Ole Gunnar Solskjær

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ole Gunnar Solskjær
Ole Gunnar Solskjær
Solskjær em 2011, quando comandava o Molde
Informações pessoais
Nome completo Ole Gunnar Solskjær
Data de nasc. 26 de fevereiro de 1973 (48 anos)
Local de nasc. Kristiansund, Noruega
Nacionalidade norueguês
Altura 1,79 m
destro
Apelido Super substituto
Assassino com cara de bebê
Informações profissionais
Equipa atual sem clube
Posição ex-atacante
Função treinador
Clubes de juventude
1980–1990 Clausenengen
Clubes profissionais
Anos Clubes
1990–1994
1994–1996
1996–2007
Clausenengen
Molde
Manchester United
Seleção nacional
1995–2007 Noruega
Times/Equipas que treinou
2007–2011
2011–2013
2014
2014–2015
2015–2018
2018–2019
2019–2021
Manchester United (interino)
Molde
Cardiff City
Clausenengen (Sub-19)
Molde
Manchester United (interino)
Manchester United
Última atualização: 10 de abril de 2021

Ole Gunnar Solskjær (Kristiansund, 26 de fevereiro de 1973) é um treinador e ex-futebolista norueguês que atuava como atacante. Atualmente está sem clube.

Quando jogador, passou a maior parte de sua carreira atuando pelo próprio United, clube onde se tornou ídolo. Solskjær (cuja pronúncia é "Súlcher")[1] era considerado um talismã dos Diabos Vermelhos: não era titular com frequência, sendo valorizado exatamente por ser um reserva dedicado e efetivo,[2] chegando a ser apelidado de Supersub (super substituto)".[3] Essa imagem foi reforçada especialmente após marcar o gol do título da Liga dos Campeões da UEFA de 1998–99 - ocasião em que protagonizou a famosa vitória de virada sobre o Bayern de Munique, na qual os britânicos marcaram seus dois gols após os acréscimos do segundo tempo. O rosto inofensivo do norueguês, em contraste com seu potencial letal no ataque, renderam-lhe da torcida inglesa outro apelido, o de Baby-faced assassin (assassino com cara de bebê).[4]

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Clausenengen e Molde[editar | editar código-fonte]

Solskjær em 1995, pelo Molde

Solskjær iniciou sua carreira no pequeno Clausenengen, então na Terceira Divisão Norueguesa, onde permaneceu durante quatro temporadas. Após esses quatro anos, se transferiu para o Molde, clube da primeira divisão da Noruega. Em 1995, quando teve um bom desempenho, chamou a atenção dos dirigentes do Manchester United.

Manchester United[editar | editar código-fonte]

Acabou sendo contratado pelo clube em 1996, por dois milhões e meio de euros, e rapidamente se adaptou, anotando dezoito gols em sua primeira temporada na Premier League, conquistando o título ao final da época. Na temporada 1998–99, marcou por duas vezes quatro gols numa partida da liga nacional, e entrou para a história do clube quando marcou o gol do título nos acréscimos na final da Liga dos Campeões da UEFA contra o Bayern de Munique.[5]

Solskjær continuou a atingir feitos notáveis e conquistou o mais duas vezes o título nacional nos anos de 2001 e 2003, além da Copa da Inglaterra em 2004, mesmo parado por cinco meses, devido a uma lesão no joelho. Retornou na temporada 2005–06, após quase dois anos de ausência, tendo assinado um contrato que prevê futuras funções técnicas e de embaixador do clube de Manchester. Porém, penduraria as chuteiras ao fim da temporada 2006–07. O Manchester United pôde garantir ainda na antepenúltima rodada o título da Premier League. Assim, na última rodada, Solskjær foi homenageado com uma rara titularidade, na última partida que o clube faria em Old Trafford pelo campeonato naquela temporada, com Cristiano Ronaldo começando no banco para que o norueguês pudesse despedir-se festivamente da torcida - ainda haveria a final da Copa da Inglaterra, mas em Wembley (em Londres), no que seria sua última partida oficial.[6]

No dia 28 de agosto de 2007, Solskjær anunciou sua retirada dos gramados, devido às sucessivas contusões que o perseguiam desde 2004.[7] Logo após o anúncio, vários vídeos começaram a circular pelo YouTube, com imagens marcantes de gols feitos durante toda a sua carreira, numa demonstração de carinho e respeito que os torcedores do United tem por ele.

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Desde a sua estreia na Seleção Norueguesa, em 1995, contra a Jamaica, Solskjær participou das fases finais da Copa do Mundo FIFA de 1998, disputada na França e na Eurocopa 2000.[8] Ao todo anotou vinte e três gols em sessenta e quatro partidas. Inclusive, esteve em campo na partida que os noruegueses consideram a mais brilhante de toda a história de sua seleção: foi contra a Seleção Brasileira, na primeira fase da Copa do Mundo de 1998, quando venceram de virada por 2 a 1.[9]

Após ficar um bom tempo sem ser chamado para a seleção de seu país, Solskjær foi convocado novamente no dia 16 de agosto de 2006, para um amistoso em Oslo, justamente contra o Brasil. Na partida, que terminou empatada em 1 a 1, ele foi substituído por Steffen Iversen no segundo tempo.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Cardiff[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado como novo treinador do Cardiff City no dia 2 de janeiro de 2014.[10]

Manchester United[editar | editar código-fonte]

Em 19 de dezembro de 2018, após a demissão de José Mourinho, assumiu interinamente o United. Depois de levar o time a 14 vitórias em 19 partidas, em 28 de março de 2019 foi oficializado como treinador dos Diabos Vermelhos.[11]

Contestado na temporada 2021–22 devido aos maus resultados, Solskjær foi demitido no dia 21 de novembro de 2021.[12] Um dia antes, o United havia sido goleado por 4 a 1 pelo Watford.[13]

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 20 de novembro de 2021

Clube Início Até Estatísticas
J V E D %
Molde 9 de novembro de 2010 2 de janeiro de 2014 126 69 26 31 61.64%
Cardiff City 2 de janeiro de 2014 18 de setembro de 2014 30 9 5 16 35.55%
Molde 21 de outubro de 2015 19 de dezembro de 2018 118 66 19 33 61.29%
Manchester United 19 de dezembro de 2018 21 de novembro de 2021 168 91 37 40 54.17%
Total 442 235 87 120 53.17%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Clausenengen
  • Terceira Divisão: 1993
Manchester United

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Molde

Referências

  1. «Player Pronunciation: Ole Gunnar Solskjær». The Language of Football. Consultado em 19 de dezembro de 2018 [ligação inativa]
  2. Leandro Stein (20 de dezembro de 2018). «Para relembrar: Os gols de Solskjaer em seus tempos como jogador do Manchester United». Trivela. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  3. Felipe Lobo (14 de janeiro de 2019). «Pogba elogia Solskjaer no início no United: "Eu estava nas sombras"». Trivela. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  4. Felipe Lobo (19 de dezembro de 2018). «Manchester United escolhe Solskjaer, o "assassino com cara de bebê", como técnico até o fim da temporada». Trivela. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  5. Leandro Stein (26 de maio de 2015). «O "quase" fez a final da Champions de 1999 ser fantástica, e não só pelos acréscimos». Trivela. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  6. Caio Brandão (13 de maio de 2017). «Dez anos do 1º brilho europeu de Tévez: livrando o West Ham do rebaixamento. Em Old Trafford!». Futebol Portenho. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  7. «Norueguês Solskjaer anuncia aposentadoria dos gramados». UOL. 28 de agosto de 2007. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  8. «Elenco NOR'00». Consultado em 20 de janeiro de 2017 [ligação inativa]
  9. Bruno Freitas (27 de setembro de 2017). «Algoz relembra "noite maluca" em que zebra desbancou Brasil na Copa de 98». UOL. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  10. «Cardiff City anuncia o norueguês Solskjaer como seu novo treinador». Terra. 2 de janeiro de 2014. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  11. Simon Evans (28 de março de 2019). «Solskjaer é oficializado como técnico do Manchester United». Terra. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  12. «Manchester United demite técnico Solskjaer». Terra. 21 de novembro de 2021 
  13. «João Pedro marca, Watford goleia e aumenta a crise no Manchester United». UOL. 20 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]