Ofiofagia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Ofiofagia (do grego ὄφις + φαγία, ‘comer serpentes’) é uma forma especializada de alimentação ou comportamento alimentar de animais que caçam e comem serpentes. Há mamíferos ofiófagos (como as doninhas e os mangustos), pássaros (como Accipitridae, o pássaro-secretário, e alguns falcões), lagartos (como Crotaphytus collaris), e ainda outras serpentes, como a centro-sul-americana muçurana e a norte-americana cobra-real-comum (Lampropeltis getula). O nome do género da venenosa cobra-real (Ophiophagus hannah) provém deste hábito.

Usos práticos[editar | editar código-fonte]

Cernícalo americano com presa serpente.

Em algumas regiões, os agricultores conservam animais ofiófagos como animais domésticos para manter o ambiente livre de serpentes como cobras e Crotalinae (incluindo as serpentes-cascavel e jaracacás), que anualmente matam grandes quantidades de animais domésticos, como gado, e atacam pessoas. Por exemplo, domesticam-se mangustos na Índia. Na década de 1930, um plano brasileiro para criar e soltar um grande número de muçuranas para controlar crótalos foi tentado mas não resultou. O Instituto Butantan, em São Paulo, que se especializa na produção de soro antiofídico, ergueu uma estátua de muçurana (Clelia clelia) como seu símbolo e um tributo à sua utilidade em combater a mordida de víboras venenosas.

Imunidade[editar | editar código-fonte]

Muitos animais ofiófagos parecem ser imunes ao veneno das serpentes que caçam e das que se alimentam habitualmente. O fenómeno foi estudado na muçurana pelo cientista brasileiro Vital Brazil (1865-1950). Estas serpentes têm anticorpos anti-hemorrágicos e antineurotóxicos no sangue. Descobriu-se que o opossum-da-virgínia (Didelphis virginiana) tem a maior resistência ao veneno de serpente. Esta imunidade não é adquirida e evoluiu provavelmente como adaptação à predação por serpentes venenosas no seu habitat.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Ophiophagy».