Olíbrio (cônsul em 491)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Flávio Anício Olíbrio Júnior (em latim: Flavius Anicius Olybrius Iunior), melhor conhecido somente como Olíbrio, foi um nobre bizantino do final do século VI, ativo durante o reinado dos imperadores Zenão I e Anastácio I (r. 491–518).

Vida[editar | editar código-fonte]

Olíbrio era filho de Areobindo Dagalaifo Areobindo, mestre dos soldados de 503 a 504 e cônsul em 506, e Anícia Juliana, a filha do imperador romano ocidental Olíbrio (r. 472) e de Placídia, que por sua vez era filha do imperador romano ocidental Valentiniano III (r. 425–455).[1] Ele nasceu após 478, pois nesta data sua mãe ainda não havia casado. Em 491, quando ainda era uma criança, foi nomeado como cônsul sem um colega.[2]

Olíbrio casou-se com Irene, a filha de Magna, e teve com ela uma filha chamada Proba. Se sabe que ainda teve outra filha, mas seu nome é incerto. Em 533, foi reconvocado de seu exílio pelo imperador Justiniano (r. 527–565) e teve sua propriedade restaurada. A razão de seu exílio é incerta, mas é possível que deve ter ocorrido por sua ligação com Hipácio e Probo na Revolta de Nika de 532. João Malalas, ao relatar o episódio, estiliza Olímpio como patrício.[2]

Referências

  1. Martindale 1980, p. 635; 795; 887.
  2. a b Martindale 1980, p. 795.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1980). «Olybrius 3». The prosopography of the later Roman Empire - Volume 2. A. D. 395 - 527. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press 


Cônsul posterior ao Império Romano
Labarum.svg
Precedido por:
Longino
com Anício Probo Fausto
Olíbrio
491
com -
Sucedido por:
Anastácio I
com Rufo