Oinikhol Bobonazarova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Oinikhol Bobonazarova
Nascimento 10 de junho de 1948
Yovon District
Cidadania Tajiquistão
Alma mater
  • Tajik National University
Ocupação ativista de direitos humanos, jurista
Prêmios
Empregador Tajik National University, Open Society Foundations

Oinikhol Bobonazarova é uma ativista tajique.[1] Em 1993, foi presa e acusada de traição por supostamente planejar um golpe de estado.[2] Depois de ficar alguns meses na prisão, tornou-se uma conselheira dos direitos humanos da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.[2][3]

Bobonazarova também trabalhou na filial da Open Society Foundation no Tajiquistão, e a partir de 2013 passou a comandar o "Perspektiva Plus", um grupo de direitos humanos que trabalha pelos direitos dos prisioneiros, mulheres e trabalhadores migrantes em seu país.[4]

Em 2013, tornou-se a primeira mulher a tentar concorrer à Presidência do Tajiquistão, mas sua campanha não conseguiu reunir o número suficiente de assinaturas para ser declarada válida.[4][5]

Em 2014, Bobonazarova foi agraciada com o Prêmio Internacional às Mulheres de Coragem, concedido pelo governo dos Estados Unidos.[5] Com isso, converteu-se na primeira mulher tajique a recebê-lo.[5]

Referências

  1. «Bios of 2014 Award Winners». State.gov. Consultado em 18 de outubro de 2014. Arquivado do original em 2 de julho de 2018 
  2. a b «Tajik Opposition Taps Candidate to Run Against Strongman President». RIA Novosti. Consultado em 18 de outubro de 2014 
  3. «Tajik Human Rights Activist Named a Woman of Courage · Global Voices». Global Voices. Consultado em 18 de outubro de 2014 
  4. a b «Woman bids for Tajik presidency backed by Islamic party». Fox News. 27 de setembro de 2013 
  5. a b c «AWIU » Introducing Oinikhol Bobonazarova, 2014 International Women of Courage Awardee». Awiu.org. Consultado em 18 de outubro de 2014. Arquivado do original em 18 de outubro de 2014 

Nota[editar | editar código-fonte]