Olívia Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olívia Santana
Vereadora de Salvador Bandeira de Salvador.svg
Período 15ª: 1º de janeiro de 2005
até 31 de dezembro de 2008
16ª: 1º de janeiro de 2008
até 31 de dezembro de 2012
Secretária Municipal de Educação de Salvador Bandeira de Salvador.svg
Dados pessoais
Nome completo Maria Olívia Santana
Nascimento 25 de março de 1967
Salvador, Bahia Bahia
Nacionalidade brasileira
Alma mater Universidade Federal da Bahia
Partido Partido Comunista do Brasil
Profissão Professora, política

Maria Olívia Santana (Salvador, 25 de março de 1967) é uma política[1], educadora e militante do movimento de mulheres negras brasileira[2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de uma empregada doméstica com um marceneiro, ela nasceu em uma família pobre, na invasão de Ondina, onde teve uma infância de carência extrema. Nasceu em Salvador no dia 25 de março de 1967, na comunidade do Alto de Ondina.

Aos 14 anos de idade, começou a trabalhar como faxineira, em uma escola particular para auxiliar no orçamento familiar. Sua história sofreu a primeira grande mudança em 1987, quando passou no vestibular da Universidade Federal da Bahia (UFBA) para pedagogia e deixou o emprego de faxineira do Colégio Universo do Guri para dedicar-se aos estudos. Já na graduação, ingressou no movimento estudantil através de inserções no diretório de educação e no Diretório Central dos Estudantes da UFBA.

Militante histórica das causas negras e até bem pouco tempo secretária Municipal de Educação de Salvador, Maria Olívia Santana - “A negona da cidade” - atua atualmente como vereadora (PCdoB) eleita pela coligação "Todos juntos por Salvador"[3] e integra o Fórum das Mulheres Negras e o Conselho de Promoção da Igualdade Racial. Tem tido o privilégio de poder entregar ou propor a entrega da Medalha Zumbi dos Palmares a diversas personalidades como Vadinho França[2], Egbomi Nice[4], José Vicente (reitor)[5], Gilberto Gil[6], entre outros.

Em 2007, foi instituído no Brasil o "Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa" (21 de Janeiro) pela Lei 11.635/07. Esta lei federal, foi inspirada na Lei 6.464/04 do Município de Salvador que teve a sua génese no Projeto de Lei de autoria de Olívia Santana da criação do "Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa".[7] Em 2012, foi candidata a vice-prefeita de Salvador na chapa de Nelson Pelegrino (PT).

Em 2015, foi nomeada pelo Governador da Bahia, Rui Costa, Secretária Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia.

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «OLIVIA SANTANA - 13». UOL Eleições 2012. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  2. a b «HOMENAGEM: Vadinho França recebe medalha Zumbi dos Palmares». Fundação Cultural Palmares. 13 de Setembro de 2010. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  3. «Eleições 2012». Terra. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  4. «Egbomi Nice "coroada" com Medalha Zumbi dos Palmares». Câmara Municipal de Salvador. 18 de Dezembro de 2012. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  5. «Medalha Zumbi dos Palmares ao reitor José Vicente». Câmara Municipal de Salvador. 3 de Dezembro de 2012. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  6. «Gilberto Gil receberá Medalha Zumbi dos Palmares». Bahia Notícias. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  7. «Salvador celebra Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa». Portal Vermelho. 19 de Janeiro de 2012. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 
  8. «PERFIL DO VEREADOR». Câmara Municipal de Salvador. Consultado em 17 de Janeiro de 2014 

http://www.mulheres.ba.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=15

Ligações externas[editar | editar código-fonte]