Oficina Cerâmica Francisco Brennand

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Oficina Cerâmica Francisco Brennand
Muralha Mãe Terra
Tipo Museu de arte
Inauguração 1971 (49 anos)
Website brennand.com.br
Geografia
País  Brasil
Cidade Recife,  Pernambuco
Coordenadas 8° 3' 10" S 34° 58' 30" O

A Oficina Cerâmica Francisco Brennand é um museu de arte brasileiro localizado na cidade do Recife, capital de Pernambuco. Foi criada pelo artista plástico pernambucano que dá nome ao conjunto arquitetônico, Francisco Brennand.[1][2]

Trata-se de um complexo monumental — museu e ateliê — com aproximadamente 2 mil obras, entre esculturas, murais, paineis, pinturas, desenhos e objetos cerâmicos. A principal temática da obra de Francisco Brennand é a origem da vida e a eternidade das coisas.

Possui diversas obras inspiradas na mitologia grega romana, história, fauna e flora, literatura dentre outros personagens.

História[editar | editar código-fonte]

A Oficina Cerâmica Francisco Brennand surgiu no ano de 1971 nas ruínas da Cerâmica São João da Várzea, uma olaria datada do ano de 1917, fundada pelo pai de Francisco Brennand, o industrial Ricardo Lacerda de Almeida Brennand. A antiga fábrica de tijolos e telhas herdada pelo artista, instalada nas terras do Engenho Santos Cosme e Damião, no bairro histórico da Várzea, é cercada por remanescentes da Mata Atlântica e pelas águas do Rio Capibaribe, principal curso d'água do Recife.[3]

Lugar único no mundo, a Oficina Brennand constitui-se num conjunto arquitetônico monumental de grande originalidade, em constante processo de mutação, onde a obra se associa à arquitetura para dar forma a um universo abissal, dionisíaco, subterrâneo, obscuro, sexual e religioso.

A presença do artista num trabalho contínuo de criação confere à Oficina um caráter inusitado, identificando-a como uma instituição intrinsecamente viva e com uma dinâmica que torna imprevisíveis os rumos da arquitetura e da obra.

O artista Francisco Brennand[editar | editar código-fonte]

Francisco de Paula Coimbra de Almeida Brennand nasceu em 11 de junho de 1927 no Recife, mesma cidade onde veio a falecer em 19 de dezembro de 2019, aos 92 anos.

O artista enveredou pelos caminhos da arte aos 13 anos de idade, para se dedicar incessantemente ao oficio de pintor, desenhista e escultor que o tornou no dizer de Ferreira Goulart ”um ser cultural que habita o mundo que ele próprio criou”.

Se, como dizia Oscar Wilde, a vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida, o talento de Brennand se evidenciou desde os anos de colegial quando fazia caricaturas de professores e colegas. Sua formação, inicialmente acadêmica, realizada com artistas de Pernambuco, especialmente com o mestre do afresco Murilo La Greca, e o paisagista Álvaro Amorim, não o afastaram da liberdade de expressão, em que mantém até hoje o rigor do domínio técnico.

Iniciando-se com pintor, aos 20 anos, Brennand participou do 6º Salão de Arte do Museu do Estado de Pernambuco, quando obteve o primeiro prêmio de pintura, com uma paisagem idealizada a partir das caminhadas no Engenho São João de propriedade do seu pai. intitulada de a  “Segunda Visão da Terra Santa”. No ano seguinte participou novamente do Salão de Pernambuco enviando cinco quadros, obtendo simultaneamente o primeiro prêmio com a obra “Frade em Oração” e uma menção honrosa, esta por seu “Auto-Retrato como Cardeal Inquisidor”, inspirado pelo “Retrato do Cardeal Inquisidor Don Fernando Nino de Guevara”, de El Greco.

Nos períodos compreendidos entre 1948-1949 e 1950-1952, Brennand viaja a Paris, aconselhado por Cícero Dias, e visita outros países europeus para estudar pintura e cerâmica (Itália), tendo convivido com artistas contemporâneos como Fernand Léger, freqüentando aulas de pintura com André Lhote e ocupando-se também com visitas a galerias e museus.

Francisco Brennand foi um artista consagrado e reconhecido no Brasil e no exterior, tendo recebido vários prêmios, como o Interamericano Gabriela Mistral, oferecido pela OEA, realizou diversas exposições nacionais e internacionais. Possui obras públicas por diversos estados brasileiros, instituições culturais e museus. Uma de suas obras mais conhecidas é o Mural Cerâmico das Industrias Bacardi Export, em Miami.

Instalações físicas[editar | editar código-fonte]

São 15 km² de área construída. O complexo conta com espaços como a Accademia (Pinacoteca), o Anfiteatro, o Salão de Esculturas, o Templo Central, o Templo do Sacrifício, o Estádio (espaço destinado à realização de eventos), auditório, capela Imaculada Conceição, projetada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha, loja de souvenirs e objetos utilitários, Brennand Café, além de jardins projetados por Burle Marx.[4]

Loja Oficina – com objetos utilitários feitos em cerâmicas, livros, camisetas e souvenir.

Acervo[editar | editar código-fonte]

O acervo do museu conta com mais de 2 mil peças, entre esculturas, murais, paineis e pinturas e desenhos.[4]

Expostos numa mostra permanente disponível pra visitação e pesquisa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Oficina Cerâmica Francisco Brennand». TV Brasil. Consultado em 21 de maio de 2016 
  2. «Conhecendo Museus - Oficina Cerâmica Francisco Brennand». TV Escola. Consultado em 21 de maio de 2016 
  3. «Oficina Brennand». Brennand.com.br. Consultado em 21 de maio de 2016 
  4. a b «Oficina Cerâmica Francisco Brennand». Jornal Cruzeiro do Sul. Consultado em 21 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]