sétimo arcebispo.

Filho de Edwino Scherer e Francisca Wilma Steffens Scherer, é descendente de imigrantes alemães da região do Sarre (Saarland) radicados no Rio Grande do Sul, é o sexto filho do casal, em total de 13 irmãos. É parente distante do falecido Cardeal Dom Vicente Scherer.

Educação[editar | editar código-fonte]

Seus estudos primários foram realizados no Seminário São José, em Toledo no Paraná, onde o bispo Dom Armando Círio foi o idealizador e responsável. Os reitores, à época, foram o padre Santo Pelizer, depois padre Luís Vacaro. Foi então transferido para o Seminário Menor São José, em Curitiba, no mesmo estado do Paraná.

Realizou seus estudos preparatórios no Seminário Menor São José, em Curitiba. O curso de Filosofia foi cursado no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos, também em Curitiba, e na Faculdade de Educação da Universidade de Passo Fundo, Rio Grande do Sul (1970-1975). Cursou Teologia no Studium Theologicum, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba. É mestre em Filosofia e doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (1994-1996).

Presbitério[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado presbítero no dia 7 de dezembro de 1978, em Toledo por Dom Armando Círio, O.S.I.

Atividades durante o presbiterado[editar | editar código-fonte]

Foi reitor e professor no Seminário Diocesano São José, em Cascavel (1977-1978); no Seminário Diocesano Maria Mãe da Igreja, em Toledo (1979-1982 e 1993); professor de Filosofia na Faculdade de Ciências Humanas Arnaldo Busatto, em Toledo (1980-1985); na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, em Toledo (1985-1994); professor de Teologia no Instituto Teológico Paulo VI, de Londrina (1985); vigário paroquial e cura da Catedral Cristo Rei, de Toledo (1985-1988); reitor do Seminário Teológico de Cascavel (1991-1992); diretor e professor do Centro Interdiocesano de Teologia de Cascavel (1991-1993); reitor do Seminário Diocesano Maria Mãe da Igreja (1993); membro da Comissão Nacional do Clero da CNBB (1985-1988); da Comissão Teológica do Regional Sul II (1992-1993); oficial da Congregação para os Bispos, na Cúria Romana (1994-2001).

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Em 28 de novembro de 2001 foi eleito bispo-titular de Novi e auxiliar de São Paulo, aos 52 anos.

Recebeu a ordenação episcopal, em 2 de fevereiro de 2002, sendo sagrante principal o cardeal Dom Cláudio Hummes OFM, arcebispo de São Paulo, e consagrantes: Dom Armando Círio OSI, arcebispo emérito de Cascavel, e Dom Anuar Battisti, então bispo de Toledo.

No dia 9 de março de 2002, tomou posse como bispo auxiliar de São Paulo. Em 20 de março de 2007, foi nomeado pelo Papa Bento XVI como o décimo sétimo arcebispo de São Paulo, a terceira maior arquidiocese católica romana do mundo.

Brasão e lema[editar | editar código-fonte]

Descrição: Escudo eclesiástico, terciado em ponta (ou pira): o 1º de jalde, com uma cruz de goles com resplendor de blau, acompanhada de uma estrela de cinco pontas do mesmo, no cantão destro da ponta; o 2º de sinopla, com um in-fólio aberto de argente; e o 3º de blau com um pão partido de jalde.

O escudo, assente em tarja branca, na qual se encaixa o pálio branco com cruzetas de sable. O conjunto pousado sobre uma cruz trevolada, de dois traços, de ouro. O todo encimado pelo chapéu eclesiástico com seus cordões em cada flanco, terminados por quinze borlas cada um, postas: 1, 2, 3, 4 e 5, tudo de vermelho. Brocante sob a ponta da cruz um listel de jalde com a legenda: IN MEAM COMMEMORATIONEM, em letras de blau.

Interpretação: O escudo obedece as regras heráldicas para os eclesiásticos. O 1º campo, de Jalde (ouro) simboliza: nobreza, autoridade, premência, generosidade, ardor e descortínio; e a cruz é símbolo máximo do cristianismo, instrumento da nossa redenção, sendo de goles (vermelho) e simboliza o fogo da caridade inflamada no coração do bispo, bem como valor e socorro aos necessitados, e ainda o martírio do Apóstolo São Paulo; o resplendor simboliza a luz que brota da cruz; e a estrela representa Nossa Senhora que esteve, de pé, junto à cruz, ao lado do seu Divino Filho, sendo que seu esmalte blau (azul): significa: justiça, serenidade, fortaleza, boa fama e nobreza. O campo de sinopla (verde) representa: esperança, liberdade, abundância, cortesia e amizade, e o in-fólio é uma referência aos Santos Evangelhos e ao Apóstolo São Paulo, padroeiro do estado e da arquidiocese. O campo de blau (azul), além do significado deste esmalte, acima descrito, também simboliza o firmamento celeste e o manto de Nossa Senhora; o pão é símbolo do Santíssimo Sacramento da Eucaristia, e estando partido simboliza a fraternidade e lembra o mandato do Senhor, que ao instituir este sacramento, ordenou que a celebração da Santa Missa fosse feita em sua memória. O lema também faz referência a esta passagem evangélica: “Em memória de mim” (Lc. 22,19).

Atividades no episcopado[editar | editar código-fonte]

Foi bispo auxiliar de São Paulo (2002-2007); secretário-geral da CNBB (2003-2007); secretário-geral adjunto da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina CELAM e do Caribe, em maio de 2007. Desde 2007 é membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB.

No dia 08 de maio de 2011 foi eleito presidente do Regional Sul 1 da CNBB.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

Em 24 de novembro de 2007, foi elevado ao cardinalato pelo Papa Bento XVI, no Consistório de 2007, na Basílica de São Pedro, recebendo o título de Cardeal-presbítero de Santo André no Quirinal, sendo um dos mais jovens membros do Colégio Cardinalício.

Em dicastérios vaticanos é membro da Congregação para o Clero, da Comissão Cardinalícia de Vigilância do Instituto para as Obras de Religiões, do XII Conselho Ordinário da Secretaria do Sínodo dos Bispos, do Pontifício Conselho para a Família, da Pontifícia Comissão para a América Latina e do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização.

Foi eleito como membro delegado pela CNBB para participar como Padre Sinodal da 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos a se realizar no Vaticano de 7 a 28 de outubro de 2012.

Em novembro de 2012, como grão-chanceler da universidade Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), nomeou a terceira colocada na lista tríplice Anna Cintra. Embora o cargo de grão-chanceler lhe garanta o direito de optar por qualquer um dos três nomes, a escolha causou o descontentamento de alguns professores e alunos que esperavam a nomeação do primeiro nome da lista, como sói acontecer. O fato que também agravou foi o tempo para a nomeação, pois esperou por quase dois meses para nomear as vésperas do recesso acadêmico (férias) o que não teria sido bem visto pela comunidade acadêmica. Em 15 de fevereiro de 2013, o Vaticano confirmou a escolha do cardeal e oficializou Anna Cintra no cargo de reitora.[1]

No dia 12 de março de 2013, adentrou o Conclave Papal, na Capela Sistina, na cidade do Vaticano, sendo citado pela mídia internacional como um dos possíveis papabiles, em substituição a Bento XVI, que renunciou, dias antes.[2] [3] [4]

Ordenações episcopais[editar | editar código-fonte]

Principal Ordenante de:

Co-ordenante de

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Justo sofredor: uma interpretação do caminho de Jesus e do discípulo - Ed. Loyola, 1995.

Referências

  1. Vaticano confirma Anna Cintra na reitoria da PUC-SP
  2. Barrett, David V (6 de março de 2013). The men who could be pope: Cardinal Odilo Scherer (em inglês). Catholic Herald. Página visitada em 12 de março de 2013.
  3. Reguly, Eric (12 de março de 2013). My bet for pope? Cardinal Odilo Scherer. Here’s why (em inglês). The Globe and Mail. Página visitada em 12 de março de 2013.
  4. Pappon, Thomas (12 de março de 2013). Odilo Scherer, el brasileño que suena como Papa (em inglês). BBC Mundo. Página visitada em 12 de março de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Dom Cláudio Hummes OFM
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de São Paulo

2007 - atualidade
Sucedido por
'
Precedido por
Adam Cardeal Kozłowiecki, SJ
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-presbítero de San Andrea al Quirinale

2007 - atualidade
Sucedido por
'